sexta-feira, 13 de abril de 2018

DEFESA | Força Aérea aumenta sua presença no Amapá para proteção à Amazônia

Apesar de um efetivo diminuto no Amapá, destacamento da FAB reúne tecnologia embarcada de ponta e apesar de não ser ostensivo, o patrulhamento do espaço aéreo existe e pode ser letal a invasor
A região de fronteira do país é cotidianamente guarnecida pelo sobrevoo de aviões de caça como o Super Tucano.
Reportagem: Cleber Barbosa
Para a Revista Diário

Quem assiste aos desfiles cívicos do Dia da Independência no Sambódromo costuma ver – e aplaudir – à passagem de tropas do Exército e da Marinha do Brasil, mas sentindo a ausência da Aeronáutica. Sim, onde estaria a Força Aérea Brasileira (FAB), cuja sigla inclusive dá nome à principal avenida de Macapá? A gente foi em busca de respostas e localizou o major brigadeiro do Ar Carlos Minelli, que no final do ano passou o comando do I COMAR (Comando Aéreo Regional), sediado em Belém, e que atualmente é o sub-chefe de operações conjuntas do Ministério da Defesa, em Brasília.
Ele esteve no Amapá em viagem oficial e concedeu uma entrevista exclusiva à Revista Diário. Primeiro fez questão de explicar que existem peculiaridades em relação às demais forças armadas, como Exército e Marinha, pois a Aeronáutica não pode manter suas bases próximas demais a regiões de fronteiras e sim “mais para dentro” do continente – uma estratégia de defesa. “Além disso, a capacidade de mobilidade da Força Aérea é muito grande, então se você tiver um conflito ocorrendo numa parte remota do território, a primeira a chegar é a Força Aérea, independente dela estar ou não presente na fronteira, devido à capacidade e à velocidade das aeronaves”, destaca o militar.

PRESENÇA
Brigadeiro Carlos Minelli, que atualmente serve em Brasília, no Ministério da Defesa
O brigadeiro diz ainda que aumentou a participação da FAB na Amazônia, com o deslocamento de uma unidade de aviação de caça, há algum tempo, que hoje está sediada na cidade de Manaus (AM), um fato inédito, além de outras unidades presentes em Porto Velho (RO) e Boa Vista (RR). “Também existe uma unidade dos helicópteros com a maior capacidade de combate que temos, que são russos, em Rondônia, como também dos helicópteros black hawk em Manaus”, diz.

Destacamento da FAB em Macapá autossuficiente em água, energia e internet
Destacamento da Aeronáutica em Macapá, uma unidade de controle do espaço aéreo do Brasil
A missão da Aeronáutica no Amapá também é algo emblemático e merece um recorte, visto que o Destacamento de Macapá é comandado normalmente por um tenente ou capitão – portanto sem a presença de oficial superior (major, tenente-coronel ou coronel). Porém, possui muita tecnologia embarcada, a ponto de ser autossuficiente em água, energia elétrica e internet. “Aqui em Macapá nós temos  um destacamento de proteção ao voo, como temos em Belém, Manaus, Boa Vista e uma série de lugares. É uma porção avançada da Força Aérea, dotada de radares, sistema de comunicação e de transmissão de dados que fazem parte da cobertura radar de comunicações de todo o Brasil e tem uma relação direta não só com o tráfego civil, mas também com as operações militares”, explica Minelli. A unidade está subordinada ao “Cindacta 4” [Quarto Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo], conhecido com o CINDACTA da Amazônia, em Manaus.
Toda a visualização dos radares  instalados no Amapá é replicada em Manaus e em Brasília, o que possibilita preservar o centro de operações afastado das zonas de fronteira que normalmente são as de maior probabilidade de se ter algum tipo de litígio. Mas que ocorrências poderiam ser? Se pensou em guerra, pode até ser, mesmo com o Brasil sendo um país pacífico e que não costuma se intrometer nos conflitos de outras nações. Mas o que a FAB lida no dia a dia são outros litígios, os chamados crimes transfronteiriços, como tráfico de armas,  contrabando de drogas e coisas do gênero, que a Força Aérea tem atuado juntamente com o Exército e a Marinha, de uma forma bem marcante ao longo dos dois últimos dois anos com as chamadas operações interagências.

CADA QUAL
As atribuições de cada ente no controle do espaço aéreo do Brasil podem suscitar dúvidas, afinal existe a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e a própria FAB, esta última uma Força Armada, um órgão portanto militar. Qual a competência de cada um? Isso o brigadeiro Carlos Minelli também explica. Segundo ele, a ANAC trabalha com legislações e regulamentações de aviação civil e isso tem uma  relação direta com as companhias aéreas, portanto envolve também relações internacionais. “Assim como existem companhias aéreas internacionais operando no Brasil, também temos empresas brasileiras operando no exterior, portanto há que haver uma regulação com relação a tarifas e uma série de outras coisas para que se respeite os direitos de cada país e ao mesmo tempo se mantenha a liberdade de locomoção e a facilidade de você quebrar barreiras para ajudar a expandir o comércio e etc”, avalia.
Já o controle do tráfego aéreo, há muito tempo, nas décadas de 60 e 70, passou a ser trabalhado de uma forma mais moderna, com radares, devendo ser feito de maneira integrada, ou seja, tanto para o controle do tráfego aéreo civil quanto o controle do tráfego aéreo militar, uma estrutura gigantesca, com mais de 170 radares espalhados em todo o território nacional, tudo muito sincronizado e operante.
Ainda de acordo com as informações repassadas pelo ex comandante do I Comar, esse sistema integrado do Brasil já é observado e copiado por países até mais desenvolvidos, como a Alemanha. “Seria, em termos de Brasil, absurdamente caro você querer manter dois sistemas totalmente independentes”, diz ele. E esse compartilhamento em tempo real possibilita que qualquer adversidade seja imediatamente processada, tanto que há quem diga que o fatídigo 11 de setembro, nos Estados Unidos, poderia ter tido uma resposta mais rápida, pois lá o sistema de controle do tráfego aéreo é separado – para tráfego civil e militar.

JURISDIÇÃO
O Ministério da Defesa está veiculando nas emissoras de tv do país uma peça publicitária sobre o papel da Força Aérea Brasileira, onde aparece a inscrição “Dimensão 22”, o que também levanta curiosidade a respeito do que se trata. Segundo o brigadeiro Minelli é uma alusão ao fato de que a área sob juridição da FAB, que vai desde o próprio espaço aéreo do país, suas águas oceânicas, como também uma vasta área sobre área oceânicas internacionais, o que significa dizer 22 milhões de quilômetros quadrados. “O Brasil é dividido em quatro centros integrados de defesa aérea e controle do tráfego aéreo, sendo instalados em Brasília, Curitiba, Recife e em Manaus. E cada centro desse é responsável por áreas de dimensões gigantescas, sendo que a área do território brasileiro são 8,5 milhões de quilômetreos quadrados; a isso você soma mais toda a área adjacente do mar, passamos a praticamente 11 milhões de km², que acrescidos  aos 11 milhões de km² em cima do oceano Atlântico, que apesar de não ser território brasileiro, nós temos que prestar informações de voo, então a sobre área de controle e responsabilidade equivale a 22 milhões de quilômetreos quadrados, o que é quase três vezes o tamanho do território brasileiro”, explica.

CONFIANÇA
O representante da Força Aérea Brasileira também dirige uma mensagem aos brasileiros que moram no Amapá, dizendo que todos devem ter absoluta certeza de que os aviões da FAB estão voando e as pessoas podem até não ver. “Mas as ondas de radares de comunicação e transmissão de dados estão aí no ar mantendo a vigilância e a soberania do nosso país e também isso não se pode ver e é uma grande honra para mim poder prestar essas informações e ajudar a esclarecer o povo brasileiro, pois um dos grandes passos para o progresso e o desenvolvimento é o entendimento e a compreensão de tudo o que acontece”, conclui.
Nota: Coube a então presidente Dilma Rousseff, em maio de 2016, assinar o decreto 8.758 que autoriza o abate de aeronaves invasoras ao espaço aéreo do Brasil.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, quinta-feira, dia 12 de abril de 2018.


Ministra

Ao se despedir da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, braço da Presidência da República, a ex ministra Fátima Pelaes (MDB-AP), confirma projeto para enfrentar um novo desafio, ser pré-candidata ao Senado Federal.

Mulher

Em mensagem dirigida aos servidores da Secretaria, a amapaense demonstrou gratidão. “Os desafios foram muitos, mas enfrentamos com determinação e a segurança de saber que não estava sozinha”, disse.

Na conta

O Governo Federal autorizou o pagamento de mais um aporte de emendas de Vinícius Gurgel para Tartarugalzinho. A verba de R$ 762.136,00 já está disponível a prefeitura e será investido na saúde local.

Interior

A 2ª parcela na ordem de R$ 520.136,00 será destinada à pavimentação em bloquetes e construção de meio fio no bairro Central. O valor total da emenda é de R$ 1.040.272,00 e também já foi paga à Prefeitura.

Saque

O trabalhador que pedir demissão está mais perto de poder sacar integralmente o FGTS. Projeto de lei do Senado com esse objetivo, o PLS 392/2016, foi aprovado pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS).

Na BR 210
Leitora da coluna nos envia essa imagem de uma criança andando solta e com o rosto para fora da janela, sem cinto de segurança e ainda no banco da frente. De fato, está tudo errado e a gente faz esse alerta pois um acidente nessas circunstâncias poderia ter um desfecho trágico.
Um freio brusco já causaria machucados.

Fraudas

O senador Randolfe apresentou o Projeto de Lei que estabelece a construção de banheiros públicos familiares em locais de grande circulação de pessoas. Pelo texto, as instalações devem ter estrutura para permitir o uso de crianças de até 10 anos acompanhadas de responsável, além de fraldário.

Elesbão

O deputado Marcos Reátegui esteve em Santana no fim de semana, participando de uma ação liderada pela Promotoria do Meio Ambiente nas comunidades do Ambrósio e Elesbão, ocasião em que conversou com os moradores sobre seus principais problemas. São pescadores e pequenos extrativistas.

Aprosoja

Daniel Sebben, presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Amapá, cai em campo com demais empreendedores do setor, para retomar o plantio deste ano. Serão possivelmente duas colheitas, daí a pegada focada em resultados. Na próxima semana apresenta os números.


TURISMO | Piloto amapaense da Latam, Jorge Mareco homenageado pela companhia

O Comandante Jorge Mareco, em noite de gala "Líderes de Serviço", em São Paulo
Lílian Azevedo
Da Redação

O piloto amapaense Jorge Mareco, da Latam, que vira e mexe aparece aqui no CleberBarbosa.Net, acaba de receber mais um reconhecimento pelo profissional dedicado e diferenciado que é. Recebeu, mais uma vez, honroso convite para participar da festa "Líderes de Serviço da LATAM", celebração essa que reconhece e homenageia os destaques dos vários setores da empresa.
Mas dessa vez foi um pouco diferente, teve um “gostinho a mais” que o deixou extremamente orgulhoso e feliz: Entre todos os pilotos da companhia aérea sul-americana, foi o mais elogiado pelos nossos clientes, numa plataforma de interação com os passageiros, que avalia a experiência de voar Latam.
Em sua página em uma famosa rede social, ele agradeceu a honraria. "E desses vários elogios, sei que muitos saíram de pessoas que estão aqui no Facebook e que me seguem até hoje. E a essas pessoas que “gastaram” o seu precioso tempo para elogiar esse humilde Comandante, meu mais sincero muito obrigado, de coração! Sejam todos sempre muito bem-vindos à bordo!!! #SOMOSLATAM", escreveu o piloto.

Leia também:
UM SONHO REALIZADO: A saga do piloto amapaense Jorge Mareco, da Latam
O MUNDO PELA JANELA: As fotos tiradas pelo piloto amapaense Jorge Mareco

SAÚDE | Ministério da Saúde diz ser "fake news" notícia sobre vírus H2N3 no Brasil

O suposto Vírus H2N3, que estaria matando dezenas de pessoas no Brasil e vacina não protege, diz boato
Da Agência Saúde

O Ministério da Saúde informa que não existe uma cepa “H2N3” de vírus da influenza no Brasil. Essa é uma informação inverídica que está circulando nas mídias sociais. Os vírus de influenza que atualmente circulam no Brasil são o influenza A/H1N1pdm09, A/H3N2 e influenza B. A vacina contra gripe, cuja campanha inicia no segunda quinzena de abril, protege contra estes tipos de três vírus.

O Ministério da Saúde se mantém vigilante quanto à circulação de vírus influenza no Brasil. O país possui uma rede de unidades sentinelas para vigilância da influenza, distribuídas em serviços de saúde em todas as unidades federadas. Com esta rede é possível monitorar a circulação do vírus influenza por meio da captação de casos de síndrome gripal (SG) e síndrome respiratória aguda grave (SRAG).

Em 2018, até 07 de abril, foram registrados 286 casos de influenza em todo o país, com 41 óbitos. Do total, 71 casos e 12 óbitos foram por A/H3N2. Em relação ao vírus A/H1N1pdm09, foram registrados 116 casos e 16 óbitos. Ainda foram registrados 52 casos e 6 óbitos por influenza B e os outros 46 casos e 7 óbitos por influenza A não subtipado. Em 2017, o vírus influenza A/H3N2 foi predominante no Brasil durante a sazonalidade e foram registrados 2.691 casos e 498 óbitos por influenza; até a SE 14 de 2017 haviam registrados 344 casos de influenza no país, com 59 óbitos.

TIPOS DE INFLUENZA
Reprodução do áudio repassado pelas redes sociais pelo país inteiro, inclusive no Amapá
O vírus influenza é uma infecção viral aguda do sistema respiratório, de elevada transmissibilidade e distribuição global. Uma pessoa pode contraí-la várias vezes ao longo da vida e, em geral, tem evolução autolimitada. Porém, em alguns casos, pode evoluir para uma forma grave. Os vírus influenza são transmitidos facilmente por pessoas infectadas ao tossir ou espirar. Existem três tipos de vírus influenza: A, B e C. O tipo C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública, não estando relacionada com epidemias. O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias.

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, quinta-feira, dia 12 de abril de 2018.

Imprensa

Estão abertas as inscrições até 2 de maio para jornalistas profissionais de todos os níveis de experiência, que podem participar do edital “Jornalismo Investigativo em Direitos Humanos, Aborto e Saúde Pública”, uma iniciativa do Instituto Patrícia Galvão.

Parceiros

Essa iniciativa conta com apoio institucional da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e da Global Health Strategies Brasil. Estas são, portanto, as últimas semanas do edital.

Inscrições

Trata-se de um tema relevante e complexo como o aborto precisa ser apurado com tempo e profundidade, algo que o cotidiano dos jornalistas nem sempre permite. Propostas para concurso@patriciagalvao.org.br.

Ciências

Por falar em inscrições, o Prêmio Jovem Cientista está com as inscrições abertas no Amapá. Iniciativa premia projetos na área de sustentabilidade ambiental, biodiversidade, empreendedorismo e educação. 

Conquista

O tema deste ano é “Inovações para conservação da natureza e transformação social”. As Inscrições seguem no site oficial www.jovemcientista.cnpq.br até 31 de julho. Vencedores ganham bolsa de estudos.

Anuncie!
Olha aí a publicitária e jornalista Marly Mafalda mostrando como se pode vestir a camisa por uma causa! Isso mesmo, ela mostra uma criativa estampa sobre como o mercado publicitário pode e deve se reinventar. Anuncie! A publicidade certamente produz resultados palpáveis para quem anuncia. Se não ninguém sabe de você!

Curitiba

O governador Waldez acompanhou ontem uma comitiva de gestores do Norte e Nordeste, para fazer uma visita a Luís Inácio Lula da Silva, em Curitiba. Os gestores estaduais disseram que era um gesto de solidariedade ao ex-presidente e em defesa da democracia. Mas a PF não permitiu o ato.

Gratidão

Para Góes, o momento dificílimo ao qual o país atravessa não será superado com divisões, demonstrações de extremismo ou intolerância. “Viemos trazer ao ex-presidente Lula nossa solidariedade pela sua trajetória de lutas e porque fez muito pela Amazônia, pelo Amapá e pelo povo brasileiro”, declarou. 

Grupo

O governador encontrou-se pela manhã em Brasília com a comitiva e seguiu para Curitiba onde chegaram por volta de 11h30. A visita estava prevista para às 15h. A comitiva era formada por um total de nove governadores, sendo que alguns como Waldez discursaram no ato público.


quarta-feira, 11 de abril de 2018

AMAPÁ | Ex deputado Michel JK eleito para presidir o Tribunal de Contas do Estado

O conselheiro do TCE-AP Michel Houat Harb, eleito novo presidente da Corte de Contas | Fotos: Ascom
O conselheiro Michel Houat Harb foi eleito presidente do Tribunal de Contas do Estado do Amapá (TCE/AP) para o biênio 2019/2020, juntamente com o conselheiro Amiraldo Favacho (1º vice-presidente) e o conselheiro Ricardo Soares (2º vice-presidente).
A eleição ocorreu hoje (11), em sessão ordinária, no plenário da instituição.  O atual ouvidor geral do Tribunal Michel Houat assume o mandato a partir de 22 de janeiro de 2019.
Em seu discurso, o presidente eleito cumprimentou os membros do Plenário e fez agradecimentos “primeiramente a Deus pela oportunidade de desempenhar mais um desafio, vou me propor em fazer sempre o melhor com a ajuda dos conselheiros que integrarão a minha gestão”. Ao final garantiu dar continuidade ao trabalho que vem sendo desenvolvido nos últimos anos, com foco principal na orientação dos gestores e no combate ao desperdício dos recursos públicos.

Chapa
Amiraldo Favacho (1º vice-presidente), presidente Michel e o conselheiro Ricardo Soares (2º vice-presidente)
Michel Houat Harb, natural de Macapá(AP), com 39 anos, graduado em Ciências Econômicas pelo Centro de Ensino Superior do Amapá. Foi empossado no cargo de conselheiro do Tribunal de Contas em 2016 e, em 24 de janeiro de 2017, nomeado para a função de Ouvidor Geral do Tribunal.

TECNOLOGIA | 'Seja Digital' apresenta estratégia para desligamento analógico de TV

Aspecto da coletiva de imprensa em Macapá, na manhã desta quarta-feira | Fotos: Marcelle Nunes
A partir do dia 14 de agosto de 2018, a programação dos canais abertos de televisão será transmitida apenas pelo sinal digital, com imagem e som de cinema. A 'Seja Digital' é a entidade não governamental e sem fins lucrativos, responsável por operacionalizar a migração do sinal analógico para o digital da televisão aberta no Brasil. Diretores e coordenadores apresentaram nesta quarta-feira (11) num hotel de Macapá o cronograma e as estratégias para a distribuição gratuita dos kits tecnológicos que permitem a pessoas de baixa renda continuar recebendo o sinal da tv aberta nos aparelhos antigos.
Criada por determinação da Anatel, a entidade tem como missão garantir que a população tenha acesso à TV Digital, oferecendo suporte didático, desenvolvendo campanhas de comunicação e mobilização social e distribuindo kits gratuitos com antena digital e conversor com controle para as famílias de menor renda atendidas pelo Governo Federal. Além da capital, o sinal analógico também será desligado em outras 2 cidades: Mazagão e Santana.
A migração do sinal analógico de TV para o sinal digital representa um grande avanço tecnológico e coloca o Brasil no mesmo patamar de países como Estados Unidos e Reino Unido. “Ao ser desligado, o sinal analógico de TV vai liberar a faixa de radiofrequência dos 700 MHz e permitir que as operadoras de telefonia móvel possam ativar a tecnologia 4G, que é mais veloz, tem melhor qualidade, e maior cobertura, inclusive em ambientes fechados”, afirma Antonio Carlos Martelletto, presidente da Seja Digital.

Informar, orientar e mobilizar
Para informar e preparar a população, a estratégia da Seja Digital é implementar campanhas e ações que mantenham a entidade muito próxima das comunidades menos digitalizadas em cada uma das cidades. “O processo acontecerá de maneira semelhante ao que fizemos em mais 500 cidades brasileiras”, afirma Patrícia Abreu, diretora de comunicação da Seja Digital. “Além da campanha com filmes na TV e na internet, teremos peças de comunicação por toda a região e equipes atuando em locais estratégicos para abordar a população e orientar sobre a instalação da antena, do conversor e como fazer o agendamento para retirar o kit gratuito.”A Seja Digital tem como parte de suas atribuições distribuir kits gratuitos com antena e conversor para a população de menor renda atendida pelo Governo Federal.
A lista com os nomes é fornecida pelo Governo Federal para que a Seja Digital informe ao público por meio de cartas e campanhas de comunicação e possa agendar a retirada dos equipamentos. Os kits gratuitos são compostos de antena digital e conversor com controle remoto.Para saber se tem direito ao kit gratuito, a população das 3 cidades deve acessar o site sejadigital.com.br/kit ou ligar gratuitamente para o número 147 com o NIS (Número de Identificação Social) em mãos. Se o nome estiver na lista, deverá escolher dia, horário e local para agendar a retirada do kit gratuito. Caso não esteja na lista, basta preencher o formulário com os dados de contato para que a pessoa possa receber em primeira mão a orientação necessária sobre como preparar sua residência para receber o sinal digital de TV.

Sobre a Seja Digital
O jornalista Cleber Barbosa com o diretor regional Carlos Geo, da organização "Seja Digital"
A Seja Digital (EAD - Entidade Administradora da Digitalização de Canais TV e RTV) é uma instituição não governamental e sem fins lucrativos, responsável por operacionalizar a migração do sinal analógico para o sinal digital da televisão no Brasil. Criada por determinação da Anatel, tem como missão garantir que a população tenha acesso à TV Digital, oferecendo suporte didático, desenvolvendo campanhas de comunicação e mobilização social e distribuindo kits para TV digital para as famílias cadastradas em programas sociais do Governo Federal. Também tem como objetivos aferir a adoção do sinal de TV digital, remanejar os canais nas frequências e garantir a convivência sem interferência dos sinais da TV e 4G após o desligamento do sinal analógico. Esse processo teve início em abril de 2015 e, de acordo com cronograma definido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, mais de 1300 municípios terão o sinal analógico desligado até 2018

terça-feira, 10 de abril de 2018

POLÍTICA | O discurso do governador Waldez Góes de apoio à Lula, em Curitiba

Vídeo mostra as declarações do governador do Amapá que engrossou o coro dos gestores estaduais do Norte e Nordeste que foram ao Paraná hipotecar apoio e solidariedade ao ex presidente Lula, que cumpre pena de prisão na PF em Curitiba.

Leia também:
POLÍTICA | Waldez e comitiva de governadores são impedidos de visita a Lula em Curitiba

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, terça-feira, dia 10 de abril de 2018.


Diagro

Servidores da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária foram beneficiados com a sanção de duas leis que regulamentam carreira (PCCR) do Grupo de Fiscalização Agropecuária. As leis foram sancionadas na frente deles pelo governador Waldez Góes.

Carreiras

A lei 0018/18 é a do PCCR para 85 servidores que atuam no órgão. Já a Lei nº 0017/18 modifica o enquadramento dos servidores da Diagro, abrindo caminho para instituição das cargos, carreiras e remunerações.

ALAP

As boas notícias seguem repercutindo também no Parlamento Estadual, que fez sessão extra no sábado para leitura de mensagens do Executivo que versam sobre os ajustes nas carreiras dos servidores do GEA.

Projetos

Ontem, na ALAP, os projetos passaram pelo crivo da Comissão de Administração Pública (CAP), sob relatoria do deputado Fabrício Furlan (PCdoB). Na verdade são 4 projetos de lei (PL) enviados pelo Setentrião.

Carreiras

Essas medidas são a consequencia do diálogo feito com diversas categorias funcionais, com destaque para servidores dos quadros da Polícia Civil, da Educação, da Diagro, dentre outras carreiras do estado.

Cruzeiro
Tá vendo essa ‘canoa’ aí da foto? Pois é esse é simplesmente o maior navio de cruzeiro do mundo. Se você tem curiosidade como é viajar no Symphony of the Seas, a repórter Adriana Setti conta como é, em detalhes. A história pode ser conferida em nosso Blog, em parceria com o site Viagem&Turismo. Acesse em www.cleberbarbosa.net.

PMM

O prefeito Clécio empossou 22 novos gestores, em secretarias e coordenadorias municipais. Foi uma cerimônia bastante concorrida, claro, afinal nunca se viu uma reforma de secretariado desse tamanh por aqui. Alguns que são candidatos até davam pinta, com discurso prontinho para ir à galera.

Destaque

Representando os gestores que deixam a equipe, Silvana Vedovelli agradeceu a oportunidade. “Conseguimos alavancar a saúde, mas sei que ainda temos muito o que crescer e é por isso que agradeço por esse trabalho que desenvolvemos”. Depois, confirmou especulações de bastudores sobre ser a vice de Davi.

Pista

Sem confirmar que ela será mesmo sua companheirade chapa, Davi Alcolumbre rasgou elogios à ex secretária em seu discurtso no evento. “A Silvana representa aqueles que têm na política a oportunidade de melhorar a vida das pessoas e estamos escassos de gente assim”, disse ele.


POLÍTICA | Deputada Luciana Gurgel anuncia licença da ALAP, mas disputará reeleição

Entrevistada no quadro PAPO RETO, a deputada estadual Luciana Gurgel (PR-AP) confirma pedido de licença do mandato, explica seus motivos e faz balanço positivo dessa primeira experiência no Parlamento Estadual do Amapá.

POLÍTICA | Waldez e comitiva de governadores são impedidos de visita a Lula em Curitiba

Governador amapaense, que acompanha comitiva de gestores do Norte e Nordeste, afirmou que visita era um gesto de solidariedade ao ex-presidente e em defesa da democracia.
O governador do Amapá faz uso da palavra na mobilização com colegas de outros estado sem Curitiba
O governador do Amapá, Waldez Góes (PDT) acompanhou a comitiva de oito governadores das Regiões Norte e Nordeste que tentaram visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta terça-feira, 10, na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, no Paraná, onde o petista começou a cumprir pena.
A visita foi negada pela juíza Carolina Moura Lebbos, que indeferiu o pedido esta tarde. "Com efeito, não há fundamento para a flexibilização do regime geral de visitas, próprio à carceragem da Polícia Federal. Desse modo, deverá ser observado o regramento geral. Portanto, indefiro o requerimento", afirmou em despacho a juíza da 12ª Vara Federal de Curitiba.
Para Góes, o momento dificílimo ao qual o país atravessa não será superado com divisões, demonstrações de extremismo ou intolerância. “Viemos trazer ao ex-presidente Lula nossa solidariedade pela sua trajetória de lutas e porque fez muito pela Amazônia - historicamente esquecida -, pelo Amapá e pelo povo brasileiro. A hora é de serenidade e de união pela manutenção das garantias democráticas”, afirmou.
O governador encontrou-se pela manhã em Brasília com a comitiva e seguiu para Curitiba onde chegaram por volta de 11h30. A visita estava prevista para às 15h. A comitiva era formada pelos governadores do Nordeste Renan Filho (MDB-Alagoas), Rui Costa (PT-Bahia), Flávio Dino (PC do B-Maranhão), Ricardo Coutinho (PSB-Paraíba), Wellington Dias (PT-Piauí), Camilo Santana (PT-Ceará) e Paulo Câmara (PSB-Pernambuco). Além deles, o governador Tião Viana (PT-Acre) da Região Norte e, o próprio Waldez Góes, discursaram em ato público nas imediações da sede da Polícia Federal onde se concentram apoiadores de Lula.
Os governadores assinaram uma carta de apoio ao ex-presidente lamentando não terem podido “abraçá-lo pessoalmente” e criticaram a decisão da Vara Federal de Curitiba que, para eles, não cumpriu adequadamente a Lei de Execuções Penais. “Por nosso intermédio, milhões de brasileiros e brasileiras estão solidários e sendo a sua voz por um Brasil mais justo, democrático soberano e livre. Lula Livre! Forte e fraternal abraço”, diz o trecho final da carta.
O governador Waldez Góes, foi a Curitiba em viagem não-oficial, o que significa que as despesas correram por sua conta e do PDT do Amapá.
Governadores assinaram carta de apoio ao ex-presidente lamentando não terem podido “abraçá-lo pessoalmente”
Leia também:
POLÍTICA | O discurso do governador Waldez Góes de apoio à Lula, em Curitiba

TURISMO | Depois do Trapiche, agora a Estação Rodoviária entregue a gestão privada

Abertura do envelope com proposta para administrar o Terminal ocorreu na segunda-feira, na Setrap | Maksuel Martins
A Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico Ltda. (SINART) foi a vencedora da licitação realizada pelo governo do Estado para administrar o Terminal Rodoviário de Macapá. A empresa, que vai administrar o espaço por 25 anos, anunciou investimentos de R$ 2 milhões na reforma do terminal.
A abertura da única proposta apresentada para a para concessão do Terminal aconteceu nesta segunda-feira, 9, na sala de reuniões Comissão Permanente de Licitação (CPL), da Secretaria de Estado de Transporte (Setrap).
O edital de licitação chegou a consultado por 13 empresas, a maioria de fora do Estado, mas apenas a SINART apresentou proposta através de seu representante para acompanhar a sessão pública para recebimento de documentação e propostas.
A partir desta segunda-feira, começa a contar o prazo de cinco dias para recurso. A expectativa do governo é que a assinatura do contrato ocorra em, no máximo, 20 dias. De acordo com o diretor de Transportes da Setrap, Andrey Rego, a privatização de terminais de ônibus já é uma realidade em vários Estados brasileiros. Ele explicou que a licitação seguiu as referências de processos realizados em outros lugares do país. “Foi um processo que já vinha sendo discutido há muito tempo e, hoje, concluímos com esta empresa vencedora que já atua há bastante tempo no mercado e administra vários terminais pelo país”, destacou Rego.
O diretor ressaltou que, em breve, será possível notar a organização e restruturação do Terminal Rodoviário de Macapá. “A expectativa é que em dois anos, a população possa começar a sentir as mudanças, o que vai significar um ganho muito grande pra sociedade e principalmente para o Estado, que vai passar a receber pela concessão”, adiantou Andrey Rego.
A concessão deve iniciar nos próximos meses. O governo passa a receber pelo serviço após o quinto ano de vigência. Encerrado o prazo de 25 anos, a empresa devolve o espaço para o estado.
O presidente da SINART, Eduardo Pedreira, revelou que serão investidos mais de R$ 2 milhões na infraestrutura e modernização do terminal, garantindo aos usuários do transporte coletivo intermunicipal, um ambiente com mais comodidade e conforto. “Com a modernização, o terminal será todo informatizado, o espaço ganhará som ambiente, entre outras melhorias. Nosso objetivo é fazer com que ele se torne um modelo, trazendo para cá a padronização adotada nos demais terminais rodoviários administrados por nós”, frisou Pereira.

Sobre a empresa
A Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico Ltda. (SINART) tem sede administrativa em Salvador (BA) e administra 47 terminais rodoviários em dez Estados, destes, 9 em capitais.
Há 15 anos é responsável pela administração de terminais rodoviários no Pará, com destaque para o terminal rodoviário de Belém e outros 17 municípios como Marabá, Castanhal, Parauapebas e Santarém.
Na região Nordeste, administra terminais rodoviários na Bahia, Alagoas e Piauí. Atua, também, na região Centro-oeste, em Goiás e Mato Grosso. Em São Paulo, é responsável pela administração do terminal rodoviário de São Bernardo do Campo.


POLÍTICA | O novo “time” do prefeito de Macapá anuncia diretrizes e metas a alcançar

Reforma administrativa visa adequar a gestão, já que alguns gestores irão concorrer ao pleito eleitoral | Foto: Max Renê

Lilian Azevedo
Da Redação

O prefeito de Macapá, Clécio Luiz (REDE) deu posse ontem (09) a 22 novos gestores municipais, entre titulares e adjuntos das secretarias e coordenadorias da Prefeitura de Macapá. Após a entrega dos decretos, Clécio destacou a importância da oxigenação de sua equipe administrativa, agradeceu a cada um e cada uma que estão saindo para disputar as eleições e em seguida falou aos empossados. “Muitos já estavam em outras pastas ou trabalhavam em outros setores. Agora estamos reconhecendo o seu trabalho, como é o caso da Sandra Casimiro e outros vários exemplos como esse. Mas todos têm a tarefa de fortalecer nossa gestão. Quero agradecer a todos aqueles que fizerem parte e aos que estão chegando, sejam todos bem-vindos”, discursou o prefeito.

O blog CleberBarbosa.Net conversou com alguns desses novos agentes públicos da máquina administrativa da PMM para saber quais são suas principais metas de ação.

O inspetor de carreira da Guarda Municipal, Charles Rui Seco, assume o Comando Geral exatamente quando o país rediscute o papel das tropas municipais e a ajuda que deverão dar ao enfrentamento da violência. “Hoje a Guarda Municipal está se tornando uma polícia comunitária, daí seu caráter preventivo por estar mais próxima do munícipe por atuar exatamente na cidade”, disse ele. O novo comandante também diz que a instituição está trabalhando para cumprir a Lei 13.022, que prevê arma de fogo para todas as guardas municipais de capitais e que os ‘Sparks’ que vem sendo experimentados em Macapá mostram que a corporação está preparada. “Ela é menos letal e serviu como um grande teste, pois não tivemos nenhuma ocorrência grave como o uso indevido do armamento”, disse ele.


O turismólogo Sandro Bello Barriga assumiu o Instituto de Turismo de Macapá e disse ter uma grande satisfação em poder contribuir com um setor que acredita poder trazer retorno para a cidade e o estado. “O turismo tem muito a contribuir com o desenvolvimento local com a geração de emprego e renda e minha missão é dar continuidade ao trabalho que vinha sendo desenvolvido de reagregar esse setor que além de estar fortalecido tem um papel forte no sentido da zeladoria do município, fazendo também com que a população que mora na cidade possa cuidar melhor de sua casa, pois só podemos falar em turismo a partir do momento que a população tiver consciência da importância de cuidar de Macapá para poder receber bem o visitante.


A ex deputada federal Raquel Capiberibe, que é presidente do PEN diz que seu ingresso na equipe do prefeito Clécio é sim fruto de uma aliança política e brevemente eleitoral, já que seu partido estará numa “perna” voltada à eleição proporcional, juntamente com PSOL, PMN, PCB e o PV. Ela assumiu a Coordenadoria Municipal da Acessibilidade e diz ter encontrado a pasta com pouca ou quase nenhuma estrutura, daí o foco inicial em buscar esses instrumentos para poder dar vazão à uma política que entre tantas prioridades quer olhar para o transporte público. “Além dos equipamentos de acessibilidade vamos olhar também para as posturas, pois muitos ônibus simplesmente não param para os cadeiras, arrancam o veículo com idosos ainda embarcando ou saltando do ônibus, então vamos fazer uma avaliação também da acessibilidade dos órgãos públicos municipais e também garantir o transporte gratuito dos acompanhantes das pessoas com dificuldades de locomoção”, disse Raquel.


Mais aplaudida entre os gestores que deixaram as secretarias municipais, Silvana Vedovelli acabou revelando o porquê de tamanho entusiasmo. Ela deverá ser a indicação do grupo político do prefeito Clécio Luiz para ser a vice da chapa encabeçada pelo senador Davi Alcolumbre (DEM) na disputa pelo Governo do Estado. “Fui convidada para compor a chapa, como pré-candidata a vice-governadora, então esse será um dos maiores desafios dois quais eu já passei até hoje, mas vamos encara-lo com toda a seriedade e tranquilidade para que possamos ter um futuro a cada dia melhor”, declarou. Sobre sua passagem pela pasta da saúde municipal, se disse satisfeita com os resultados, admitindo que apesar de ter feito muito ainda há muita coisa a ser melhorada e estará sempre à disposição para contribuir.


O publicitário Diniz Sena, virou uma espécie de ‘super secretário’ da administração, pois passa a acumular as funções de coordenador de comunicação da PMM com a titularidade da Secretaria de Assuntos Estratégicos, cargo antes ocupado pelo ex deputado Evandro Milhomen. “Estamos assumindo também o papel da articulação institucional da Prefeitura, junto à Câmara, junto aos órgãos institucionais e também nesse diálogo com a imprensa, mas substituir o Milhomen é muito difícil...”, brincou o novo gestor. Diniz também destacou que a Prefeitura vem conseguindo bons resultados em suas campanhas de comunicação, especialmente através dos canais de interação com a população pela internet “sem deixar de falar só o que a população quer ouvir, mas também o que precisa ser dito pois a cidade melhor é uma construção de todos”, concluiu.


O ex deputado federal Luís Carlos deixou depois de quase dois anos, a presidência da MacapaPrev e diz com dinheiro em caixa e com salários em dia para aposentados e pensionistas. “Para mim foi um período que me enobreceu muito, pois cresci muito como homem público, então queria agradecer imensamente a confiança do prefeito Clécio, um período exitoso em que pudemos realizar diversas ações voltadas principalmente aos nossos beneficiários não só em relação à estrutura física, nos atendimentos, como também na celeridade quanto aos direitos pleiteados, afinal todos têm uma idade avançada”, disse o ex gestor. Ele também reforçou que a Macapá Previdência tem sim liquidez para pagar seus servidores aposentados e isso se mostra pela regularidade de recebimentos, daí a manutenção estável das suas contas de fundos de previdência, sem passar recursos para pagar folhas de ativos como já se especulou.

segunda-feira, 9 de abril de 2018

TURISMO | Como é viajar no maior navio de cruzeiro do mundo, o Symphony of the Seas

Symphony of the Seas: uma cidade flutuante com capacidade para até 6.670 passageiros (Cássio Leitão/Arquivo pessoal)
Adriana Setti
Viagem&Turismo

Novo rebento da Royal Caribbean, o Symphony of the Seas mede 362 metros de comprimento e custou US$ 1,5 bilhão. Assim como o Harmony of the Seas, lançado em 2016, ele é quase do tamanho do Empire State Building de Nova York deitado. No entanto, supera seu antecessor em 1,1 tonelada de arqueação bruta – ou seja, é um tiquinho mais volumoso. Vendo os dois gigantes lado a lado, você não seria capaz de detectar a diferença. Mas quem se importa com isso? Maior navio de cruzeiros do mundo, com capacidade para 5.518 hóspedes em ocupação dupla nas suas 2.759 cabines (e 6.670 com lotação máxima, incluindo bi-camas e afins), o 25o integrante da frota da armadora americana zarpou do porto de Barcelona dia 7 de abril para sua viagem inaugural. Recheado de inovações tecnológicas, além de espetáculos, atrações e restaurantes inéditos, ele navegará pelo Mediterrâneo até outubro e, a partir de novembro, fará a rota entre Miami e o Caribe.
The Ultimate Abyss, o tobogã mais alto dos oceanos, é um dos superlativos do maior navio de cruzeiro
do  mundo (Cássio Leitão/Arquivo pessoal)

Batalha laser e superproduções

Quarto navio da classe Oasis da Royal Caribbean, que vem agregando “maiores do mundo” desde 2009 (quando foi lançado o Oasis of the Seas), o Symphony of the Seas não é muito diferente de seus irmãos. Mas ele traz algumas novidades de peso. O upgrade nas atrações vem em forma de uma arena de Laser Tag, espécie de videogame ao vivo em que duas equipes de jogadores se enfrentam com armas de raio laser na batalha pelo Planeta Z.
Central Park, um dos espaços mais bacanas do navio, com 12 mil plantas de verdade e restaurantes incrementados
(como o Jamie’s Italian) (Adriana Setti/Arquivo pessoal)

No gigantesco Royal Theatre, está em cartaz uma versão reciclada do espetáculo Hairspray, um musical da Broadway inspirado nos anos 1960 e vencedor de oito prêmios Tony, o Oscar do teatro americano (no Brasil, a peça foi protagonizada por Edson Celulari e Danielle Winits). A partir de maio, os passageiros também poderão assistir Flight, produção original da Royal Caribbean sobre a arte de voar, que contou com a consultoria do astronauta Clayton C. Anderson e contará com uma reprodução em tamanho real do avião com o qual os irmãos Wright levantaram voo em 1903. As duas montagens engrossam a programação, que já era um dos pontos fortes da classe Oasis. No espetáculo de patinação no gelo, por exemplo, 40 drones fazem um balé sincronizado sobre o palco, enquanto no lado externo, no Aqua Theatre, atletas olímpicos de várias partes do mundo fazem um show de acrobacias aquáticas.

Mais atrações do Transatlântico
O espetáculo de patinação no gelo 1977, “A Thrilling Adventure On Ice”. Detalhe: por baixo da pista congelada há uma tela gigante de alta resolução (SBW-Photo/Divulgação)

Entre os artistas, há atletas olímpicos de vários países (SBW-Photo/Divulgação)

O Aqua Theatre, onde acontece um show de acrobacias aquáticas profissionalíssimo, protagonizado por atletas olímpicos de saltos ornamentais e nado sincronizado (SBW-Photo/Divulgação)

Perfect Storm, outro tobogã radical do Symphony of the Seas (SBW-Photo/Divulgação)

POLÍTICA | Ex secretária de saúde de Clécio indicada para ser vice de Davi Alcolumbre

A ex secretária de saúde da PMM, Silvana Vedovelli (direita) e o senador Davi Alcolumbre (DEM) | Foto: Bruno Gabriel
Cleber Barbosa
Da Redação


A enfermeira Silvana Vedovelli, que vinha exercendo o cargo de secretária municipal de Saúde de Macapá, confirmou nesta segunda-feira (09) seu desligamento da pasta para o mais alto salto na carreira: ser indicada para compor a chapa com o senador Davi Alcolumbre (DEM) na disputa pelo Governo do Estado. Ela foi ovacionada pelos colegas de trabalho e a plateia formada por assessores e demais auxiliares do prefeito Clécio Luiz (REDE) na cerimônia de posse dos novos gestores.
Falando à reportagem, ela ter recebido o convite muito feliz, apesar da enorme relevância do posto de candidata à vice-governadora. “Esse será um dos maiores desafios dos quais eu já passei até hoje, mas vamos encara-lo com toda a seriedade e tranquilidade para que possamos ter no um futuro a cada dia melhor”, disse ela.

AMAPÁ | Frente a frente com militares, Waldez anuncia ajustes nas gratificações PM/BM

O governador Waldez Góes (PDT) durante reunião com a classe dos servidores militares | Foto: Maksuel Martins/Secom
Nesta segunda-feira, 9, o governo estadual enviará à Assembleia Legislativa do Amapá (Alap), três projetos de lei que propõem auxílios de compensação financeira de caráter indenizatório a profissionais que atuam na Polícia Militar do Amapá (PM/AP), do o Corpo de Bombeiros Militar (CBM/AP), incluindo comandantes de unidades  operacionais (batalhões) das duas instituiçoes, além de militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope), e ainda, bombeiros mergulhadores.
A medida foi anunciada no domingo, 8, durante reunião do governador Waldez Góes com militares que compõe as corporações e gestores de órgãos do setor de segurança pública. A iniciativa é fruto de estudos realizados pelo governo estadual para instituir compensação financeira de caráter indenizatório em favor de policiais e bombeiros que desempenham atividades específicas.
Um dos projetos de lei propõe o Auxílio de Atividade de Função Militar de Estado Maior e Unidades Operacionais no âmbito da PM/AP e do CBM/AP. A remuneração é destinada a comandantes de unidades operacionais nas duas instituições.
Também será encaminhado para apreciação do Legislativo, um projeto de lei que propõe a instituição do Auxílio de Especialização em Atividades de Operações Especiais, exclusivamente, aos integrantes do Bope, possuidores do Curso de Especialização em Atividades de Operações Especiais.
Por fim, o governo estadual encaminhará à Alap, um projeto de lei que visa instituir um Auxílio de Compensação Orgânica devido a bombeiros mergulhadores que atuam em operações de busca e salvamento, no valor de R$ 1.300,00. A medida é necessária para compensar os desgastes orgânicos decorrentes das ações exercidas pelos profissionais quando estão em serviço realizando atividades que envolvem busca e salvamento nos rios, lagos, igarapé e ambientes similares.

Bope
Presente na reunião, o comandante da PM/AP, coronel Rodolfo Pereira, explicou que as compensações aos comandantes de unidades são no valor de R$ 1.300 mil. Para os militares do Bope, o valor é de  de R$ 1,450 mil. “Como se trata de uma compensação, o valor será livre de imposto de renda”, ressaltou.  Além disso, uma vez que os auxílios têm caráter indenizatório,  não integram a base de cálculo da gratificação natalina e do adicional de férias, não sofrendo incidência da contribuição previdenciária.
Durante o encontro com os militares e gestores da segurança pública, Waldez Góes falou da importância de valorizar os servidores que atuam no setor responsável por manter a segurança da população. Ele destacou alguns avanços conquistados durante a gestão, como a sanção da Lei de Organização Básica do CBM/AP e a realização de concursos para aumentar os efetivos da PM/AP e das polícias Civil e Técnico-Científica.
Góes destacou que, durante o processo de elaboração dos projetos de lei, houve cautela para não ultrapassar os limites orçamentários e financeiros estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). “Nossa proposta é manter as conquistas dos servidores, avançar em novos ganhos, mas sem comprometer o que já alcançamos em termos fiscais”, enfatizou.
O governador lembrou que servidores de outras categorias foram beneficiados com promoções e progressões desde 2015, em pleno período de crise econômica nacional, enquanto que em outros estados, servidores ficaram com salários atrasados. Ele frisou ainda que o próximo passo é criar a Lei de Organização Básica da Polícia Militar, instrumento que deve garantir mais fluxo de progressões e promoções dentro da corporação.

Remuneração bombeiros e policiais militares
No sábado, 7, foi aprovada a lei que regulamenta a remuneração dos profissionais, a partir da implementação de progressões, tanto de quem atua no Corpo de Bombeiros, quanto na Polícia Militar. A remuneração a que se refere o projeto de lei, consiste em subsídio, proventos, indenizações e outros direitos estabelecidos em leis específicas. Toda a construção da proposta também foi fruto de discussões entre o governo e a categoria, até que chegassem a um consenso para a formulação do projeto de lei encaminhado para a Alap.


domingo, 8 de abril de 2018

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, domingo, dia 08 de abril de 2018.

Eleições

Novidade de fim de semana na corrida pelo Senado aqui no Amapá. O empresário Fábio Renato, da área de provedores de internet, retira candidatura e fecha apoio ao Pastor Guaracy Júnior, que também é pecuarista. Fábio passaria a primeira suplência dele.

Agro

Os dois têm forte trânsito e exercem liderança perante o setor do agronegócio, atividade econômica que só faz crescer no Amapá e que tem na soja o terceiro item da pauta de exportações do estado.

Troca

Definida também a segunda vaga ao Senado do grupo do senador Randolfe. Sai mesmo o Promotor Moisés e entra o ex senador Bala Rocha, agora filiado ao PSDB. Ex PDT, Bala vai de Davi ao governo.

Palanque

Já no lado de Waldez, gravitam lideranças expressivas e que também postulam disputar para ser senador. Entre elas Gilvam, Fátima, Jorge, Lucas e até Jaime poderiam ser as alternativas já postas.

Alternativas

Essa forte base governista ainda poderá acomodar alguns desses nomes em candidaturas a deputado federal ou até no concorridíssimo cargo de vice governador o que só mais pra frente estará em definição.

Pioneiros
O Sindicato dos Jornalistas do Amapá teve uma feliz iniciativa e na festa pela passagem do Dia do Jornalista, colocou no bolo cópias das carteiras definitivas do registro profissional daqueles que ajudaram a construir a história do Território do Amapá. Nosso Luiz Melo, Paulo Silva, Sabá Oliveira, Jota Ney, Olavo, entre outros.

Imprensa

A classe dos jornalistas esteve em festa durante todo o dia de ontem, no Parque de Exposições da Fazendinha, onde aconteceu a programação organizada pelo Sindjor e Jeep Club. Café da manhã, bate papo, homenagens e muitas reflexões sobre esta profissão apaixonante e desafiadora.

Festa

Rolou de tudo um pouco na festa, com muita nostalgia a respeito da atuação dos jornalistas mais antigos, contando causos e passagens pitorescas no exercício da profissão. Teve corte do bolo, o parabéns a você, sorteio de prêmios e muita descontração, num raro momento da classe se reunir e celebrar as vitórias, claro.

Reflexões

Mas existem muitas conquistas ainda pela frente, segundo ressaltou a presidente do Sindjor, Denise Quintas, que colocou entre as metas o foco na atuação da entidade de classe nas garantias ao exercício da profissão aos profissionais devidamente registrados na entidade de classe.


TURISMO | Observação de botos vira uma atração turística no interior do Amapá

Passear de barco pelos rios da região é uma opção de lazer que a cada dia atrai mais e mais turistas para o Amapá. Uma das grandes novidades é a observação de botos amazônicos em Santana, na Foz do Rio Pirativa.
Cleber Barbosa
Da Redação

Costuma-se dizer que os botos são os primos dos golfinhos. Ná prática, os botos são os golfinhos dos rios, já que golfinhos vivem no mar. E pelo mundo afora é grande o poder de atrair a atenção de turistas do chamado segmento do turismo náutico. Na Amazônia, é grande a procura pela observação dos botos e agora acaba de ser organizado um passeio regular para a contemplação deste seres especiais, carismáticos, brincalhões e muito espertos. A empresa Pirarucu & Cia descobriu um santuário de golfinhos amazônicos, bem na Foz do Rio Pirativa, na margem direita do Rio Matapi, no município de Santana.
O organizador dos passeios é o empresário Raimundo Simeão, 67, conhecido como Muscula. Ele possui uma propriedade rural na região, a Chácara Lorena, onde costumava receber os amigos e familiares para passar os finais de semana e feriados. “Foi então que decidi agregar valor a todo esse potencial e passei a organizar um river tour pelos rios da região, mas a maioria das pessoas queria mesmo era ir observar a dança dos botos, neste local que os moradores mais antigos nos apontaram”, diz o empreendedor.
Raimundo conta que foi passar uns dias na Paraíba e encontrou lá uma embarcação que lhe chamou a atenção, uma espécie de catamarã, afinal tem dois cascos, mas que se parece mais com um pequena balsa. A partir daí procurou o também empresário Johny Kleber, da empresa Náutica Amapari, que desenvolveu o projeto para um catamarã apropriado para passeios na Amazônia. “Quando ele ficou pronto batizamos de ‘7 Ladies’ que é uma homenagem às sete mulheres da minha vida”, explica, referindo-se à esposa, duas filhas, três netas e uma nora, claro.
E é a bordo do Catamarã 7 Ladies que os passeios são organizados. Com capacidade para 45 passageiros e três tripulantes, tem muita estabilidade e ampla visão para os frequentadores do chamado ‘river tour’. “A gente sai de manhã do Distrito Industrial, no Matapi e percorre os principais rios da região, como o Amazonas, o próprio Matapi, Anauerapucu e o Pirativa, onde estão os botos”, conta Raimundo Simeão.
O bacharel em Direito Claudino Dias, 49, já fez vários passeios com grupos de amigos e da própria família a bordo do catamarã de Simeão. Ele diz que esse é um verdadeiro achado que pode incrementar o turismo receptivo no Amapá. “Primeiro devemos motivar as pessoas que moram no Amapá a conhecerem o que o nosso Estado tem de belo. Depois tem os turistas estrangeiros que vivem à procura de novas atrações e isso a gente tem de sobra é só promover”, ensina Dias.

A lenda do boto alimenta o imaginário popular
A lenda do boto é uma lenda da Região Norte do Brasil, geralmente contada para justificar uma gravidez fora do casamento ou na adolescência. Os botos são mamíferos cetáceos que vivem nos rios amazônicos. Diz-se que, durante as festas juninas, o boto rosado aparece transformado em um rapaz elegantemente vestido de branco e sempre com um chapéu para cobrir a grande narina que não desaparece do topo de sua cabeça com a transformação.
Esse rapaz seduz as moças desacompanhadas, levando-as para o fundo do rio e, em alguns casos engravidando-as. Por essa razão, quando um rapaz desconhecido aparece em uma festa usando chapéu, pede-se que ele o tire para garantir que não seja um boto. Daí deriva o costume de dizer, quando uma mulher tem um filho de pai desconhecido, que ele é “filho do boto”.
Essa lenda foi contada no cinema, aliás muito bem retratada, no filme “Ele, o Boto” (1987) com o ator brasileiro Carlos Alberto Riccelli no papel principal.

As espécies de botos conhecidas e que já foram objeto de estudos científicos
Boto é uma palavra portuguesa para designar, de forma geral, golfinhos. Em Portugal, no séc. XX, a palavra acabou caindo em desuso, estando cada vez mais circunscrita às comunidades piscatórias do Norte. No Brasil o boto, também chamado o peixe-boto , franciscano e toninha, é um mamífero da ordem Cetacea, nativo da Amazônia e das costas do Atlântico, Pacífico, Índico, Mar Adriático, Mar Arábico, Mar Cáspio, Mar Vermelho e Golfo Pérsico e que é parecido com um golfinho.
Os botos são dos poucos únicos mamíferos dessa ordem que possuem representantes vivendo exclusivamente em ambientes de água doce, sendo considerados, por alguns zoólogos, como as espécies atuais mais primitivas de golfinhos.

Espécies de botos
– O boto-cinza ou tucuxi (Sotalia fluviatilis, da família Delphinidae) é dividido geralmente em duas subespécies: uma marinha e outra fluvial. A marinha, guianensis, distribui-se no Atlântico, a partir de Laguna (em Santa Catarina, no Brasil) para o norte. A aquática, fluviatilis, vive nos rios da Amazônia.
Phocoena spinipinnis, da família Phocoenidae, é marinho e vive a partir de Santa Catarina para o sul.
– O boto-vermelho ou boto-cor-de-rosa (Inia geoffrensis), da família Platastanidae, de água doce, é endêmico dos rios da Amazônia, e está colocado na categoria “vulnerável” da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais.
Também vulnerável (ameaçado no Brasil) é o golfinho-do-rio-da-prata (Pontoporia blainvillei, Platastanidae), marinho, que vive do Espírito Santo para o sul.
Contato da Pirarucu & Cia: 99971-8803 ou 3223-8496.

CURIOSIDADES
Raimundo Simeão, o Muscula, proprietário do Catamarã 7 Ladies
– Existem dois tipos de botos na Amazônia, o rosado e o preto, sendo cada um de diferente espécie com diferentes hábitos e envolvidos em diferentes tradições.
– É comum ver um boto mergulhando ou ondulando as águas a distância. Se diz que o boto preto ou tucuxi é amigável e ajuda a salvar as pessoas de afogamentos, mas o rosado é perigoso. – Sendo de visão ineficiente, possuem um sofisticado sistema sonar que os ajuda a navegar
80 anos 
Essa é a expectativa de vida dos botos.

Catamarã 7 Ladies

ENTREVISTA | “Estão levando até os trilhos da Estrada de Ferro e ninguém faz nada”.

A ex prefeita de Serra do Navio, Francimar Santos, que atualmente voltou a atuar como professora
Ela é do tido “despachada”, daquelas que não costuma passar recibo a quem pisa no seu calo. Mas ao mesmo tempo é uma apaixonada pela cidade que adotou e que a adotou. A ex-prefeita de Serra do Navio foi ao rádio pedir ajuda para o lugar onde decidiu morar desde que foi convidada a instalar a primeira administração municipal, em 1992, quando o município foi criado. Reclama da falta de apoio para que o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Arquitetônico Nacional) dê continuidade ao processo de restauração da antiga vila deixada pela mineradora Icomi e denuncia o estado de abandono da velha Estrada de Ferro do Amapá (EFA), que segundo ela está sendo dilapidada pela ação do tempo e também de larápios que retiram aos pedaços e a fogo de maçarico o metal dos trens. Ela falou ao jornalista Cleber Barbosa no Conexão Brasília de ontem.

Cleber Barbosa
Da Redação

Blog do Cleber – A senhora foi prefeita por dois mandatos em Serra do Navio, mas não nasceu lá não é?
Francimar Santos – Eu sempre falo que sou duas vezes amapaense, pois nasci no estado do Amapá e no município de Amapá, na velha Base Aérea. Depois vim para Macapá ainda pequena estudar e em 1992 fui para Serra do Navio na campanha do então candidato Zé Maria que foi eleito o primeiro prefeito de lá. Fui a primeira secretária de educação do município.
Blog – E depois entrou para a política partidária sendo eleita vereadora, adotando o nome parlamentar de Professora Francimar. 
Francimar – Sim, sempre. Pela formação e também por ter atuado lá desde a instalação do município, então o primeiro prefeito tinha que fazer tudo, o primeiro posto médico, a primeira escola, o primeiro quadro de funcionários, enfim, eram muitas tarefas para serem executadas. Foi um período de muito trabalho, mas que nos enche de orgulho falar hoje pois pudemos ajudar o companheiro Zé Maria, eleito à época pelo PT, nessa implantação. Fui lá para ficar um ano, mas aí me apaixonei pela Serra [do Navio] e nunca mais vim embora… [risos]
Blog – Mora lá até hoje?
Francimar – Sim, moro a mais de vinte anos, no Ramal do Cachaço, na beira do rio Amapari.
Blog – Nessa época o projeto era implantar um centro administrativo na zona rural, na Colônia da Água Branca, mas depois isso acabou se mostrando mais difícil e a sede do município foi transferida para a Vila de Serra do Navio. O que houve?
Francimar – Sim foi tudo para lá, inclusive o nome do município era Água Branca do Amapari. Mas em junho de 1993 houve uma votação aqui na Assembleia Legislativa para mudar para Serra do Navio, que era um nome mais conhecido até mundialmente. Era uma proposta, se não me engano, do então deputado Manoel Brasil, que foi aprovado. Mas a mudança era apenas do nome mas acabou mudando também a sede do município, o que até hoje traz consequências, pois foi levada para a Vila de Serra do Navio que era privada, não pertencia ao município, mas sim integrava a concessão federal feita à Icomi. Hoje admitimos que foi um erro essa mudança, pois se a sede tivesse ficado na colônia aquela comunidade hoje seria outra, muito mais desenvolvida. Além disso, a manutenção da vila de Serra do Navio, que a mineradora fazia, o município não teve mais condições de manter.
Blog – Muita gente não quer nem ouvir falar em proposta para se candidatar a prefeito de um município do interior. O que a senhora acha de quem pensa assim?
Francimar – Eu acho que na verdade não é medo de ser prefeito no interior, é falta de coragem de enfrentar os desafios. Mas quando você tem compromisso com o município, com aquela terra, você podendo contribuir tem que fazer, acho que é um dever de todo cidadão contribuir naquilo que pode com seu município. Se eu sou boa professora vou dar aula, se sou bom enfermeiro vou lá no posto e se sou um bom pedreiro vou lá ajudar a construir. Acho que tem que se colocar à disposição e arregaçar as mangas, mas que não está fácil não está, viu? Eu sempre brincava quando era prefeita nas reuniões dos outros gestores municipais que deveria ser muito bom ser prefeito na capital, porque é grande a cidade e a maioria dos cidadãos não sabe nem aonde o prefeito mora… [mais risos]
Blog – E no interior, todos sabem não é?
Francimar – Todos. Se morrer alguém de madrugada, a primeira porta que batem é a da casa do prefeito. Todo mundo sabe teu telefone, ligam pra você a qualquer hora e não tem essa história de secretária atender, dar recado. É o prefeito mesmo que atende.
Blog – Marcar hora na agenda…
Francimar – Nada, falam direto com o prefeito. Batem na porta, entram e ficam esperando pra falar com você. E isso pode ser na rua, no mercado, várias vezes eu estava fazendo compras e a pessoa chegava comigo dizendo que precisava falar com a gente e ali mesmo eu já despachava alguma providência, resolve na hora. É assim no interior… Eu acho isso bacana, sabia? As pessoas te tratam pelo nome, não tem aquela formalidade, excelência, prefeita, por aí…
Blog – E aquela história de que Serra do Navio é lugar de gente feliz? De onde surgiu esse slogan que a cidade adotou?
Francimar – É, tem uma placa na entrada da cidade com essa frase. Isso vem ainda dos tempos da Icomi, quando o nosso saudoso doutor Fernando Guimarães dizia essa frase sempre, até que mandou fazer uma faixa ou coisa parecida com essa afirmação. Quando eu assumi a prefeitura tinha um vereador chamado Geleia que sugeriu a instalação de um outdoor na entrada da cidade, então atendi o pedido do vereador e até hoje ninguém tirou mais a frase de lá, que é agora o slogan da cidade.
Blog – Mas é um lugar diferente mesmo, com aquele clima de montanha…
Francimar – Pois é, na verdade eu sempre defendi que Serra do Navio deveria ter um olhar diferente por parte do estado, pois somos a única cidade do Norte tombada como patrimônio histórico, urbanístico, étnico, ambiental do Amapá. Muita gente vê o tombamento pelo Iphan como algo ruim, mas não era pra ser assim, uma falta de entendimento com algumas pessoas dizendo que foi no meu governo, mas não foi, peguei o bonde andando, apenas dei continuidade pois observo que é um meio até de conseguir recursos para a cidade, para movimentar a economia do município.
Blog – Como está esse processo hoje, pois há algum tempo o Iphan se instalou lá para iniciar a restauração do antigo cinema?
Francimar – Começou e não terminou. As pessoas acabaram forçando a reabertura daquilo como ginásio e estão voltando a usar. Eu acho que na verdade o Iphan sentiu o desinteresse do estado, à época, pois o tombamento da Serra é para o estado e não para o município.
Blog – Nessa questão do apelo turístico da Serra do Navio há quem aposte no valor que tem a Estrada de Ferro. Como está a ferrovia?
Francimar – Ah, isso a gente vê com muita tristeza ver o nosso trem ser dilapidado, estão levando até os trilhos da nossa estrada de ferro e ninguém está fazendo nada. Há mais de quatro anos que aqueles vagões estão parados ali próximo a Porto Grande, pegando sol e chuva. Tive a informação que estão tirando pedaços do metal com maçarico, o que é um absurdo. Estão acabando com a nossa história e com um potencial grande que a gente tem que é a nossa Estrada de Ferro do Amapá. É preciso que se tome uma providência, fico até com o coração apertado falando essas coisas e saber que a gente pode daqui a algum tempo não ter mais o apito do trem sendo ouvido dentro daquelas matas, uma das atrações da região com as viagens de trem para a Serra do Navio.

Perfil…

Entrevistada. Francimar Pereira da Silva Santos, tem 58 anos de idade, é casada e mãe de uma filha e avó de um neto. Nasceu no município de Amapá, ma Base Aérea, e mudou-se depois para Macapá onde formou-se no curso do Magistério pelo antigo Instituto de Educação do Território do Amapá (IETA); lecionou em municípios do interior, como servidora pública federal; depois licenciou-se em História pela Universidade Federal do Pará (UFPA); mudou-se em 1992 para Serra do Navio, onde foi secretária de educação (1994), vereadora (2000) e prefeita por dois mandatos (2004 e 2008). Retornou à sala de aula assim que deixou o mandato de prefeita e este ano (2015) assumiu a direção da Escola Estadual Sete de Setembro, na zona rural, onde está lotada.

PUBLICIDADE