Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura e política.

PUBLICIDADE

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

TURISMO | Otimismo domina abertura da Abav Expo em São Paulo

As autoridades pouco antes do corte oficial da fita da feira
Colaborou: 
Luciano Palumbo (Turismo Etc)
A 44ª Abav Expo, maior feira de turismo do Brasil promovido por uma associação, e o 46º Encontro Comercial Braztoa foram oficialmente abertos agora há pouco no Expo Center Norte, em São Paulo, sob o signo do otimismo. Sobretudo a partir de dois fatores: o clima de alívio com a chegada do novo governo federal, de forma definitiva, e os primeiros sinais de que a economia pelo menos parou de cair. O sucesso da realização dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro também permeou o discurso de quase todas as autoridades, colocando, junto com o otimismo, um clima de orgulho pouco visto nos últimos anos no País.
Os anfitriões, o presidente da Abav Nacional, Edmar Bull, e a presidente da Braztoa, Magda Nassar, destacaram mais uma vez a parceria entre as entidades e demonstraram otimismo em relação à esta edição do evento. Fizeram ainda as cobranças ao ministro do Turismo, Alberto Alves, e destacaram outros prontos importantes.
Segundo Bull, que abriu a cerimônia solene pela primeira vez desde que assumiu a presidência da Abav Nacional, foram realizadas 23.700 inscrições para a Abav Expo, e a previsão é passar de 24 mil. “Na Vila do Saber, que está com um novo layout, recebeu mais de 5,3 mil inscrições”, afirmou ele.
Cerca de mil pessoas prestigiaram a abertura solene da Abav Expo
Em relação à pauta de reivindicações, Bull elencou, por exemplo, a extensão da flexibilização dos vistos para certas nacionalidades, rever o ISS e o PIS Cofins, a criação de um fundo garantidor, a liberação dos cassinos, sob regras. “Também precisamos trabalhar nas Compras Governamentais”, destacou Bull.
Magda enfatizou o trabalho conjunto das entidades de turismo e destacou o potencial de crescimento do turismo no País. “Hoje o turismo no PIB do Brasil é de 3,3% e no mundo, em média, é de 9%. Precisamos chegar lá”, disse ela.
Ao final dos discursos, o ministro do Turismo, Alberto Alves, exibiu o filme de promoção do turismo nacional para a próxima temporada de verão. “Foi inesquecível”, diz o slogan da nova campanha do governo federal.
A Abav Expo e o Encontro Comercial Braztoa seguem até sexta-feira (dia 30).
Segundo Edmar Bull, foram realizadas 23.700 inscrições para a Abav Expo

CIDADES | Estudo aponta Vitória como a de melhor qualidade de vida e Macapá a pior

O Observatório das Metrópoles, coordenado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), realizou um estudo que determina o Índice de Bem-Estar Urbano dos municípios brasileiros. O levantamento, inédito, revela que das 27 capitais, Vitória é a melhor colocada. 
A capital do Espírito Santo somou 0,9 pontos. De acordo com o estudo, quanto mais próximo de 1,0, melhor é a condição de bem-estar urbano. Com 0,8742, Goiânia aparece em segundo, seguida de Curitiba - 0,8740. 
Já o Rio de Janeiro ficou apenas na oitava posição, com 0,8194 pontos. São Paulo é o 12 – 0,8119. 
Para definir o balanço, o estudo considerou cinco indicadores de qualidade: mobilidade urbana, como o tempo de deslocamento de casa para o trabalho; condições ambientais (arborização, esgoto a céu aberto, lixo acumulado); condições habitacionais (número de pessoas por domicílio e de dormitórios); serviços coletivos urbanos (atendimento adequado de água, esgoto, energia e coleta de lixo); e infraestrutura.
PÉSSIMA INFRAESTRUTURA
Segundo o estudo, 91,5% dos municípios estão em níveis ruins e muito ruins no quesito infraestrutura. 
O observatório considerou sete indicadores para determinar como está a infraestrutura das cidades. Iluminação pública, pavimentação, calçada, meio-fio/guia, bueiro ou boca de lobo, rampa para cadeirantes e logradouros.
LISTA DE CAPITAIS
1. Vitória (ES) – 0,9000
2. Goiânia (GO) – 0,8742
3. Curitiba (PR) – 0,8740
4. Belo Horizonte (MG) – 0,8619
5. Porto Alegre (RS) – 0,8499
6. Campo Grande (MS) – 0,8275
7. Aracaju (SE) – 0,8214
8. Rio de Janeiro (RJ) – 0,8194
9. Florianópolis (SC) – 0,8161
10. Brasília (DF) – 0,8131
11. Palmas (TO) – 0,8129
12. São Paulo (SP) – 0,8119
13. João Pessoa (PB) – 0,7992
14. Fortaleza (CE) – 0,7819
15. Recife (PE) – 0,7758
16. Salvador (BA) – 0,7719
17. Cuiabá (MT) – 0,7704
18. Natal (RN) – 0,7383
19. Boa Vista (RR) – 0,7249
20. Teresina (PI) – 0,7218
21. Maceió (AL) – 0,7036
22. São Luís (MA) – 0,7003
23. Rio Branco (AC) – 0,6972
24. Manaus (AM) – 0,6903
25. Belém (PA) – 0,6593
26. Porto Velho (RO) – 0,6542
27. Macapá (AP) – 0,6413

Indicações e destaques da programação dos três dias da Abav Expo 2016

Cerimônia de abertura, Lançamento do Censo ABAV, Hackathon Viagens, atividades da Vila do Saber e balanço de encerramento estão entre as pautas da 44ª ABAV Expo Internacional de Turismo & 46º Encontro Comercial Braztoa
A abertura oficial do evento, na Sala Cantareira, 2º andar, contará com a presença de lideranças setoriais do Turismo, autoridades governamentais e outras representações do trade turístico. Às 12h00, com a presença dos representantes da Bahia, o estado anfitrião, se fará o corte da Fita Simbólica, que será sucedido pela entrada dos visitantes no recinto da feira. Todos os detalhes foram cuidadosamente levados em conta, para que o evento supere as expectativas de organizadores, expositores, negociadores e visitantes.
A concepção do evento leva em conta três valores fundamentais para os players do trade turístico: Negócios, Conhecimento e Relacionamento. Todo o conteúdo da feira é voltado para um autêntico palco de tendências para 2017, em termos de agenciamento de viagens, operações turísticas, destinos, eventos temáticos, comportamento do viajante, tecnologias de gestão – entre outros. Nesse sentido, exerce o papel de termômetro e radar para as empresas planejarem e replanejarem estratégias consistentes de ações orientadas para o sucesso.
Lançamento: Censo ABAV
Um dos pontos de importância histórica para o agenciamento de viagens será o lançamento do Censo ABAV. Entre as informações já coligidas na etapa inicial, de atualização cadastral, a entidade apurou que conta, hoje, com 2.985 associadas. O Censo, que será realizado com suporte da coleta mensal de dados primários, vem ao encontro de uma necessidade antiga: divulgar informações estratificadas sobre a movimentação turística das associadas ABAV, contemplando diferentes recortes de análise, segmentos e nichos de mercado.
 A metodologia, análoga àquela utilizada pela Abracorp, garantirá parâmetros para monitorar tendências balizadas e proporcionar maior segurança na tomada de decisões. “O Censo ABAV vai imprimir mais peso e credibilidade à entidade no relacionamento com o mercado e com as instâncias governamentais definidoras das políticas do turismo brasileiro com um todo”, diz o presidente da ABAV Nacional, Edmar Bull.
Outra inovação fica por conta da Hackthon Viagens – uma competição promovida pela ABAV Nacional e Braztoa, com apoio da Comunidade Hackthon Brasil. A maratona desafia jovens desenvolvedores a criar soluções digitais com um tema único e abrangente: “Melhore a experiência e a interatividade entre o agente de turismo e o viajante”.
Para o presidente da ABAV Nacional, Edmar Bull, “a iniciativa de promover o Hackthon Viagens está fundamentada na relevância crescente da tecnologia digital para a indústria turística, onde se insere o agenciamento de viagens. Trata-se de ação colaborativa e de incentivo aos jovens talentos, que se agrega aos conteúdos da feira”.
A criatividade, seja tecnológica ou no discurso para vender a ideia, é essencial no Hackathon Viagens. Cada grupo, formado por até cinco integrantes, deverá apresentar uma solução que melhore a vida do viajante, na interação com o profissional que vende a viagem.
Coletiva de Imprensa
No dia 28/09, às 18h00, representantes da 44ª ABAV Expo Internacional de Turismo & 46º Encontro Comercial Braztoa concederão entrevista coletiva na Sala Cantareira 1 – 2º andar.
Vila do Saber
Anexo, folheto apresenta a programação completa para cada uma das quatro arenas temáticas da Vila do Saber: Inovação, Tecnologia, Gestão e Segmentação, nos três dias do evento.
Dia 28/09 – Quarta-Feira
No primeiro dia do evento, das 14h00 às 14h50, a palestra Redes Sociais: conexões lucrativas, proferida por Martha Poggi Borges, lotou e, por isso, uma sessão extra está programada para o dia 30/09, na arena Inovação, das 16h30 às 17h30.
Das 16h00 às 17h30, serão realizadas quatro Mesas Redondas com debates simultâneos nas diferentes arenas da Vila do Saber. Na Arena Gestão, por exemplo: O legado da Olimpíada Rio 2016: uma oportunidade perdida ou uma grande oportunidade para o Turismo do Brasil? será o tema de Mesa Redonda em que o ministro do Turismo interino, Alberto Alves; Alexandre Sampaio (CNC); Manuel Gama (FOHB); e Paulo Kakinoff (GOL) serão os debatedores, com mediação do presidente da ABAV Nacional, Edmar Bull.
Todos os dias do evento (28, 29 e 30 de setembro), sempre das 17h30 às 18h30, na Arena Tecnologia, o Grupo de Trabalho de Tecnologia da ABAV (GTT-A) abordará um novo tema. ‘Tecnologia é ferramenta de vendas para sua agência – perspectivas para o novo agente de viagens’, inaugura o primeiro painel e estará sob a condução de Ricardo Lidington (E-Fácil Plus Viagens e Tecnologia), Sidney Lima Filho (Reserve) e Wagner Amarelo (Argo Solutions). Fotos e mais informações sobre os participantes já estão disponíveis para consulta online.
Dia 29/09 – Quinta-feira
No dia 29/09, das 13h00 às às 13h50, na arena Inovação, Start Ups como plataformas criativas para o turismo é o tema da palestra que será conduzida por Bruno Talevi. Das 14h00 às 14h50, na Arena Segmentação, a palestra Posicionamento de Mercado? Como não ser mais um!, ministrada por Gabriela Otto. Os respectivos links exemplificam as informações (textos e fotos) que compõem o material de apoio já disponível para a imprensa.
Aviso: transferência de local
Devido à grande procura antecipada, a palestra conduzida por Ricardo Amorim e patrocinada pela LATAM precisou ser transferida da Vila do Saber para a Sala Cantareira, 2º andar do Expo Center Norte. A data (29/09) e o horário (das 18h30 às 19h30) permanecem inalteradas. Tema: Por que e como a economia deve melhorar e surpreender positivamente a partir de 2016?.
Dia 30/09 – Sexta-feira
Das 13h00 às 13h50, na Arena Segmentação, várias palestras sobre temas como Turismo LGBT no Brasil – dificuldades a serem ultrapassadas,conduzidas por Franco Reinaudo a diversidade de enfoques editoriais que qualificam e recomendam a ampla cobertura jornalística do evento.
Na Arena Gestão, palestras como Cliente elevado a Rei – serviços Prime, das 14h00 às 14h50,apresentada por Charles Calmucci, assim como a Mesa Redonda, das 15h00 às 16h30, sobre o tema Conciliação é a melhor solução nos conflitos com os consumidores?, com a participação de Marcelo Oliveira (ABAV Nacional) e Roberto Pasqualin (Conima) como debatedores, e a mediação de Rose Larrat (ABAV Nacional), ratificam a importância dos serviços prestados pelas agências de viagens que apostam na qualificação e na constante atualização de profissionais dedicados à satisfação das necessidades e superação das expectativas de seus atuais e virtuais clientes – pessoas físicas e jurídicas.
Às 17h30, divulgaremos press release com o Balanço Parcial do evento. Para acessar todos os press releases publicados no site da ABAV Expo, ver http://www.abavexpo.com.br/category/press-releases/

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Ministério do Turismo lança campanha de marketing e guia para idosos em Feira Internacional

O ministro interino do Turismo, Alberto Alves, lança nesta quarta-feira (28), na abertura da 44ª ABAV Expo Internacional de Turismo, a nova fase da campanha de marketing da Pasta. Com o tema Viva de Perto, o filme tem o objetivo de incentivar o turismo nacional após os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.
No mesmo dia, o Ministério do Turismo lança em seu stand o guia “Dicas para atender bem o turista idoso”, publicação voltada para estabelecimentos turísticos, com foco em melhorar o atendimento para este perfil de viajante.
Organizada pela Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV), a ABAV Expo é destinada aos profissionais do setor e reúne, em um único espaço, governo federal, empresa privadas e governos estaduais, além de destinos nacionais e internacionais.

Notas da coluna ARGUMENTOS, desta terça-feira, dia 27 de setembro de 2016.

Rádio

Só pela chamada que foi veiculada a respeito do debate desta terça-feira na Diário FM, dá para medir o clima que cerca o embate entre os ‘prefeituráveis’ de Macapá. Um primor de produção dirigida por Luiz Melo e executada pelo mago Paulielson, o Papito.

Vitrine

Será uma excelente oportunidade para o eleitor confrontar as ideias dos postulantes ao cargo máximo da municipalidade. E tudo com pitadas de leve humor, uma característica do mediador do debate, é claro.

Sustos

Dois acidentes registrados na final do Fest Jeep no Meio do Mundo assustaram, mas ao mesmo tempo garantiram ainda mais adrenalina ao evento. João Paulo e Adriano Bosco viraram, mas saíram ilesos.

Pódio

Os campeões por categoria foram os seguintes pilotos: Charles Bordalo (Jeep Willys), Naldo Góes (Jeep Diesel), Nazareno Santos (Jeep Gasolina), Valdez Silva (Picapes) e Ana Cristina (Jeep Baton).

Na web

Aliás, se você ficou curioso a respeito do acidente de Adriano Bosco no Fest Jeep, pode assisti-lo na página do Blog Sou Jipeiro ou ainda direto no YouTube. Coloque “O vídeo mais incrível do 8º Fest Jeep”.

Homenagem
Adriano Bosco era o vice de Manoel Mandi no Jeep Clube. Com a morte do amigo a 30 dias do Fest Jeep, teve que assumir as rédeas do clube e do maior evento anual da entidade. Felizmente deu tudo certo, com a ajuda dos associados e apoiadores. Ai ele fez até selfie com o Jeep de Mandi.

Comitê

Ontem rolou mais uma rodada de reuniões do chamado Comitê Gestor do Estado, colegiado que reúne os dirigentes dos três poderes, Executivo, Legislativo e Judiciário, além do Ministério Público e o Tribunal de Contas do Estado. Em pauta, a expectativa de que seja decretada calamidade financeira.

Brasília

Waldez Góes comunicou que apostará as fichas em uma reunião ampliada em que vinte governadores irão ao presidente Michel Temer. A data ainda não foi definida, mas certamente será depois das eleições. O fato é que todo mundo tem créditos a receber, então pode-se ter um encontro de contas, por assim dizer.

Talento

O promotor de justiça Flávio Cavalcante, que aliás também foi delegado de polícia por aqui, está revelando um outro talento. É um exímio fotógrafo, tanto que já tem até uma galeria digital com seus cliques. A coluna está organizando alguns para o caderno de turismo.

PUBLICIDADE | Homenagem da Abav Nacional pelo Dia Mundial do Turismo


Notas da coluna ARGUMENTOS, domingo e segunda-feira, 24 e 25 de setembro

Pegou mal

Chamou a atenção de muita gente alguns garis da prefeitura dando um trato no local onde o atual prefeito Clécio faria um comício ontem. Tudo bem que eles não estavam pedindo votos, mas é por essas e outras que se defende o fim da reeleição no país.
 
Guerra

Também tá rolando muito golpe baixo nas redes sociais envolvendo os principais concorrentes ao cargo de prefeito. Até que muito são engraçados demais e muito bem bolados, mas que são baixarias são.

Reclamam

Há quem reclame dos ataques, como Aline, que alega ser vidraça a essa altura do jogo por seu rendimento nas pesquisas. Já Clécio fala em jogo limpo, apesar de ‘alfinetar’ criticando ações da ‘gestão anterior’.

Jurídico

Também é intenso o entra e sai de advogados de partidos ou coligações atravessando petições pedindo direito de resposta. Uns são concedidos, outros negados pelos juízes eleitorais. Uma guerra mesmo.

Efeitos

De um modo geral, as mudanças promovidas pela Minirreforma Eleitoral está deixando as cidades menos sujas – literalmente – e sem aquela poluição visual dos mutos, placas e cartazes. Também menos caras.

No rádio
Um dos destaques do quadro docente da Faculdade Estácio, a professora e jornalista Claudia Soria esteve em nosso Conexão Brasília de ontem dando uma aula sobre mídias digitais e o impacto disso no jornalismo atual. Foi um banho de informação e simpatia que ela brindou a audiência.

Astros

Renato Cássio Santos, presidente do Clube de Astronomia do Amapá, foi ao rádio ontem esclarecer as diferenças entre astronomia e astrologia. E também para defender esse grande barato que é a observação dos céus. Dia 8, inclusive, haverá um grande evento  a Semana Mundial do Espaço.

Sucesso

João Alvarenga, do Sebrae, também esteve na Diário FM ontem. Foi para falar da Semana Sebrae de Conhecimento, que rola a partir de segunda-feira na sede local da entidade, durante toda a semana, com troca de experiências. O investimento diário é de R$ 80 reais por pessoa, e/ou R$ 140 reais para duas pessoas.

Argumento

Uma coisa interessante dita pelo dirigente do Sebrae é que esse investimento passa a ser diminuto se considerarmos que para ouvir gente como o maestro João Carlos Martins, é preciso viajar a estados distantes, enquanto que nesse evento ele e outros convidados estarão aqui.

“Antes da Área de Livre Comércio faziam suas compras fora porque não tínhamos preço”.

Um dos nomes mais respeitados no meio empresarial do Amapá, Ladislau Monte fala sobre como analisa a consolidação do comércio como o maior gerador de empregos formais no Amapá. Em uma entrevista exclusiva ao jornalista Cleber Barbosa, o vice presidente da Federação do Comércio do Estado do Amapá (Fecomércio) esclarece detalhes a respeito da relação comercial com países fornecedores dos importados que abastecem a Área de Livre Comércio de Macapá e Santana. Diz que os incentivos fiscais com a isenção de tributos como o Imposto de Importação e o Imposto sobre Produtos Industrializados deixaram o Amapá em condições de disputar consumidores com outros centros comerciais da região. Acompanhe os principais trechos da entrevista, a seguir.

Cleber Barbosa
Da Redação


Diário do Amapá – Números do Caged divulgados recentemente dão conta de que já não é mais o serviço público quem mais gera empregos no Amapá, mas sim a iniciativa privada. Para o senhor o que essa mudança de eixo na economia local representa?
Ladislau Monte  Sem dúvida, muito importante, pois o segmento do comércio do Amapá sempre foi o de maior expressão na nossa economia e a gente vê que a cada ano que passa o comércio vem crescendo. É lógico que o nosso desejo, nossa vontade é que o setor primário e o setor secundário também crescessem porque não adianta crescer só o comércio, precisamos gerar empregos, precisamos desenvolver esses segmentos.
Diário – O comércio já faz sua parte?
Ladislau Sim, o comércio sempre esteve preparado. Os empresários do Amapá sempre se prepararam, sempre estiveram atualizados, se modernizando, acompanhando a evolução do que acontece no sul do Brasil e fora dele.
Diário – E sobre a Área de Livre Comércio de Macapá e Santana, daria para viver sem ela hoje?
Ladislau  Sem dúvida que não. A gente tem um grande divisor de águas exatamente com a criação da Área de Livre Comércio, que trouxe uma importância muito grande para o setor, para nossa economia e para o estado como um todo, apesar da delimitação da área de livre comércio apenas entre Macapá e Santana. Mas são os dois municípios de maior expressão. No passado, antes dos incentivos da Área de Livre Comércio, as pessoas, os consumidores, saíam de Macapá para fazer suas compras fora porque nós não tínhamos preço.
Diário – Hoje têm?
Ladislau  Sim, depois da área de livre comércio, com os benefícios [fiscais] do ICMS, Imposto de Importação e Imposto sobre Produto Industrializado, isso facilitou muito pois passamos a transferir todos esses benefícios para o preço e ficamos competitivos. Hoje ninguém sai mais do Amapá para fazer compra lá fora, pois temos preços competitivos. Daí a importância muito grande da área de livre comércio para o nosso estado.
Diário – E ainda existe uma enorme expectativa de que isso possa se expandir, com a regulamentação da Zona Franca Verde e da Zona de Processamento de Exportação, que já foram aprovadas?
Ladislau  Exatamente. Os dois projetos depois aprovados,faltava apenas um impulso, a regulamentação da Zona Franca Verde, o que já aconteceu e a implantação está iniciando. Foram criadas algumas Zonas de Processamento de Exportação no Brasil, mas a notícia que se tem é que a do Acre é a única em funcionamento, mas ela está tendo alguns entraves que não estão deixando que ela deslanche. Aqui no Amapá não temos conhecimento sobre quais são esses entraves que possam prejudicar. Sabe-se, entretanto, que em outros países deu muito certo. Temos esperança de que se possa em conjunto com a bancada federal, a classe política em geral e os empresários possamos botar para funcionar a nossa ZPE e a Zona Franca Verde para que o Amapá possa dar um salto ainda maior.
Diário – O Amapá reúne todas as condições para isso?
Ladislau  Olha, com a conquista da nossa autossuficiência em geração de energia, com a chegada do Linhão do Tucuruí, já possibilita com que o Amapá possa trazer grandes investimentos para cá. Logicamente que isso vai depender de muita articulação política porque as empresas não vão vir investir para cá se não tiver um benefício ou a perspectiva de um bom retorno. Então precisa-se de políticas públicas adequadas, com política fiscal que possa atrair esses investimentos para que o desenvolvimento aconteça e que não fique só o comércio como a principal mola impulsora da nossa economia.
Diário – Muito se diz que no começo da área de livre comércio os produtos importados vendidos aqui tinham pouca qualidade, mas que hoje essa realidade mudou, temos uma boa linha de importados mesmo?
Ladislau Isso é uma realidade, mas que a nível de Brasil a gente nem fica tão satisfeito pois isso afeta a nossa indústria nacional, onde alguns segmentos foram sucateados e nós estamos gerando emprego lá fora, na China por exemplo. Indústria de lâmpada, para citar um caso, não se produz mais lâmpada no Brasil, pois todas as os fornecedores de lâmpadas são chineses, até piso, porcelanato, lustres, enfim, tem uma série de produtos que hoje realmente não estão mais sendo produzidos aqui no Brasil. Mas a partir desse novo modelo o controle de qualidade passou a ser muito grande por parte das empresas brasileiras que estão lá na China, daí esse produto chegar aqui com muita qualidade.
Diário – Daí também a melhora na linha de importados?
Ladislau  Sim, pois não se importa apenas só aqueles chamados subprodutos, produtos de baixa qualidade, nós temos de tudo, pois a China produz de tudo, produtos de alta qualidade, de qualidade intermediária e de péssima qualidade também, então vai de nós importadores sabermos aquilo que estamos importando.
Diário – Esta semana empresários brasileiros do setor têxtil reclamaram bastante da concorrência desleal com os produtores de tecido da China.
Ladislau Um dos grandes problemas que nós enfrentamos aqui por engordar o custo da produção é exatamente a mão de obra, os encargos trabalhistas, os encargos sociais são muito pesados no Brasil em relação à China que pratica preços que não conseguimos competir.
Diário – Esta semana a sua empresa completa 40 anos no Amapá, como está sendo esse aniversário?
Ladislau  Exatamente. Eu incorporei ao Exército em janeiro de 1976 e quando foi em novembro demos baixa do Exército e para nossa felicidade em 1º de dezembro daquele ano nós iniciamos nossas atividades lá na Madeireira Amazônia, empresa que agora está completando 40 anos, hoje chamada de Monte Casa e Construção. Então é um motivo de alegria para nós tanto que oferecemos um café da manhã aos nossos clientes em parceria com as Tintas Coral que tem sido nossa grande parceira. Houve corte de um grande bolo de aniversário, marcado também por muitas promoções e muitas campanhas voltadas ao nosso público em geral.

Perfil…

Entrevistado. O empresário Ladislau Pedroso Monte tem 58 anos de idade e é natural de Macapá. Pai de três filhos, teve como primeiro emprego ser recruta do Exército Brasileiro, tendo servido na Companhia de Comando e Serviços do 3º Batalhão Especial de Fronteira, em Macapá, na turma de 1976. Assim que deu baixa das fileiras do EB, ajudou a fundar na companhia de familiares, a Madeireira Amazônia, num lugar chamado à época de Chapéu de Palha, em Macapá. A empresa se consolidou após entrar para o ramo da venda de materiais de construção e, mais recentemente, de casa e decoração. Formado e Administração de empresas, também ocupou importantes cargos nas entidades do comércio do Amapá.

JIPEIROS NO EQUADOR: Competição Off-road no Meio do Mundo

A foto histórica do sjipeiros no Meio do Mundo com o Jeep Willys de Manoel Mandi içado por guindaste
CLEBER BARBOSA
EDITOR DE TURISMO

O complexo turístico do Marco Zero do Equador é o palco de mais uma edição do Fest Jeep no Meio do Mundo, comemorando em grande estilo a passagem do fenômeno natural do Equinócio da Primavera. O evento “Off-road”, que significa “fora-de-estrada” ocorre desde ontem num circuito indoor montado no estacionamento do Sambódromo de modo que os pilotos possam concorrer ora no Hemisfério Norte, ora no Hemisfério Sul.
A programação foi aberta no fim da tarde de sexta-feira, com a cerimônia de abertura e recepção aos pilotos, que estarão divididos em quatro categorias: Jeep Willys, Jeep Diesel, Jeep Gasolina e Picape. Ainda terá a estreia da categoria e Jeep Feminino. A pista tem 800 metros de comprimento, num traçado sinuoso e com duas pernas, ou seja, as baterias são duplas, com os pilotos correndo um ao lado do outro, um por fora e outro por dentro, com a inversão na volta seguinte. Os tempos são somados e os donos das melhores médias avançam para as finais, que ocorrem neste domingo, a partir das 14 horas.

Intercâmbio – O traçado é semelhante ao da cidade de Brusque (SC), onde acontece o maior evento do segmento no país, a FenaJeep, a Festa Nacional do Jeep. O coordenador daquele evento, inclusive, está em Macapá para ajudar os associados do Jeep Clube de Macapá no Fest Jeep no Meio do Mundo. Seu nome é Vilmar Valendowsky, conhecido como Negão. Também existem jipeiros do Rio de Janeiro, que cruzaram o país numa expedição até o Amapá.

Segundo o atual presidente do Jeep Clube de Macapá, Adriano Bosco, será o primeiro grande evento sem a presença de Manoel Mandi, idealizador da competição e que faleceu no mês passado. “Esse será outro desafio, mas ao mesmo tempo um incentivo seguir adiante com o grande legado deixado por nosso eterno presidente Mandi”, concluiu o dirigente do clube.

Emoção – Durante todo o evento, um guindaste de 30 metros de altura mantém içado um Jeep Willys ano 1974, que pertencia ao ex presidente do Jeep Clube de Macapá, o empresário Manoel Mandi, que faleceu há exatos 30 dias. “Essa foi a forma que nós encontramos para prestar uma justa homenagem ao Mandi, que idealizou o Fest Jeep, mais que isso, fez ele se transformar no maior evento do calendário anual do automobilismo amapaense”, diz José Maria Esteves, amigo e diretor técnico do evento deste ano.
As arquibancadas são cobertas e a entrada é franca, mas aberta a receber donativos.

Evento ajudará a Apae de Laranjal do Jari
Uma das marcas dos eventos promovidos pelo Jeep Clube de Macapá são as contrapartidas sociais. Para o 8º Fest Jeep no Meio do Mundo a entidade escolhida foi a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, a APAE de Laranjal do Jari, no sul do estado. A entidade passa por muitas dificuldades para manter-se em funcionamento e cuidando de quase 300 crianças especiais daquele distante município interiorano.
A partir da contrapartida dos associados e de parceiros do evento, estão sendo assegurados R$ 5 mil em gêneros alimentícios. Além disso, o publico que vai ao circuito no Meio do Mundo poderá levar voluntariamente 01 quilo de alimentos não perecíveis, que serão posteriormente encaminhados a outras entidades filantrópicas. “O Jeep Clube caminha sobre esse tripé, o esporte, claro, afinal todos somos apaixonados por jipes, como também o trabalho social e a promoção do Amapá como destino turístico, diz a jipeira Perpétua Mourão, que é membro da diretoria do clube.
Entre outras ações sociais, transporte de vacinas em áreas de difícil acesso, de donativos a vítimas de enchentes e, mais recentemente, o Jeep Noel, que há dois anos vai à Vila Velha do Cassiporé, em Oiapoque.

A trajetória do Jeep Clube de Macapá é marcada por ações sociais e turísticas
O Jeep Clube de Macapá foi fundado em 26 de dezembro de 2001, quando ganhou status de uma associação filantrópica, sem fins lucrativos. Mas antes disso já ocorriam informalmente reuniões de amigos com a mesma paixão por jipes e outros veículos com tração nas quatro rodas. Bastava um convite de um integrante do grupo para conhecer um sítio, uma fazenda ou mesmo uma trilha escorregadia para que se pudesse testar as habilidades dos pilotos e também a versatilidade dos carros. Nascia o esporte Off-Road no Amapá, que significa “Fora-de-estrada”.
Mas com a criação do clube também vieram as ações sociais, uma das principais marcas deste grupo de aventureiros. O transporte de vacinas em regiões de difícil acesso, a arrecadação de donativos para a Casa da Hospitalidade, para o Instituto do Câncer Joel Magalhães, para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, entrega de cestas básicas e brinquedos para moradores da Cachoeira de Santo Antônio, participação do sopão em Itaubal do Piririm, em parceria com o Rotary Club e o Exército Brasileiro, participação em campanhas educativas e de orientação sobre a dengue, entre outras ações, marcaram essa trajetória de solidariedade e amor ao próximo.
Os jipeiros também se tornaram verdadeiros embaixadores do turismo do Amapá, à medida que difundem a importância do turismo interno, ou seja, fazendo com que os amapaenses nascidos ou não aqui, despertem o desejo de conhecer o próprio Estado, com sua natureza intocada, seus rios e igarapés, cachoeiras e, claro, sua gente interiorana. Quando as expedições são para fora dos limites do Amapá, a ideia é sensibilizar outras pessoas de lá a virem nos visitar, e para isso os jipeiros sabem fazer as honras da casa. Costumam adesivar os carros com fotos de atrações turísticas do Amapá, para promove-lo.

PROGRAMAÇÃO
· DOMINGO:

– ÀS 14h – LOCAL: Pista de Prova – Início do segundo dia de provas do Indoor.

– ÀS 18h – Encerramento do Indoor.

– ÀS 19h – Premiação aos Campeões das modalidades.

800metros
Extensão da pista do 8º Fest Jeep no Meio do Mundo

ADRENALINA

Empresa AMCEL comemora seus 40 anos de atividades no Amapá

O governador do Amapá compareceu à cerimônia com tradição japonesa que marcou a data
A AMCEL, Amapá Florestal e Celulose S.A., está comemorando este ano, seu quadragésimo aniversário de atividades ininterruptas no Estado. Fundada pelo grupo CAEMI em 1976, ainda durante a existência do território federal, a empresa é pioneira na Amazônia em manejo florestal sustentável e, nesses 40 anos de existência, vem processando cavacos de eucalipto nos mais exigentes padrões de qualidade, suprindo de matéria prima a indústria de celulose e produtos de madeira nos países da Europa e da Ásia.
Com área de influência em diversos municípios do Estado, a AMCEL, gera hoje mais de 600 empregos diretos e cerca de 3 mil postos indiretos de trabalho, incluindo a cadeia de fornecedores, prestadores de serviço existentes nas áreas de atuação. É atualmente controlada acionariamente pelos grupos japoneses Nippon Paper Industries e NYK- Nippon Yusen Kaisha, ambas com experiência global nas áreas florestal, produção de celulose, papel, logística de transporte e navegação marítima. A AMCEL exporta, através da CDSA-Companhia Docas de Santana, cerca de 900 mil toneladas de cavaco de eucalipto por ano e é considerada a maior operadora portuária e também a maior exportadora do Estado do Amapá.
Para a AMCEL, gestão social consiste em agir com transparência, ética e responsabilidade na relação com as partes interessadas, respeitando direitos e contribuindo positivamente para a melhoria da qualidade de vida das pessoas. Entre os principais programas sociais apoiados pela empresa estão: Educação de Jovens e Adultos, Projeto Escola da Madeira, Projeto Pirralho, Projeto Infoco, Projeto Carcará e Parceria com apicultores da região de Porto Grande. Todos voltados à educação e aprimoramento da mão de obra das comunidades ao entorno de suas atividades, e em especial, as comunidades mais carentes.

Funcionários e convidados da AMCEL compareceram a um coquetel em Macapá
O grande desafio na área ambiental, para a AMCEL, é manter o meio ambiente e os padrões da legislação vigente e da Certificação Ambiental NBR ISO 14001.  Para isso, a empresa prioriza a melhoria contínua dos processos produtivos, sempre alinhadas com sustentabilidade econômica, social e ambiental. As florestas da AMCEL são certificadas pelo princípios e critérios do FSC, CERFLOR e PEFC de Manejo Florestal e Cadeia de Custódia.
Entre as principais atividades da gestão ambiental estão a preservação de áreas de interesse comunitário; monitoramento ambiental, buscando conhecer a dinâmica dos vários recursos naturais, preservando nascentes e faunas naturais e gerenciamento de resíduos que estabelece os procedimentos para descarte e utilização de rejeitos gerados nas atividades florestais, de forma a reduzir seus impactos no meio ambiente.
“Procuramos agir de forma a gerar benefícios sociais, econômicos e ambientais a todos com quem interagimos. E não hesitamos em revisar e atualizar nossos conceitos, sempre que necessário, desde que para contribuir, de forma positiva, com o crescimento e o desenvolvimento das comunidades vizinhas. Na questão ambiental, tudo é feito sob total controle, através de monitoramentos ambientais, gerenciados pelo Sistema de Gestão Ambiental da Organização”, garante Carlos Penha, gerente para Assuntos Regionais e Institucionais da empresa.
Ontem a empresa ofereceu um coquetel aos seus colaboradores, autoridades e imprensa para comemorar o aniversário. Executivos da Nipon Paper e da NYK- Nippon Yusen Kaisha, vindos do Japão, participaram do evento e falaram sobre o sucesso do empreendimento florestal sustentável e agradeceram as parcerias com as comunidades que permitem o seu desenvolvimento.

Curso de fotografia nível intermediário em Macapá com inscrições abertas

O Foto Nunes promove entre os dias 03 e 09 de outubro a terceira edição do curso Práticas Fotográficas – nível intermediário. A iniciativa é direcionada a fotógrafos com experiência e domínio de configurações manuais de câmeras DSLR.
O curso terá carga horária de 21h/a e contará com exercícios práticos envolvendo modelos vivos masculino e feminino, fotografia de produtos, aula externa de fotografia de ação, além de conteúdo teórico sobre fotometria, objetivas, direito autoral e de imagem.

Os interessados devem possuir câmeras DSLR e realizar sua inscrição no Foto Nunes em horário comercial. O investimento para participar do curso é de R$ 300,00 que podem ser parcelados em 3x no cartão de crédito, ou receber desconto de 10% para pagamentos à vista.

Quem conduzirá as aulas será o fotógrafo Alexandre Brito, com mais de 10 anos de experiência no ensino da fotografia em cursos de bacharelado como Jornalismo e Publicidade, o instrutor elaborou um material didático exclusivo para o curso Práticas Fotográficas que inclui diversos exercícios práticos nos quais os participantes do curso poderão aprimorar suas técnicas fotográficas.
Serviço:Curso Práticas Fotográficas – Nível Intermediário
Aulas: de 03 a 09 de outubro
Hora: 15h30 às 18h30 
Investimento: R$ 300,00 (parcelamos no cartão em até 3x e concedemos desconto de 10% para pagamentos à vista)
Inscrições: Foto Nunes – Av. Diógenes Silva, 1098, Trem
Fones: (96) 981183510 (whats) ou (96) 991405189
Pré-requisitos: possuir câmera DSLR e dominar regulagens manuais de diafragma, obturador e ISO.

TURISMO | Gastos de estrangeiros no Brasil crescem 38% na Olimpíada

Os Jogos Olímpicos Rio 2016 impulsionaram a receita cambial do turismo, que corresponde ao volume de gastos do turista estrangeiro no Brasil. Em agosto, mês de realização do evento, a receita cresceu 38,14% na comparação com o mesmo período do ano passado, alcançando a marca de US$ 602 milhões.
Em termos absolutos, o aumento corresponde a US$ 166 milhões, já que em agosto de 2015 a receita cambial foi de US$ 436 milhões. No acumulado de janeiro a agosto deste ano, o percentual de aumento é de 9,78% e o volume de gastos de US$ 4,22 bilhões, segundo dados divulgados nesta segunda-feira (26) pelo Ministério do Turismo.
“Esse aumento da receita cambial turística no mês de realização da Olimpíada confirma a nossa expectativa de que o evento foi um sucesso e teve um impacto extremamente positivo para a imagem e para a economia do Brasil”, comenta o ministro interino do Turismo, Alberto Alves. Os dados relacionados aos Jogos Paralímpicos serão divulgados somente em outubro.
O percentual de 38,14% de aumento de gastos internacionais é o maior do ano, no comparativo com 2015. Em relação à despesa cambial - gastos de brasileiros no exterior - houve aumento de 2,3% em relação a agosto do ano passado. De US$ 1,26 bilhão para US$ 1,29 bilhão, sendo que no acumulado do ano a variação é negativa, de -28,68%.
Os dados da despesa e receita cambial são apurados pelo Banco Central e considera gastos com cartões de crédito e trocas oficiais de moeda.

domingo, 11 de setembro de 2016

Notas da coluna ARGUMENTOS, deste domingo, dia 11 de setembro de 2016.

Estrada

Olha uma boa notícia para os moradores da zona norte de Macapá. Trata-se do anúncio da construção da Rodovia da Integração, que ligará a rodovia km 9 (AP 440) à rodovia Norte-Sul. Passará pela Linha E do polo rural que fica atrás do bairro Marabaixo.

Bifurcação

Agora essa via fará a ligação com a zona oeste da capital, como queria o nosso Jota Ney, que não concorda muito que a estrada aberta atrás da pista do aeroporto seja chamada de ‘Norte/Sul’.

Alternativa

No QG da campanha do atual prefeito de Santana, Robson Matos, já se fala num ‘Plano B’, caso ele não possa mesmo disputar a reeleição, devido à condenação que pode deixá-lo inelegível.

Viu essa?

Por falar em eleições, nessa semana a mídia mostrou que mais de 90 municípios do Brasil possuem apenas um candidato a prefeito na disputa deste ano. Sim, sem concorrentes. Como assim? Tá tão ruim ser prefeito?

Só um

Pelas regras da Justiça Eleitoral, esses candidatos únicos precisam ao menos de um voto para consagrar a vitória nas urnas, o que é fácil, convenhamos. Agora, se alguém não conseguir. Vá ser ruim de voto!!

No rádio
O promotor de justiça Milton Amaral esteve ontem em nosso Conexão Brasília para falar do ‘Seminário da Luz’, que a Seicho-no-ie do Amapá promove neste domingão. Será um evento para qualquer denominação religiosa, pois o foco é a meditação e a busca pela paz.

Dúvida

Leitor Carlos Guilherme envia questionamento sobre competência do Dnit para aplicar multas de trânsito no Amapá. Sim, os tais pardais andam flagrando veículos em excesso de velocidade e notificando condutores pelos Correios. Encaminhamos a pergunta ao superintendente Fábio Vilarinho.

Recurso

O executivo local do Dnit lembra que em recente julgamento o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes possui, sim,competência para fiscalizar o trânsito e aplicar multas por excesso de velocidade nas rodovias federais.

Amparo

O relator do recurso, ministro Herman Benjamin, disse que o Dnit tem amparo no artigo 21 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro) e citou a Lei 10.233/01, que ampliou as funções exercidas pelo Dnit. Aí foram mantidos os efeitos dos autos de infração aplicados pelo órgão.


O MUNDO PELA JANELA: As fotos do piloto amapaense Jorge Mareco

CLEBER BARBOSA
EDITOR DE TURISMO
Ele já esteve nas páginas do Diário do Amapá pela maneira inusitada com que se reporta aos passageiros dos aviões que pilota, tanto que admitiu ser um radialista frustrado, por assim dizer. “Estamos deixando Belém do Grão-Pará em direção ao Principado de Macapá”. Este é um dos bordões do piloto Jorge Mareco, um amapaense que distribui simpatia ao microfone da cabine de comando dos jatos da Latam Linhas Aéreas pelo país. Claro que sempre que o colocam na rota para Macapá ele se derrete e declara seu amor por sua terra, sua gente e sua cidade-natal, a bucólica Serra do Navio. Mas agora resolveu ir além, está postando em suas redes sociais as fotos que tira da cabine.
E vamos combinar que todo mundo que tira fotos pela janela do avião certamente já imaginou como seria poder estar na cabine dos pilotos, com a vista privilegiada que deve ter ali. “Costumo dizer que as fotos são a forma que encontrei de dar carona aos nossos passageiros”, diz o Comandante Mareco.
Nos últimos tempos, ele resolveu interagir com os internautas que o seguem fazendo desafios como advinhar que cidade ele está sobrevoando. “Sim, pois a visão das cidades de uma altura como a que a gente voa pouca gente conhece, daí a dificuldade de reconhecer o desenho de algumas, totalmente diferente daqueles cartões postais de antigamente”, brinca o piloto.
Carreira – A sua maneira descontraída com que se reporta aos passageiros pelo sistema de som das aeronaves chama a atenção e não é raro alguém lhe perguntar se ele não é um radialista frustrado. “Muitos dizem que estou na profissão errada, que tenho dom para radialista, mas não tenho essa pretensão. Faço isso de vez em quando só para descontrair mesmo e quebrar um pouco o gelo, para ajudar a relaxar as pessoas”, diz, descontraído.
Ele conta que a aviação passou a fazer parte de sua vida desde a infância, quando observava as aeronaves cruzando os céus e sonhava ser piloto. Na juventude, depois de tentativas prestando vestibular para medicina e odontologia, acabou investindo mesmo na velha vontade de ser aviador. “A aviação me contaminou aos dezoito anos de idade, foi o aerococus, o vírus da aviação, e desde 1995 sou formado como piloto e estou há mais de dez anos na TAM”, relembra.
Com uma política de valorizar as localidades onde os comandantes possuem seus familiares, a atual empresa de Jorge Mareco sempre o escala para operar voos para Macapá, para alegria de seus pais, Marlene e Jorge que moram na cidade.

Estatísticas atestam a segurança do avião, diz o piloto

A carreira de piloto é, de longe, uma das mais charmosas que existem, afinal poder conhecer seu país inteiro e até vários países pelo planeta não é para qualquer um, mas a pergunta que não quer calar é: e os riscos dessa profissão? Sim pois em caso de algum problema nos voos os resultados poderão ser terríveis, já que de acidentes aéreos pouca gente sobrevive, não é mesmo?
Não para o piloto Jorge Mareco. Ele diz que hoje a aviação está num patamar de segurança absurdo. “A tecnologia embarcada é de outro mundo. Foi-se o tempo que voar era perigoso, pois hoje em dia é muito mais seguro você sair daqui para Belém em uma aeronave de grande porte do que ir daqui até a Praça Zagury de carro, quando pode sofrer um acidente de trânsito”, compara o profissional.
Ele diz ainda que toda essa tecnologia embarcada diminui drasticamente a possibilidade de falha humana. “O computador está ali para ajudar a gente, mas claro que na hora em que ele falha, tem lá um ser humano para controlar, daí eu dizer que a gente não pilota os aviões, a gente os gerencia”, completa Mareco.

Orgulho de ser do Amapá, diz, inspirado no bordão de sua companhia aérea

Quem já voou pela TAM sabe do bordão que os comissários repetem sempre, ‘uma companhia que tem orgulho de ser brasileira’. E foi pegando carona nele que o Comandante Mareco certamente se inspirou para falar do orgulho de ser amapaense. “Para mim é um orgulho total. A gente sair daqui, querendo ou não moramos na região norte, longe dos grandes centros do país, portanto com mais dificuldades para a gente sair daqui e se fixar nesses lugares maiores, daí eu falar sempre se boca cheia do orgulho de ser daqui”, diz o piloto.
Ele também usa de muito bom humor para reportar as informações aos passageiros em suas aeronaves. Recentemente foi ‘flagrado’ depois de um pouso que não foi um dos mais suaves em Macapá, quando pegou o microfone de disse, bem a vontade: “Só para avisar que quem pousou o avião foi o copiloto”, para risos de quem estava a bordo. Ele também é espirituoso quando fala da segurança deste tipo de transporte. “Está mais do que comprovado que o avião é o meio de transporte mais seguro que existe, só perde para o elevador…”, diz.
Ele também rende homenagens a várias gerações de pilotos que já voaram e ainda voam no Amapá. Entre seus contemporâneos estão Daniel Oliveira e Felipe Lima, este último inclusive colega de companhia e que já operou voos ao seu lado para Macapá. “Fico muito feliz com essa oportunidade de falar da nossa profissão e de ser do Amapá, pois não é fácil chegar até aqui, foi muita ralação, muito estudo, muito ‘não’ pela frente e a gente investe alto nisso, porque querendo ou não é um investimento alto a carreira de piloto e a gente sua muito a camisa e todo reconhecimento nos deixa muito feliz, de verdade. Jorge Mareco hoje mora em Florianópolis (SC).

CURIOSIDADES
– A carreira de Jorge Mareco foi iniciada no Aeroclube do Pará, onde fez as primeiras aulas teóricas e também as aulas práticas;
– Ele diz que o avião é o meio de transporte mais seguro que existe, só perdendo para o elevador;
– Para ajudar a quebrar a tensão dos passageiros, sempre que pode ele usa de bom humor no microfone do sistema de som das aeronaves.
8.000Número de horas de voo do piloto Jorge Mareco.

NAS NUVENS

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Planos de saúde têm venda suspensa a partir desta sexta-feira

Medida da ANS atinge 23 produtos de oito operadoras; beneficiários não são afetados
Começa a valer nesta sexta-feira (09/09) a suspensão da comercialização de 23 planos de saúde de oito operadoras em função de reclamações relativas à cobertura assistencial, como negativas e demora no atendimento. A medida faz parte do monitoramento periódico realizado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) pelo Programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento. Se melhorarem o serviço prestado e tiverem redução do número de reclamações, as operadoras poderão ter a comercialização liberada no próximo ciclo, daqui a três meses.
“Trata-se de um mecanismo que gera efetividade no mercado, uma vez que tem como foco a melhoria dos serviços prestados aos consumidores. As operadoras que conseguirem perceber este monitoramento como uma oportunidade de revisão de seus processos internos podem obter mudanças bastante positivas. Do ponto de vista do beneficiário, ter acesso a tudo que contratou, com qualidade e em tempo oportuno, é o desejado, e o monitoramento possui exatamente este objetivo, além de conferir transparência e a ampliar a capacidade de escolha no ato da aquisição do plano de saúde”, destaca a diretora de Normas e Habilitação dos Produtos, Karla Santa Cruz Coelho.
Desde a divulgação do último ciclo (1º tri/16), os beneficiários também podem consultar informações do programa de monitoramento por operadora, conferindo o histórico das empresas e verificando, em cada ciclo, se ela teve planos suspensos ou reativados. Os dados estão disponíveis desde o 4º trimestre de 2015, quando teve início a nova metodologia do programa, introduzida pela Instrução Normativa nº 48/2015.
Para dar mais transparência e possibilitar a comparação pelos consumidores, a ANS disponibiliza ainda um panorama geral com a situação de todas as operadoras, com a classificação das empresas nas quatro faixas existentes (que vão de 0 a 3).


Resultados do 2º Trimestre de 2016

No período de 01/04 a 30/06/2016, a ANS recebeu 13.571 reclamações em seus canais de atendimento. Desse total, 11.445 queixas foram consideradas para análise pelo programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento. São excluídas as reclamações de operadoras que estão em portabilidade de carências, liquidação extrajudicial ou em processo de alienação de carteira, que já não podiam mais ser comercializados porque as empresas estão em processo de saída ordenada do mercado. No universo avaliado, 92,1% das queixas foram resolvidas pela mediação feita pela ANS via Notificação de Intermediação Preliminar (NIP), o que garantiu a solução do problema a esses consumidores com agilidade.
Os planos de saúde suspensos possuem, juntos, cerca de 167 mil beneficiários. Estes clientes continuam a ter a assistência regular a que têm direito, ficando protegidos com a medida, uma vez que as operadoras terão que resolver os problemas assistenciais para que possam receber novos beneficiários.
Das 8 operadoras com planos suspensos neste ciclo, 2 já tinham planos em suspensão no período anterior e 6 não constavam na última lista de suspensões. Paralelamente à suspensão, 8 operadoras poderão voltar a comercializar 34 produtos que estavam impedidos de serem vendidos. Isso acontece quando há comprovada melhoria no atendimento aos beneficiários. Das 8 operadoras, 6 foram liberadas para voltar a comercializar todos os produtos que estavam suspensos e 2 tiveram reativação parcial.
A medida é preventiva e perdura até a divulgação do próximo ciclo. Além de terem a comercialização suspensa, as operadoras que negaram indevidamente cobertura podem receber multa que varia de R$ 80 mil a R$ 250 mil.


Azul usa passageiros em campanha publicitária denominada “Sua alegria faz a gente voar”

Primeira campanha institucional, criada pela agência Y&R, apresenta novo posicionamento da marca com viajantes reais, fotografados por Maurício Nahas em pleno voo
“Aí a sua felicidade deixa a gente ainda mais feliz e nos faz trabalhar ainda melhor. Simples assim. É isso que você vê e sente em cada aeronave da Azul para qualquer um dos nossos destinos no Brasil e no mundo. Então seja bem-vindo e fique à vontade. Afinal, na Azul, é a sua alegria que faz a gente voar”. O mote da primeira grande campanha institucional da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, criada pela agência Y&R, reflete o DNA da companhia e sua preocupação em cuidar das pessoas. A campanha conta com veiculação nacional, trazendo viajantes reais, fotografados pelo renomado Maurício Nahas.
A campanha composta por um filme manifesto para TV e internet (https://youtu.be/ej0fsEiI93U), anúncios impressos (revistas e jornais), spots de rádio e mídia exterior muda a maneira da companhia aérea se comunicar com seus clientes. Para ilustrar a proximidade cada vez maior da Azul com seus viajantes, todas as peças mostram pessoas reais, em viagens de lazer ou negócios, para alguns dos destinos mais exuberantes do país – Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Manaus (AM), Foz do Iguaçu (PR), Gramado (RS) e Bonito (MS) – e para Orlando (EUA).
“Mais do que voar, nosso negócio é cuidar de pessoas. São para elas que nossos tripulantes trabalham todos os dias, seguindo nossa missão de servir, servir e servir. A Azul quebrou paradigmas e trouxe ao mercado brasileiro um estilo diferente de voar e é isso que estamos mostrando nessa nova campanha institucional. Reforçamos alguns atributos da marca Azul: uma empresa espontânea, simpática, jovem e muito atenciosa”, destaca Cláudia Fernandes, diretora de Marketing e Comunicação da Azul.
Para evidenciar o DNA da Azul em proporcionar uma experiência de viagem diferenciada, com momentos únicos, embalados por cuidados especiais, os próprios clientes toparam ser fotografados. “Optamos por surpreender os clientes da companhia aérea com um pedido para fotografá-los, assim na hora, do jeito que estavam, sem os aparatos dos grandes ensaios fotográficos com o objetivo de mostrar que, para a Azul, em primeiro lugar vem as pessoas e a experiência que elas têm com a companhia – que está em sintonia com seus clientes – oferecendo uma aviação mais humana e próxima, por isso o conceito ‘Sua alegria faz a gente voar’”, acrescenta Marcello Penna, VP de Atendimento da Y&R. A criação é de Christian Fontana e Jorge Iervolino, com direção de Criação de Jorge Iervolino.

Sobre a Azul
A Azul Linhas Aéreas Brasileiras é a companhia aérea com o maior número de destinos oferecidos no país. A empresa detém uma frota de 125 aeronaves, mais de 10.000 funcionários, um número superior a 800 voos diários, mais de 100 destinos oferecidos e um terço do total de decolagens do país. A qualidade de seus serviços já foi comprovada por inúmeros prêmios, nacionais e internacionais. Em 2016, foi reconhecida como a empresa aérea low cost mais pontual do mundo pela Official Airline Guide (OAG). No mesmo ano foi eleita pela sexta vez consecutiva, pela Skytrax World Airline Awards, como a Melhor Companhia Aérea Low Cost da América do Sul, e, pela primeira vez, como Melhor Equipe de Atendimento ao Cliente da América do Sul. A Azul também foi considerada a Melhor Empresa Aérea do Mundo em Gestão pela Airline Strategy Awards. Em 2014, a Azul foi reconhecida como a Melhor Companhia Aérea Low Cost do Mundo pela CAPA – Centre for Aviation. Saiba mais em www.voeazul.com.br.