Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura e política.

PUBLICIDADE

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Conheça 10 destinos turísticos no exterior onde o Real é mais valorizado


Na contramão dos países dolarizados, alguns destinos turísticos no exterior oferecem vantagens aos brasileiros, visto que o Real é mais valorizado que a moeda local
logotipoEnquanto as cotações do dólar e do euro persistem na alta, a CVC, maior operadora das Américas, faz uma seleção de 10 destinos turísticos internacionais onde o Real é mais valorizado que a moeda local, o que traz uma vantagem em relação aos gastos no destino, se comparado com outras localidades onde as moedas correntes são o dólar ou euro. 
Na lista, se destacam destinos exóticos, europeus pouco convencionais e sul-americanos, que têm despertado o interesse de uma parcela de brasileiros que não abrem mão de viajar ao exterior nas férias, para viajar ou revisitar experiências de viagens diferentes. Não por acaso, os destinos considerados "exóticos", tais como Croácia, África do Sul e Tailândia, cresceram cerca de 30% em vendas na CVC no 1º semestre de 2015, na comparação com o mesmo período de 2014. 
Confira abaixo os destinos onde o Real é mais forte:
 
Imagem
ARGENTINA | 1 real = 2,46 pesos argentino 
Não é novidade que a Argentina é um destino turístico atrativo aos brasileiros já há alguns anos e, não à toa, muitos já desembarcaram por lá. A capital Buenos Aires é sempre uma boa opção na América do Sul com ares europeus, uma infinidade de atrações culturais e ótima gastronomia, ideal para visitar mais de uma vez. No entanto, outras regiões turísticas também se destacam. É o caso de Mendoza, conhecida pelas vinícolas, e da Patagônia, com incríveis paisagens para quem gosta de aventura. Outra vantagem é possibilidade de fazer o câmbio trocando reais por pesos quando chegar à Argentina.
ÁFRICA DO SUL | 1 real = 3,50 rands 
África do Sul se tornou um destino bastante atraente para o bolso este ano. Atualmente umrand, moeda local, equivale a 29 centavos de real. Com isso, alguns serviços como alimentação fica mais em conta. O país tem atrações para todos os gostos, como safáris, praias e montanha, todos com paisagens cinematográficas. Além disso, brasileiros não precisam de visto, ou seja, uma despesa a menos. 
Imagem
Imagem
MÉXICO | 1 real = 4,24 pesos mexicano 
Queridinho dos brasileiros quando o assunto é Caribe, os destinos turísticos do México, comoCancun, Riviera Maya e, mais recentemente,Puerto Vallarta e Riviera Nayarit, figuram na lista não só pela questão da moeda, mas também - e principalmente - pela relação custo-benefício dos resorts que oferecem uma ótima infraestrutura e operam com o sistema "tudo incluído", ou seja, o viajante não tem gastos extras no destino com alimentação e lazer. As ofertas de passagens aéreas também deixam o destino ainda mais atraente.
MARROCOS | 1 real = 2,53 Dirham marroquino 
Além do conhecido Deserto do Saara, no país você encontra muita riqueza cultural e histórica, como belas mesquitas, comércios tradicionais e abertos às pechinchas, praias tranquilas e montanhas incríveis. Marrakesh e Casablancasão os destinos mais conhecidos e a gastronomia, com o tradicional cuscuz e pratos com toques de açafrão, limões em conserva e hortelã, permitem uma experiência de viagem única.
Imagem
Imagem
TAILÂNDIA | 1 real = 9,07 Bath 
Para quem quer ir mais longe, a Tailândia é outro destino com preços acessíveis para os brasileiros. Praias paradisíacas e uma culinária exótica são alguns dos chamarizes do país, que também se destaca pela cultura milenar e templos budistas. Em Bangkok, por exemplo, o turista gasta, em média, R$ 122 por dia, já considerando hospedagem, refeições, transporte e um passeio por dia.  Sem contar que, nas localidades praianas, como a Ilha de Puket e a cidade dePattaya, os pratos à base de frutos do mar, com lagostas generosas, custam menos de R$ 200.
ÍNDIA | 1 real = 16,56 Rúpias 
A Índia não poderia ficar de fora dessa lista. É um dos países mais baratos para se viajar e se hospedar, visto que o país tem as diárias mais em conta do mundo, o que é ideal para quem quer gastar pouco e conhecer uma cultura diferente. É possível ainda conhecer o Taj Mahal, em Agra, e ainda se deliciar com gastronomia de qualidade, em barracas de rua ou restaurantes sofisticados, por menos de R$ 100.
Imagem
Imagem
CROÁCIA | 1 real = 1,77 Kunas 
A Croácia ainda é uma Europa "low profile" a preços módicos em relação aos outros países do continente. Vale aproveitar agora enquanto o destino não está na rota dos destinos clássicos e mais disputados pelos turistas. A capital Zagrebnão é tão procurada como os destinos de costa do país, o que deixa tudo ainda mais barato e acessível, principalmente os hotéis e, além disso, está distante a apenas 2h30 dos Lagos de Plitivice, eleito um dos lugares mais lindos do mundo e a patrimônio da UNESCO.
CHILE | 1 real = 175 Pesos chileno 
Assim como outros países da América do Sul, o Chile é um destino viável para viajar em tempos de dólar alto. Os principais passeios e atrações da cidade de Santiago saem por menos de R$ 150. Na questão da alimentação, uma refeição acompanhada de um bom vinho chileno custa em torno de R$ 50. E por falar em gastronomia, a capital chilena é, ao lado do Alasca, os únicos dois lugares do mundo em que se pode degustar da Centolla, caranguejo gigante que vive em águas profundas e gélidas.
Imagem
Imagem
URUGUAI | 1 real = 7,52 Pesos uruguaio 
Outra opção na América do Sul, o pequeno vizinho, Uruguai, também oferece uma boa relação custo-benefício aos visitantes. A capitalMontevidéu apresenta história, arquitetura e belas paisagens, logo, algumas das principais atrações turísticas e cartões postais não são pagos como o Mercado del Puerto, Rambla de Pocitos, Feira Tristán Narvaja, Puerta de La Ciutadela e o Teatro Sólis que tem dias de visitação gratuitos, o que já representa uma boa economia.
VIETNÃ | 1 real = 7,6 Dongs 
O Vietnã é um dos países mais lindos e baratos do Sudoeste Asiático. O país é extenso, mas é possível viajar nos chamados sleeping buses, de moto (é comum comprar uma motocicleta ao norte e vendê-la no sul) ou até mesmo viajar de carro alugado, para ganhar tempo e economizar. É possível conseguir um hotel confortável por menos de R$ 150 ao dia e refeições em bons restaurantes por cerca de R$ 50. Estando no país não deixe de conhecer Há Long Bay, uma paraíso verde esmeralda em meio aos paredões rochosos.

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Aluguel de temporada: os cuidados e obrigações do inquilino

Com a chegada do verão e a proximidade das férias e de festas como Natal, Ano Novo e Carnaval, começa a procura por locação de casas e apartamentos para temporada.
Os veranistas já estão em busca do seu lugar ao sol e tanto o locador quanto inquilinos e corretores de imóveis precisam estar atentos a detalhes importantes para que as férias não se tornem uma dor de cabeça.
A lei do inquilinato (8.245/1991) define que a locação para temporada não deve ultrapassar 90 dias, mas independente do tempo acordado é muito importante ter um contrato de locação. O documento é uma garantia tanto para o proprietário quanto para o inquilino e por isso é recomendado em toda negociação, mesmo que o período de estadia seja curto.
Neste contrato é importante conter uma lista de tudo que o imóvel disponibiliza como móveis, utensílios de cozinha, eletrodomésticos, entre outros. Caso o imóvel alugado esteja localizado em um condomínio com piscina, saunas ou outras opções de lazer, é importante que também estejam descritos no contrato se os inquilinos poderão desfrutar destes itens, pois alguns prédios permitem que apenas proprietários e seus familiares utilizem as áreas de lazer.
Outro detalhe importante diz respeito às formas de pagamento. A prática comum é o pagamento de 50% do valor total como sinal e o restante na data de entrega das chaves. Alguns proprietários podem solicitar um cheque caução para a garantia dos pagamentos de contas extras. Outros ainda podem exigir o pagamento do valor total da locação no ato da contratação. Portanto, isso pode ser combinado de maneira livre, de acordo com a necessidade ou realidade de cada negociação.
Para garantir negócios mais seguros, separei algumas dicas fundamentais que devem ser observadas por cada parte envolvida neste tipo de intermediação imobiliária.
INQUILINOS
- Sempre que possível, visite o imóvel antecipadamente. Caso isso não seja possível e você tenha que recorrer à internet, procure imóvel em sites confiáveis;
- Busque referências sobre a imobiliária ou locador;
- Atente-se à infraestrutura da região, se o imóvel está localizado próximo a farmácias, supermercados, padarias, se a área é movimentada, questões de segurança;
- Verifique se é permitida a presença de animais de estimação no imóvel;
- Não confie apenas em sites ou fotos de anúncios, busque referências sobre o imóvel;
- Ao chegar ao imóvel verifique se os chuveiros, torneiras, descargas, luzes e eletrodomésticos estão funcionando corretamente. Ao detectar qualquer problema, informe imediatamente o locatário.

Por Guilherme Machado*
Especialista em Mercado Imobiliário



Com mais de 18 anos de experiência como corretor de imóveis e empresário do segmento, Guilherme Machado realiza cerca de 20 palestras mensais em diversos Estados do Brasil para profissionais da área