Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura e política.

PUBLICIDADE

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

REPÚBLICA DA GUIANA: Uma visita à antiga pocessão inglesa

TURISMO / Casal sai de Macapá para uma viagem a um até então desconhecido destino, na fronteira de Roraima, ponto mais extremo do Brasil
O casal faz pose na fronteira do Brasil com a República da Guiana. Apesar de ter sido uma visita rápida, os dois consideram ter valido muito a pena todo o trajeto de Macapá até esse ponto extremo do Brasil com a Venezuela.

Cleber Barbosa
Editor de Turismo

“As férias inesquecíveis da minha esposa”. Esse é o título do texto do jornalista Everlando Matias, que mora em Macapá e que fez uma viagem no final do ano até Roraima, na fronteira do Brasil com a República da Guiana, a ex-Guiana Inglesa. A pedido do Diário, ele elaborou um “Diário de Viagem”, com o resumo desse passeio, um antigo pedido de sua esposa  Jilciene Alcântara, que tem amigos morando na região.
Fizemos nossa viagem de férias inesquecível que eram programadas há mais de dez anos por nós.
Jilciene Alcântara, turista.

A viagem - Em novembro do ano passado eu e minha esposa fomos passear em Boa Vista-RR, onde mora um casal de pastores amigo nosso. Confesso que é um trajeto cansativo foram mais de sete horas de viagem. Saímos de Macapá às 19h20 e chegamos a Boa Vista às 3 horas da manhã, após três horas de espera no Aeroporto Internacional de Belém  e mais uma hora no Aeroporto de Manaus para troca de aeronaves. Mais valeu apena! Pela primeira vez em quase dez anos de casados estávamos curtindo as férias da minha esposa, em outro país.

Roraima está situado na região Norte do país, sendo o estado mais setentrional da federação. Tem por limites a Venezuela ao norte e noroeste, Guiana Inglesa ao leste, Pará ao sudeste e Amazonas ao sul e oeste. A capital Boa Vista é fruto da miscigenação de várias raças e costumes, que tem grande influência na gastronomia do local. A predominância é a culinária indígena, muito apreciada pelos turistas em busca de temperos diferentes e exóticos. Um dos locais onde ela pode ser apreciada é a Orla Taumanan, que, no idioma macuxi, significa ‘paz’. Aproveitamos uma tarde de sol e tendo o pastor Oel e Leila Nunes como guias fomos conhecer o local, espera ver uma obra igual a de Macapá, mas pra nossa surpresa era apenas um local pequeno ainda em construção, mais muito bonito, ideal para fotos tendo como cenário o rio Branco, que no período de seca (outubro a março), o nível das águas diminui em toda a sua extensão, formando belíssimas praias naturais. As mais frequentadas são a Praia Grande e Praia da Água Boa, além da Ponte dos Macuxis, com 1.200 metros de extensão ligando a capital Boa Vista aos municípios do Cantá, Normandia e Bonfim. Sua função básica é integrar o Brasil à vizinha Guiana Inglesa, tendo como porta de entrada a fantástica cidadezinha de  Lethem, na Guiana, o paraíso das compras.

Texto: Everlando Matias

As curiosidades de Lethem, na fronteira da Guiana

Distante de Boa Vista em 125 quilômetros de asfalto em ótimas condições, a cidade atrai pessoas de várias regiões. Lethem é pequena e parece sobreviver do mercado apenas das novas lojas ricas em produtos da Adidas, camisas Lacoste e de times internacionais, tênis Nike e Puma, além de bolsas, perfumes e brinquedos. O engraçado é que os produtos possuem uma qualidade superior daquela encontrada em São Paulo, com um preço bem menor. Esse é o motivo que tantos brasileiros visitam a cidade. Nós adoramos conhecer Lethem, principalmente por causa da sua “estranheza”. E um dos tours que recomendo é a ida a qualquer mercadinho, ali é possível encontrar produtos que você nunca viu na vida. Um caso a parte são os refrigerantes locais, a variedade de sabores diferentes é fantástica, dentre eles: Gengibre, Abacaxi, Tangerina, Banana, Chiclete, Big Red (oi?), Cream Soda (que comprovadamente tem gosto de desodorante). A Guiana é o único país da América do Sul onde se fala inglês, aliás, um inglês bem complicado de se entender, uma coisa cantada com um quê caribenho.

Visita à Venezuela onde passaporte é dispensado se você abastece o carro lá

Santa Elena (de Uairén), cidade divisa com o Brasil pertencente a Venezuela é fantástica. É uma cidade venezuelana de colonização espanhola, capital do município de Gran Sabana, fica a 15 km da fronteira com o município brasileiro de Pacaraima, no Estado de Roraima e 230 Km da capital Boa Vista com uma população de 28.219 habitantes e situada a 900 metros de altitude em relação ao nível do mar. Partimos logo pela manhã rumo a Santa Elena, a expectativa de conhecer a tão falada cidade quase foi frustrada. Durante o trajeto nosso guia nos mostrava as belezas da região, pudemos contemplar a beleza da mão de Deus, lindas paisagens e montanhas com formações rochosas cortadas pela rodovia. Minha esposa Jilciene não perdeu tempo e registrou as maravilhas que eram postadas no Face.
Após algumas horas na estrada chegamos a fronteira. Esperamos algumas horas na fila e por falta de conhecimento matei minha sede bebendo um refrigerante que custou R$ 2,00. Na Venezuela eu compraria oito garrafas pelo mesmo valor que paguei no lado brasileiro. A exemplo dos países do Mercosul, com os quais o Brasil mantém fronteira livre para a circulação de pessoas, bastando apenas a apresentação de um documento de identificação para entrar na Venezuela. Os turistas brasileiros não precisam apresentar o passaporte na hora de entrar no país vizinho. Mas, o passaporte foi substituído pela obrigação de encher o tanque do carro com gasolina venezuelana, até ai um bom negocio. Na Venezuela, preço de um iogurte equivale a três tanques de gasolina. Um litro de gasolina na bomba custa um pouco menos de 0,1 bolívar [R$ 0,03]. Ou seja, para encher um tanque de 45 litros, um venezuelano gasta 4,5 bolívares [R$ 1,40].

CURIOSIDADES
- Na entrada da cidade de Santa Elena, na Venezuela, uma pequena casa de alvenaria com portão de ferro chama atenção, dentro está presa uma pedra condenada por assassinato. Segundo relatam, alguém importante daquela localidade havia sido encontrado morto, sem achar o criminoso e tendo apenas a pedra como evidência do crime. A pobrezinha acabou condenada .

R$ 1,40
Este é o custo para um venezuelano encher um tanque de 45 litros de gasolina em um carro de passeio, na Venezuela.

FRONTEIRA

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Coluna Argumentos, quarta-feira, dia 08 de janeiro de 2014.

Erro

Saiu na mídia nacional o caso de um amapaense preso por engano, depois que tentava tirar seu passaporte para ir trabalhar em Caiena. Era um irmão seu quem tinha problemas com a Justiça e devido aos nomes parecidos acabou ele em cana. Vai processar o estado, dizem.
De olho

Tem anúncio de liquidação pelos quatro cantos da cidade. O problema é ter certeza de que 30% ou até 50% de desconto representam uma economia de verdade. Tem quem reajuste a mercadoria para dar o desconto, sabe?

Nome

O economista Charles Chelala, ligado ao senador Randolfe, confirmou ontem interesse de ser o pré-candidato do Psol para a disputa pelo governo do Amapá. Quadro dos mais respeitados, é a novidade nessa ‘parada’.

Dúvida

O anúncio de que Chelala pode vir mesmo para a briga pelo Setentrião deixa uma dúvida. E como fica o tal compromisso de Randolfe com a candidatura de Lucas Barreto?

Posse

A professora Sílvia Dutra, uma das mais respeitadas professoras de música do Amapá, agora é servidora do Instituto Federal do Amapá, o Ifap. A coluna registra e deseja felicidades a ela.

Antenada
coluna foto MAIOR
Enquanto não retoma a agenda no Congresso Nacional Dalva Figueiredo vem usando as redes sociais para publicar notas educativas sobre trânsito ou prevenção ao câncer.

Estudos

O deputado Luiz Carlos (PSDB) envia mensagem à coluna com os votos de um bom ano que se inicia. Nesta imagem, ele aparece ao lado da esposa, Gabriela. Os dois farão um ano de matrimônio. Aos pedidos de netos dos pais de ambos, eles desconversam pois ela está focada nos estudos. Explicado.
 
Ensino

Ficou congestionado o site do Instituto Federal do Amapá, o Ifap, ontem à noite. É que a partir da 0 hora saiu o listão dos aprovados no processo seletivo da primeira escola técnica de nível médio e superior do estado. Os cursos de informática e mineração foram os mais disputados pelos jovens. O diploma de lá é quase uma garantia de colocação no mercado de trabalho.

Roubo de gado no interior leva autoridades a discutirem segurança no campo

CID4-SEGURANÇA RURAL
Nesta segunda-feira, 6, reuniram-se na Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp) o gestor da pasta, Marcos Roberto Marques; o diretor-presidente daAgência de Defesa e Inspeção Agropecuária (Diagro), Marco Antonio Silva de Sousa; o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Amapá (Faeap), Iraçu Colares; e representantes das áreas rurais dos municípios de Cutias do Araguari, Pracuúba e Amapá para discutir a segurança rural no Estado.
O tema principal do encontro foram as ocorrências de roubos e furtos de gado nas fazendas próximas à região da Reserva Biológica do Lago Piratuba, localizada no município de Cutias do Araguari.
O presidente da Faeap, Iraçu Colares, explicou que sempre ocorreram roubos em áreas rurais, no entanto, nos últimos anos, a situação tem se agravado e que muitos proprietários estariam procurando o sindicato preocupados com a situação. "Existem medidas que poderiam evitar o mal maior e já estamos fazendo isso", afirmou. O sindicalista lembra que os criminosos que agem em áreas rurais são bem informados e costumam estudar o ambiente antes de agir.
O diretor-presidente da Diagro, Marco Antônio, ressaltou que já tinha conhecimento de casos ocorridos na região. Ele afirmou que esse tipo de crime só acontece porque há escoamento dos animais. "As medidas já estão sendo tomadas, principalmente na parte da fiscalização, abate, inspeção e liberação da carne", afirmou.
O secretário da Sejusp, Marcos Roberto, garantiu aos pecuaristas que o Batalhão Ambiental e o Batalhão de Operações Especiais (Bope) vão agir na região. "Vou reunir com o delegado-geral de Polícia Civil, Tito Guimarães, para que um delegado instaure os procedimentos necessários de modo que possamos avançar no combate à criminalidade".
O presidente da Faeap disse que a reunião foi muito importante para que os pecuaristas possam ter o apoio do governo. "Hoje demos um passo importante para continuarmos desenvolvendo a pecuária no Estado. Unindo a segurança pública e a fiscalização da Diagro, o pecuarista terá mais condições de fomentar a economia", finalizou.

TRE-AP vai continuar revisão biométrica em Macapá

POLITICA1 BIOMETRIA
Aquela informação ostensiva de que 29 de novembro era o prazo final, improrrogável, para o eleitor macapaense fazer a Revisão Biométrica, foi só pra enganar. A partir de 3 do próximo mês o Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) voltará a fazer o serviço.
A Biometria será efetuada na Casa da Cidadania e unidades do Super Fácil de Macapá. Segundo informação divulgada ontem pelo TRE-AP, a retomada é decorrência da reabertura do Cadastro Nacional do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Aproximadamente 40 mil eleitores deixaram de se recadastrar na capital amapaense, ano passado.
Conforme a diretora geral do TRE-AP, Odete Scalco, com a reabertura do cadastro do TSE, o número de eleitores não cadastrados no país será reduzido, consideravelmente, já que eles poderão se regularizar junto a Justiça Eleitoral. A revisão que acontece no interior do Amapá irá até 28 de março de 2014, em todo o estado
Odete Scalco orienta que jovens que completarão 16 anos até o dia das Eleições 2014, 5 de outubro, podem se alistar e votar no pleito que se aproxima.

Guiana Francesa ameaça isolar garimpeiros brasileiros, diz governador

capa 5 - garimpagem
O governador Camilo Capiberibe manifestou, ontem, ao ministro do trabalho e emprego, Manoel Dias, preocupação com o iminente fechamento de garimpos na Guiana Francesa. O gestor amapaense, como ele disse ao representante do governo federal, teme que caso os garimpos guianenses venham a ser fechados, haja um fluxo migratório de desempregados para o Amapá.

Camilo conversou com Manoel Dias, no Palácio do Setentrião. O ministro veio a Macapá para participar da posse da superintendente da Delegacia Regional do Trabalho no Amapá (DRT-AP), Joelma Santos, ocorrida ontem.

O governador pediu ajuda ao ministro no sentido de que seja feito acordo com o governo francês para que a garimpagem do outro lado do rio Oiapoque não venha a ser encerrada. Evasivo, Manoel Dias disse: “Vamos verificar o modelo de acordo dentro do que foi recentemente aprovado, em termos de leis internacionais, no Congresso Brasileiro”

Outro lado da moeda
Provavelmente, a evasiva do ministro Manoel Dias tem a ver com informações privilegiadas sobre a total impossibilidade do Brasil influir a França acerca do assunto “garimpagem ilegal e fechamento de garimpos”. Inclusive, porque isso fere a soberania nacional francesa e é tratado pelo Palácio do Eliseu (sede do governo francês) como tema de Estado.

É que para a União Europeia (bloco econômico do qual faz parte a França) está fora de qualquer cogitação permitir a garimpagem – ilegal ou autorizada – no Parque Nacional Amazônico da Guiana, que engloba 30% do território guianense. O parque é uma área estritamente fechada para qualquer tipo de atividade, seja ela comercial, industrial ou extrativista, incluindo aí a lavra de ouro. A maior parte dos garimpos da Guiana Francesa fica dentro da área do parque, que consome 33,9 mil quilômetros quadrados (a Guiana Francesa inteira tem 91 mil quilômetros quadrados). Somente as populações indígenas é que vão ficar morando dentro do parque a partir de agora.

Criado em 28 de fevereiro de 2007, o Parque Nacional Amazônico da Guiana abriga garimpeiros ilegais há décadas. Mas foi só a partir dos anos 1980 que o fluxo de brasileiros aumentou. O maior medo das autoridades francesas é que a abertura da ponte binacional sobre o rio Oiapoque estimule boa parte dos 19 milhões de brasileiros que vivem an Amazônia a cruzarem a fronteira em busca de melhores condições de vida nos garimpos ou na construção civil. O risco é iminente. Tanto que num plebiscito ocorrido há dois anos a po-pulação da Guiana Francesa optou por não se desligar do governo central, de Paris, a fim de garantir a segurança nacional contra uma suposta invasão brasileira ao outro lado da fronteira.

Coluna Argumentos, terça-feira, dia 07 de janeiro de 2014.

 
Telefonia
Promessas. Foi o que Bala Rocha disse ter recebido das operadoras de celular nacionais sobre os problemas da telefonia por aqui. “Eles dizem que com a banda larga também virá a melhoria do sinal de voz”, disse o parlamentar, que foi cobrar a banda larga em Brasília.

Biometria

O TRE-AP voltará a partir do dia 3 de fevereiro a realizar o Recadastramento Biométrico para eleitores. A ação ocorrerá por conta da reabertura do Cadastro Nacional do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Agora vai.

Festas

A deputada Dalva passou as festas de fim de ano em Brasília, na companhia dos filhos. Eles começaram a trabalhar na capital e não tiveram férias no fim do ano, daí o clã ter ficado impedido de retornar para Macapá.

Fotos

Ainda sobre Dalva, a ex-governadora postou várias fotos dos dias de folga em Brasília. A cidade estava deserta no fim de ano, com suas largas vias parecendo ainda maiores.


Minas


Quem também teve que se separar da família foi o deputado Luiz Carlos. Na verdade, ele passou o Natal por aqui, mas o Réveillon foi viajando, pois sua esposa é mineira. Foi às Alterosas.

De novo
coluna foto GRANDE
A temporada de invasões foi reaberta. Além desta, em frente à Expofeira, tem uma na área da Infraero e outra bem no começo, em plena Vila Amazonas, que já foi modelo urbanístico.

Grave


A nota publicada pela coluna ontem sobre a ‘tabela de preços’ do Iapen está rendendo repercussão. Um preso fez revelações bombásticas sobre como funciona o esquema de pagamento de propina para fazerem vista grossa e deixar entrar de drogas a armas para as celas dos prisioneiros. Absurdo.
Preços

Garrafas de bebidas alcoólicas para o Réveillon no Iapen custaram R$ 2 mil. Aparelhos celulares saem por R$ 100. Ficam acondicionados dentro de camisinhas para não estragarem, pois são escondidos na rede de esgoto. “O tráfico de drogas está deixando alguns detentos ficarem ricos lá dentro. Alguns não fazem nem questão de ganhar a liberdade”, diz o detento.

Prefeito, deputado e secretário discutem obras para Laranjal

política4-edinho3
Asfaltamento, terraplanagem e limpeza de Laranjal do Jari. Esses são serviços que a sede daquele município deve receber prioritariamente no decorrer de 2014, conforme ficou acertado em reunião de que participaram o prefeito Bode Queiroga, o deputado estadual Edinho Duarte e o secretário de tranportes do Amapá, Bruno Mineiro, na virada de ano.
Para Bode Queiroga, o município de Laranjal do Jari é totalmente dependente do governo. Para ele, este é o momento de firmar cada vez mais parcerias, além de dar satisfação à população, que busca melhorias. “Sou filho deste município e estamos com muito empenho e força de vontade, com toda a nossa equipe, tentando fazer o melhor para a nossa comunidade. Precisamos de asfaltamento, terraplanagem e ajuda na questão da limpeza da cidade. Acredito que com essa parceria vamos solucionar os problemas de Laranjal do Jari”, disse o gestor.
De acordo com o secretário Bruno Mineiro, já nesta primeira quinzena de janeiro, uma equipe visitará Laranjal do Jari para averiguar o que ainda falta ser realizado, e que a intenção é fazer um serviço de qualidade. “Paralisamos por causa do recesso e ainda não terminamos o asfaltamento da cidade por conta de algumas questões, entre elas o atraso na chegada do asfalto, as condições da estrada e a frente de serviço. Mas estaremos nos deslocando até Laranjal do Jari porque temos um compromisso ali”, ressaltou o secretário.
Edinho Duarte contou que como Cidadão Laranjalense tem uma obrigação ainda maior com aquela unidade amapaense. “O fato de ser deputado estadual me impõe uma responsabilidade em todos os municípios do Amapá. Mas com esse título a responsabilidade aumentou. E por isso, logo nos primeiros dias de 2014, já estamos aqui em audiência de trabalho para uma conversa sobre as necessidades de Laranjal do Jari”, disse o deputado.

O parlamentar ainda mencionou a peregrinação que tem feito em órgãos do estado, como Caesa, Setrap, e futuramente o Palácio do Setentrião. Edinho também destaca que é necessária cada vez mais a presença do estado nos municípios para este verificar de perto a situação de cada um e fazer alianças. “Temos que firmar parcerias, não só políticas eleitorais, mas de benefício, e que alcance a população”, finalizou.

Bares e boates terão horário para abrir e fechar em Macapá

CID1-PRINCIPAL
Na manhã dessa terça-feira, 7, a Prefeitura de Macapá se reuniu com diversos órgãos municipais e estaduais para decidir estratégias para a Operação Pacto pela Paz. A ação visa disciplinar o horário de funcionamento de bares e boates em Macapá.

De acordo com a secretária municipal de desenvolvimento urbano e habitacional (Semduh), Marta Barriga, a operação será educativa e repressiva. "É preciso que a lei seja cumprida e assim se estabeleça um pacto pela segurança em nossa cidade. Vamos averiguar se os bares e boates estão regulares junto a Prefeitura de Macapá, com seus alvarás em dia e se estão funcionando no horário que a lei determina".

Marta afirmou que a operação é uma parceria com vários órgãos do Governo do Estado, entre eles a Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), e visa por em prática a Lei 027/2004, que define o horário de bares e boates durante os dias da semana até 1h, e aos sábados e domingos até 4h.

Segundo a secretária, o principal alvo desta ação são os comerciantes, que, mesmo sabendo do horário de funcionamento, estendem o horário. "As pessoas precisam saber que há uma legislação a ser cumprida e precisam cumprir”, garantiu a titular da Semduh.

A operação inicia no dia 16 de janeiro e pretende fiscalizar bares e boates localizados nas zonas Sul e Norte, além do Centro de Macapá. Além de agentes fiscalizadores da Semduh, devem participar da ação a Secretaria Municipal de Assuntos Extraordinários (Semae), Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, entre outros órgãos.

domingo, 5 de janeiro de 2014

Coluna Argumentos, domingo e segunda-feira, 05 e 06.01.2014.

Funeral

O juiz de direito Petrus Soares de Azevedo, que faleceu na sexta-feira, foi sepultado em sua terra natal, a pernambucana Garanhuns. Familiares e amigos como o juiz João Lages foram prestar as últimas homenagens ao magistrado que atuou no Amapá com destaque.
Polêmica

Rendeu um bom debate ontem a proibição dos jornalistas fazerem imagens dentro do Ciosp, conforme portaria de um delegado. Foi no Togas&Becas, que vai ao ar aos sábados pela Diário FM. Tema relevante.

Energia

A energia do Tucuruí só poderá ser distribuída por aqui depois que duas estações abaixadoras ficarem prontas. Uma será em Laranjal do Jari e outra em Macapá. Com isso, energia a óleo diesel só para emergências.

De olho

A volta aos trabalhos para os nossos congressistas será acompanhada de perto pela classe dos servidores públicos. Dois temas dominam a atenção. PEC 111 e Plano Collor.

Dificuldade

Sobre a PEC 111, foi aprovada em primeiro turno na Câmara dos Deputados, mas o governo federal reluta em colocar em votação novamente. Já o Plano Collor ficou de entrar na pauta do STF neste semestre.

Ao óleo
coluna 01
Esta imagem rodou o país sexta-feira, 3, depois da descoberta de que poços de um bairro de Macapá estão contaminados com óleo diesel. O pior é que não há uma explicação oficial.

Visita

O comandante do Comando Militar do Norte, general Oswaldo Ferreira, confirma presença na cerimônia de passagem de comando do 34º BIS, no próximo dia 29. Deixa o cargo o tenente-coronel Pinheiro e assume o também tenente-coronel Alexandre.  Pinheiro servirá no CComSEx, em Brasília.

Denúncia

Um detento que cumpre regime semiaberto fez uma revelação bombástica nesta semana: a tabela de preços no Complexo Penitenciário. Isso mesmo, tem preço pra tv, para acompanhante, droga, cigarro, armas e até champanha para as festas de fim de ano. Agora, quem paga e quem recebe ele não revelou. Fica então uma dica para o Ministério Público Estadual.

AMAPÁ EM GRAMADO: Capacitação na Terra das Hortências

TURISMO | Empresários do setor de turismo viajam para o Festival de Turismo que reúne 2,5 mil expositores em Gramado, no Rio Grande do Sul

A representação do Amapá no evento na Serra Gaúcha serviu para a troca de experiências que será valiosa para o incremento das atividades empresariais ligadas ao setor de turismo no Estado, que tem apostado no setor
Cleber Barbosa
Editor de Turismo

Boas práticas no turismo. É o que oferecem as cidades de Gramado e Canela, no estado do Rio Grande do Sul, palco do 25º Festival de Turismo. Gramado é considerado hoje como o 3º melhor destino turístico, segundo pesquisas. A estratégia vai desde o planejar, produzir e executar projetos e/ou eventos como a Festa das Hortênsias (flor símbolo  da cidade), Festival do Cinema, Páscoa em Gramado e  um dos maiores eventos anuais, o Natal Luz – considerado  um dos maiores eventos –, que ocorre de novembro a janeiro.

Segundo o prefeito da cidade, Nestor Tissot,  foi uma estratégia de mercado para suprir a sazonalidade no período  de final de ano, já que os turistas  optavam por passar festas de natalinas e férias nas praias do Nordeste.

O Amapá enviou uma delegação ao evento, que foi conferir que a receita do sucesso é simples. “Basta ter união da iniciativa privada, empenho do poder público com investimento em infraestrutura, e o envolvimento da comunidade, todos conscientes do valor e da importância do setor econômico do turismo com o desenvolvimento econômico, social e sustentável”, ensina a turismóloga Nira Brito, do Sebrae-AP, que foi liderando um grupo de empresários do Amapá.
"O turismo do Amapá, tem  que agregar valor aos seus atrativos como os Fenômenos do Equinócio e da Pororoca".
Nira Brito - Turismóloga

A delegação contou com a participação de 23 empresários dos segmentos de alimentação, hotelaria, transporte, além de representantes do trade turístico amapaense como Sindbar, Abrasel, Singtur, Acia e da Macapatur.

Os participantes participaram de uma missão técnica de Benchmarking (comparação continua e sistemática), com diversas reuniões técnicas ressaltando a ocorrida na Associação do Comércio e Indústria de Canela (ACIC), onde foram recebidos pelo presidente Gino Bazzan e sua equipe, com apresentação de suas atividades e suas estratégias de Gestão focadas especificamente para o turismo, inclusive com uma diretoria e um fundo especial do turismo, conforme composição da diretoria atual. O turismo é tão importante para a economia local que a contribuição dos associados da ACIC para o Fundo de Turismo é em  dobro, e dos mais de trezentos associados, só para o fundo são 174 que realizam essa prática.

Festival de Turismo reúne 2,5 mil pessoas

O 25º Festival de Turismo de Gramado (Festuris) reuniu 2,5 mil expositores em 400 estandes na cidade da Serra do Rio Grande do Sul, segundo números apresentados por Eduardo Zorzanello, um dos sócios da empresa organizadora. “É importante ressaltar que em muitos destes estandes havia várias empresas de diferentes países, como o Uruguai. A internacionalização da feira é um fato concreto”, disse Zorzanello, que disse ser o turismo “O turismo é a indústria  mais inclusiva que existe”.

Ainda segundo o sócio, foram negociadas viagens a 65 destinos internacionais, número maior do que no ano passado, quando foram registrados 56. Zorzanello garantiu que a meta era de que circulassem pelos pavilhões um total de 14 mil pessoas nos dois dias do evento. A secretaria de Turismo de Gramado, Rosa Helena Volk, destacou a importância do Festuris para o município. “São 25 anos de uma história que se confunde com a história do desenvolvimento turístico de Gramado”, declarou Rosa.


Empresários foram conhecer a força do turismo para a economia local

Segundo Nira Brito, vale a pena atitude desse porte, que busca sensibilizar todo trade turístico local para mudança de comportamento, seja da iniciativa pública ou privada, contanto que sejam criadas ações inovadoras que possam contribuir para o desenvolvimento local, agregando valor aos setores da economia como o do turismo que  segundo a WTTC- Conselho Mundial de Viagens e Turismo. “O turismo brasileiro contribui em 2012 com R$ 150, 6 bilhões para o PIB do país 3,4% do total com previsão de 5% em 2013”, diz ela.

Para a especialista, o turismo do Amapá tem  que agregar valor aos seus atrativos como os Fenômenos do Equinócio e da Pororoca que são os nossos diferenciais, e durante os eventos realizar atividades para promover outros atrativos como a gastronomia local com a saborosa gastronomia de peixes do rio e seu famoso camarão no bafo. “Trabalhando o que se tem de diferente e respeitando as peculiaridades pode-se aprender muito com destinos turísticos de referencias no mercado como Gramado que criou o festival de inverno, aproveitando a generosa natureza. Fortalecer  o nosso Verão com diversas ações para o Festival de Verão”, conclui Nira. 

A delegação tinha além de Nira Brito, pelo Sebrae-AP, Augusto Cantuária (Sebrae), o presidente da Acia (Aass. Comercial de Industrial), Ricardo Noronha, a representante do Sindbar (Sind. Bares), Naraci de Souza Costa, a representante da Abrasel (Ass. Bras. Braes e Restaurantes), Regina Silva, a presidente do Singtur (Sindicato dos Guias de Turismo), Glaucia Dias e da Macapatur (Fund. Mac. de Turismo), Claudionor Ferreira.

INFORMAÇÕES

- Gramado é um município do estado do Rio Grande do Sul. Localiza-se na Serra Gaúcha, mais precisamente na Região das Hortênsias
- Sua população estimada em 2013 é de 34.110 habitantes. 
- Sua demografia é etnicamente variada, com forte influência alemã e italiana, o que se reflete especialmente na culinária e na arquitetura urbana e rural.

 1.875
Este é o ano da chegada dos primeiros estrangeiros de Gramado, que primeiro foi habitada por índios.

CARTÃO POSTAL

“O Democratas pode ter uma candidatura viável para a disputa pelo Senado”

Davi Alcolumbre. Deputado confirma interesse em entrar para a disputa pela única vaga na disputa para o Senado.
O deputado federal Davi Alcolumbre (DEM) acaba de receber a melhor avaliação entre os atuais integrantes da Bancada Federal na Câmara dos Deputados, num ranking nacional definido pela revista Veja. O prêmio chega exatamente quando ele decide falar sobre sua pré-candidatura a senador da República. Davi admite até já ter palanque local para a disputa, ao lado do também pré-candidato a governador, seu amigo e aliado Lucas Barreto (PSD). Em entrevista ontem ao programa Conexão Brasília, pela Diário FM, o parlamentar falou sobre esse e outros temas importantes, especialmente fazendo um balanço de seu mandato, o terceiro consecutivo no Congresso Nacional. Acompanhe a seguir.
Cleber Barbosa
Da redação

Diário do Amapá – Teve uma emenda parlamentar do senhor destinada à construção de um ginásio de esportes dentro do 34º BIS que está com as obras.
Davi Alcolumbre – Nós tivemos, além disso, uma grande conquista para o Amapá e para o Exército que foi a aprovação do Comando para a implantação até 2015 de uma Brigada aqui no estado do Amapá. Inclusive já fruto de entendimento com o general Enzo, que é o comandante do Exército Brasileiro, a bancada já alocou para este ano uma emenda para construção, modernização e ampliação das estruturas do 34º BIS para transformar numa Brigada.

Diário – E o que é uma Brigada do Exército?
Davi – A partir do momento que você tem uma Brigada você tem um aumento do contingente, são mais pessoas trabalhando e o cálculo dentro do Comando do Exército é de isso vai representar R$ 20 milhões a mais por mês aqui no Estado do Amapá, por conta desses 3 mil profissionais que serão contratados. Já com relação ao ginásio, foi fruto de uma emenda de 1,2 milhão, vai ficar dentro do quartel do 34º BIS, para uso do Exército, mas que já se comprometeu em abrir as portas do ginásio para a comunidade ali do entorno, como Nova Esperança, Cuba de Asfalto, Usina, enfim, aqueles moradores, suas crianças, vão poder utilizar dessa quadra coberta dentro do Exército.

Diário – Como está a aprovação da PEC 111?
Davi – Nós votamos essa PEC em primeiro turno, quando tivemos sua aprovação, com o apoio de todos os parlamentares do Amapá e suas articulações nas suas bancadas. Mas agora o governo central, através da presidente Dilma e da ministra Miriam Belchior, fez uma reunião estratégica do governo que não quer votar a PEC 111 em segundo turno. Nós já colocamos nosso líder, falamos com o deputado Ronaldo Caiado, que autorizou ser pautada a PEV novamente, como item prioritário, mas o governo retirou de pauta, dizendo que implicaria em muita despesa para a União. Quando a gente vê a União concedendo incentivos fiscais a outros países como agora o Paraguai, com o aumento da tarifa de Itaipu, um acréscimo de R$ 6 bilhões a mais, a gente vê que o discurso é um e a prática é outra.

Diário – A ministra Ideli Salvati esteve em Macapá no fim do ano passado e disse que os dados sobre esse impacto na folha da União não batem.
Davi – Todos os números que o governo central tem são diferentes dos que nós temos. Amapá e Roraima apresentaram os números e o governo federal apresentou números totalmente distorcidos e já foi provado que eles estão errados. Mas assim que voltarmos do recesso já conversamos com o coordenador da bancada, o deputado Milhomen, para a gente reunir com o presidente Henrique Eduardo Alves para que ele seja o interlocutor para que a gente possa definitivamente resolver esse problema.

Diário – Muitos colegas seus ficaram em Brasília no Natal e no Réveillon para conseguir o empenho das últimas emendas parlamentares do ano. Empenhar é reservar o recurso não é?
Davi – Exatamente, o que é muito importante. Eu inclusive gostaria de falar sobre o Orçamento Impositivo, que foi uma vitória para o parlamento, da Câmara e do Senado, no sentido de que agora os recursos efetivamente serão liberados na ponta, onde mais precisa que são nos municípios do Brasil. Mas sobre as nossas emendas a gente teve uma felicidade muito grande este ano no sentido de que todas as cidades brasileiras sofrem com um problema seríssimo que é a mobilidade urbana, o trânsito. E a gente colocou logo no final de 2012, num compromisso firmado com o prefeito Clécio, que a gente iria buscar uma solução para o problema da zona norte. Nós alocamos uma emenda no valor de R$ 5 milhões para a mobilidade urbana, no Ministério da Defesa.

Diário – Na Defesa?
Davi – Sim, dentro do programa Calha Norte, para a gente fazer o acesso para o [bairro] Pantanal e o Renascer, como alternativo, pois ele já existe hoje, que é a Rodovia do Pacoval, que as pessoas utilizam como uma forma de chegar ao centro da cidade. São pouco mais de 2,5 quilômetros que depois vai melhorar a vida de 70 mil pessoas que serão beneficiadas com essa obra importante.

Diário – Aliás, o senhor defendeu isso ainda na campanha a prefeito, com várias soluções para o trânsito muito bem exploradas em seus programas eleitorais. No segundo turno, quando apoiou o prefeito Clécio ele se comprometeu em aproveitar essas ideias não foi?
Davi – Foi isso mesmo. A gente teve a felicidade de sair dessa campanha vitoriosa com o apoio do povo de Macapá, numa votação expressiva. No segundo turno optamos pelo prefeito Clécio e conseguimos vencer a eleição. Graças a Deus ele tem enfrentado os problemas, mesmo com muitas dificuldades, buscando as soluções para Macapá, sem ficar olhando para o passado. Então o Clécio está de parabéns, a sua gestão, buscando essa interlocução com a bancada federal e eu falava também muito na nossa campanha sobre a questão do Serasa.

Diário – De tirar Macapá do Serasa. Muita gente incorporou essa linguagem sua.
Davi – Isso. Inadimplência ninguém conhece... [risos] O prefeito Clécio tirou Macapá do Serasa e assim conseguiu acessar recursos federais, assim como também através de emendas parlamentares.

Diário – Essa alternativa está garantida?
Davi – Sim, nós havíamos conseguido duas emendas, uma de R$ 2 milhões e outra de R$ 3 milhões e eu já consegui empenhar as duas e repassei os convênios para o prefeito para a estruturação da Rodovia do Pacoval, a correção do ângulo da ponte sobre o Canal do Jandiá, o alargamento da pista, vai ter ciclovia, passarela, calçada e iluminação, com um pavimento feito de qualidade e, além disso, o prefeito ainda vai colocar mais R$ 1 milhão de recursos do próprio município para fazer a pavimentação asfáltica de algumas ruas e avenidas dos bairros Pantanal e Renascer.

Diário – Qual o critério que o senhor usa para destinar uma emenda a um determinado município?
Davi – O diálogo com os prefeitos. Agora mesmo no município de Santana estamos priorizando a educação, um pedido dele logo depois das eleições. Nós apresentamos R$ 4 milhões para Santana especificamente para a educação e acabamos de ter o recurso empenhado pelo FNDE liberando os recursos e agora o prefeito irá adquirir cerva de 7 mil carteiras escolares e vai climatizar todas as salas de aula do município, para dar mais qualidade de trabalho para o professor e de ensino para os estudantes. Além disso, todas as escolas que não possuem cozinha ganharão uma cozinha e um refeitório para atender a alimentação das crianças. Esses R$ 4 milhões correspondem a quase 50% do orçamento anual da educação do município de Santana. Isso foi possível, tanto em Macapá como em Santana, dos prefeitos e suas equipes técnicas terem apresentado os projetos adequados e terem se empenhado nesse trabalho.

Diário – Há quem diga que o senhor é sumido da mídia?
Davi – Eu tenho esse problema, de não vir à mídia com mais frequência prestar contas do mandato. Mas eu tenho o reconhecimento das pessoas, pois estou sempre caminhando, visitando as pessoas, andando ao lado delas. É isso que faz com que eu escute suas demandas e tente resolver os seus problemas como deputado já que fui eleito para isso.

Diário – Muita gente critica o fato de alguns parlamentares colocarem recursos através de suas emendas para construção de um posto de saúde, quando fica faltando dinheiro para equipar e até contratar pessoal para trabalhar nessa unidade.
Davi – É por isso que é importante dialogar com os prefeitos. Agora mesmo no orçamento deste ano o prefeito de Serra do Navio, José Maria Lobato, me disse que a única unidade de saúde existente lá era do estado. Então nós alocamos quase R$ 1 milhão para a construção e equipamento de uma unidade de saúde, já que ele tem servidores para a área da saúde, mas que estão cedidos para o prédio do estado. Lá na Pedra Branca também o prefeito me fez uma solicitação de uma emenda de R$ 500 mil para a área da educação, para custear a reforma de algumas escolas. Também tivemos outra emenda de R$ 500 mil para Vitória do Jari, para a área da saúde, outra em Tartarugalzinho, para a saúde; outra em Oiapoque para a educação e outra de R$ 1,2 milhão para Mazagão, onde o prefeito já pode adquirir grupos geradores para a região ribeirinha que não tem energia elétrica. A gente tem buscado trabalhar, andando o estado todo.

Diário – A revista Veja publicou esta semana o resultado de uma pesquisa sobre os melhores deputados e senadores onde o senhor aparece com a melhor pontuação entre os integrantes da bancada federal. 
Davi – Isso é uma resposta para a população. Isso é uma prestação de contas sobre nossa atuação, feita por uma revista de circulação nacional, que faz isso todos os anos desde 2011. Eu fiquei muito feliz com a primeira colocação no estado do Amapá, onde todos os nossos deputados e deputadas têm trabalhado muito, mas isso é um reconhecimento da nossa atuação individual, é fruto do nosso trabalho e da nossa dedicação, do nosso carinho e do nosso respeito pela população. Ficamos na 35ª colocação no Brasil e em 1º no Amapá.

Diário – De um universo de 513 deputados.
Davi – Sim e eu quero dividir esse prêmio da minha avaliação parlamentar, da minha atuação política, pois estou no quarto mandato eletivo. Fui vereador de Macapá, o mais votado no ano 2000, então praticamente são 14 anos de vida pública. Dedico esse prêmio a todo o povo do Amapá, especialmente a todos aqueles que acreditaram na gente. E a nossa equipe de trabalho que faz esse ser um mandato do povo.

Diário – O jornalista Luiz Melo essa semana garantiu que o senhor não disputa a reeleição porque vai concorrer ao Senado. Isso é verdade?
Davi – Essa é uma decisão política do partido. A gente tem caminhado o estado todo escutando as pessoas e vimos agora esse movimento da sociedade brasileira pedindo mudanças, pedindo renovação do modelo político que é adotado por alguns políticos do nosso país e a gente sintonizado a esse desejo e dispostos a encarar desafios como sempre foi a nossa vida, tivemos o nosso nome colocado à disposição do partido a nível nacional, conversamos com a bancada sobre a possibilidade do Democratas ter uma candidatura viável no Amapá para disputar o Senado Federal. Tivemos esse aval a nível nacional e também aqui a felicidade de fazer a composição política na campanha do deputado Lucas Barreto, que é atual vereador, uma grande liderança, amigo pessoal e uma grande figura, carismático e cumpridor de palavra. Já manifestei em Brasília o desejo do Democratas caminhar ao lado do PSD de Lucas e este palanque regional já foi homologado.

Perfil...

Entrevistado. David Samuel Alcolumbre Tobelem, ou apenas Davi Alcolumbre, nasceu em Macapá no dia 19 de junho de 1977. É empresário e deputado federal. Foi vereador em Macapá de 2001 a 2003, tendo sido o mais votado no pleito do ano 2000 na Capital. Em 2002 foi eleito para a Câmara dos Deputados sendo reeleito em 2006 e depois em 2010, com quase 15 mil votos. É filiado ao DEM, partido do qual faz parte do Diretório Nacional e também do Conselho do Movimento Jovem. Em 2009 licenciou-se do manda-to para assumir o cargo de secretário municipal de Obras de Macapá. Em 2012 disputou as eleições para ser prefeito de Macapá, o quarto colocado naquela disputa contra Roberto, Clécio, Cristina, Milhomen e Genival.