Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura e política.

PUBLICIDADE

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Randolfe confirma audiência da CPI do Ecad em Macapá



No próximo dia 02 de setembro a CPI do ECAD do Senado realizará em Macapá-AP sua primeira audiência pública fora de Brasília. A audiência ocorrerá na Assembléia Legislativa do Estado, às 10 horas, com a presença dos senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e Lindberg Farias (PT-RJ), além de artistas e produtores culturais do Norte e do Nordeste, que serão ouvidos pela comissão. O ECAD foi criado pela Lei n˚ 5.988, de 14 de dezembro de 1973. É uma sociedade civil que tem a função de arrecadar e distribuir direitos autorais. Tem sede localizada no Rio de Janeiro e 130 agências autônomas instaladas em todas as regiões do Brasil. Motivado por inúmeras denúncias de desmandos e obscuridade na gestão de recursos oriundos de direitos autorais, por parte do Escritório de Arrecadação e Distribuição – ECAD, o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) propôs no Senado a criação da CPI do ECAD, através do requerimento n˚ 547, de 17 de maio de 2011. Instalada no dia 9 de junho, a CPI é Presidida pelo próprio senador Randolfe e tem como relator o senador Lindbergh Farias (PT-RJ). Seus trabalhos tem prazo até o 12 de dezembro deste ano para serem concluídos.


Notas desta quarta-feira







Prestígio

O vereador Raimundo Piaba (PV) tem mesmo muito prestígio junto ao presidente José Sarney (PMDB-AP). Uma articulação dele rendeu uma audiência hoje do parlamentar de Calçoene no Ministério das Minas e Energia (MME). O assessor de imprensa de Sarney, Luiz Antônio, foi designado para cobrir o evento. Energia elétrica e Lourenço em pauta.

Sua versão

A deputada Cristina Almeida (PSB) disse à coluna que a respeito da nota publicada ontem sobre ter saído do Plenário da AL depois dos questionamentos feitos pela deputada Marília Góes (PDT), não foi bem interpretada. “Saí por ter visto uma falha do projeto do Governo sobre o Conselho de Cultura, para tirar o quórum”, disse a parlamentar.

Sua posição

Provocada pelo colunista a respeito do porquê não ter rebatido nem na segunda e nem ontem as provocações da oposicionista Marília Góes, a deputada Cristina declarou que não fez porque não quis. “Só o farei quando achar conveniente”, disse ela, que na próxima semana leva seu gabinete Itinerante até Oiapoque.

Na mídia


A mídia nacional começa a repercutir as relações internacionais do Amapá com a Guiana Francesa. Ontem, correspondentes do Estadão e da Carta Capital vieram a Macapá entrevistar gente como o deputado Paulo José (PR), da Comissão de Relações Exteriores da AL. O governo francês anuncia uma comenda ao presidente Moisés Souza (PSC) pelo apoio dado à cooperação tranfronteiriça.

Esticando

Ainda rende o polêmico projeto do governador Camilo, que quer mudar a composição do Conselho Estadual de Cultura. Uma emenda ao projeto, feita pelo deputado Charles Marques, poderia pôr fim ao impasse, mas deixou descontentes os artistas que têm acompanhado a votação. Por falta de acordo, parlamentares saíram e obstruíram a votação. Volta à pauta hoje.

Uma tese

O deputado estadual Edinho Duarte (PMDB) defendeu uma tese para as vaias ao governador Camilo Capiberibe, no show de Ivete Sangalo, no Sambódromo. “As vaias não foram para ele, mas, sim, para o puxa-saco que tentou brilhar mais do que o rei”, disse, referindo-se a um suposto assessor que pediu à cantora para falar da presença de Camilo no camarote.

Consolo

Keka Cantuária (PDT), que também é artista plástico, enveredou pela literatura, citando Nelson Rodrigues para confortar o colega Eider Pena (PDT) sobre as relações entre oposição e go-verno. “Homens se casam por cansaço e as mulheres por curiosidade. Então meu amigo, essa coisa de contar com o apoio do governo sendo oposição é como se fosse casamento”, disse.

Dr. Brasil

Lembra do “paletó constituinte” do deputado Manoel Brasil? Pois é, ele agora apresenta outra peça de seu guarda-roupas museológico, o “jeans acadêmico”, certamente dos tempos de faculdade de medicina. É claro que ele ouve gozações dos colegas, especialmente quando resolve combinar as duas peças, um resultado desastroso. A desculpa é de que trabalha muito.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Notas desta terça-feira







Nominal

O polêmico projeto que pode fazer os agentes e escrivães de polícia ganharem 70% do salário de delegado terá votação aberta, segundo anunciou a deputada Sandra Ohana (PP). Com as galerias tomadas por policiais vestidos com camiseta pela aprovação da “PEC da Segurança Pública”, ela prometeu votar a favor. “Mesmo eu sendo da base governista”, disse.

Acusações

Fechou o tempo ontem entre as deputadas Marília Góes (PDT) e Cristina Almeida (PSB). A ex-primeira-dama disse que sempre ouve achincalhes pelos episódios da Operação Mãos Limpas (2010) e provocou. “Todos nós temos nossos pecados, deputada. Por que a senhora não fala nada a respeito das operações deste ano?”, indagou. A colega retirou-se.

“Fariseus”

Ainda a respeito da polêmica entre Marília e a líder do PSB na AL, a delegada afirmou que o empresário Nivaldo Aranha, preso pela PF no ano passado, fez uma viagem com o secretário Evandro Gama e continua fornecendo medicamentos para o Governo do Amapá. “Vocês são como fariseus”, disparou Marília.

Denúcia

A Justiça Federal aceitou denúncia do Ministério Público Federal no Amapá (MPF/AP) contra 15 acusados de fraude em licitação, peculato e formação de quadrilha. Treze são servidores da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e dois foram beneficiados pelo desvio de recursos da instituição. Consta na denúncia que os crimes ocorreram entre os anos de 1997 e 2000. Índios, penhorados, agradecem.

Nem votou

A bancada governista suou ontem na AL. Um grupo de artistas foi às pressas ao Legislativo depois que soube da votação de um projeto enviado pelo governador Camilo Capiberibe (PSB) mudando a constituição do Conse-lho Estadual de Cultura, para ter maior controle sobre o colegiado. Deputado Agnaldo Balieiro (PSB) ouviu os artistas e orientou a retirada do quórum.

Acontecimento

O prefeito de Macapá, Roberto Góes (PDT), conseguiu mobilizar muita gente para a Câmara Municipal ontem pela manhã, para lançar o edital de licitação para as obras de conclusão do Hospital Metropolitano. Os deputados federais Luiz Carlos (PSDB), Bala Rocha (PDT) e Evandro Milhomen (PCdoB) prometeram agir para garantir recursos e equipar o hospital.

A vontade

Depois de ter perdido a disputa pela presidência da AL, o de-putado Jaci Amanajás (PPS) andava meio bicudo desde então, mas aos poucos está relaxando mais. Ontem, bem humorado, fez uma revelação que provocou ainda mais descontração. Falou ter sido professor do colega deputado Eider Pena (PDT), no antigo Núcleo Universitário. “Eu o preparei bem”, disse Iaci.

Críticas

O deputado Dalto Martins (PMDB) acusou o Setentrião de pegar carona em uma lei dos militares para promover “seu pessoal” e agora quer o fim do benefício. “Isso é casuísmo e casuísmo na política é golpe”, argumentou. Depois disse ser contra o governo do estado investir R$ 22 milhões na reforma do Hospital Alberto Lima. “Dá para fazer outro, novinho”, disse.

domingo, 28 de agosto de 2011

Coluna Argumentos, de hoje





É candidato
Dito ontem pelo deputado federal Evandro Milhomen (PCdoB-AP) que está mantida sua pré-candidatura a prefeito de Macapá ano que vem. Ele disse confiar de que o atual prefeito e aliado, Roberto Góes (PDT), não vá à reeleição e assim sua aspiração será dada como natural. “Caso contrário ele está à vontade com relação aos cargos que temos lá”, diz.

Nostalgia
Rolou a emoção ontem durante entrevista concedida ao nosso Conexão Brasília, na Diário FM, por dois veteranos que foram recrutas no antigo Tiro de Guerra 130, no distante ano de 1961, em Macapá, unidade que deu origem ao atual 34º Batalhão de Infantaria de Selva. Os atiradores Sebastião Leitão e Moacir Lino, hoje aposentados, foram 10!

Chegamos lá
O deputado Paulo José (PR), que preside a Comissão de Relações Exteriores da AL, se disse otimista ontem, no rádio, a respeito dos preparativos para a inauguração da ponte binacional sobre o Rio Oiapoque, que deve ocorrer em fevereiro. “Um passo de cada vez, porque mais distante já estivemos”, pondera.




Ele merece
A coluna registra, com atraso, a passagem do aniversário do amigo Marcelo Dias (PSDB), vereador da capital, cantor e um grande cerimonialista. Cara tipo do bem, entende? Ele trocou de idade na última sexta-feira e estamos fazendo jutiça à data que é muito cara a ele e seus familiares. Sucesso e muita saúde. Que o resto sua fé, sua estrela e seu talento resolvem. Felicidades ao “Cara do Pop”.

Entrevista
A deputada Dalva Figueiredo (PT-AP) disse durante entrevista ao programa Palavra Aberta, da Rádio Câmara, que a Lei Maria da Penha está sendo revista, sim, mas para melhor. Uma das medidas é que depois da denúncia as mulheres, mesmo decidindo tirar a reclamação, a investigação continuará. — Sem aquela história de ‘não faço mais’, sabe?. Disse ela.

Galeria
O senador José Sarney (PMDB-AP), presidente do Senado Federal, revelou à coluna que está tomando providências para abrir um espaço cultural em sua residência de Macapá, no bairro Santa Rita. A idéia inicial é reunir fotos históricas de sua trajetória como escritor, jornalista e, claro, da longeva carreira política. Pode até lançar seu último livro lá. Cultura agradece.

A volta?
Falou-se numa pesquisa durante a semana dando conta de que o ex-governador Waldez Góes (PDT) estaria gozando de bons índices de popularidade que o credenciariam a disputar a prefeitura de Macapá, em 2012. Há quem diga ter saudades dele à frente do governo, sabia? Numa banca de jornal da cidade isso era tema de uma calorosa discussão, ontem. Será que ele toparia?

Caroneiros
A Caminhada Alexandrina saiu às ruas de Macapá, ontem, com a tradicional alegria dos estudantes e o colorido dos jovens, mas, curiosamente, sem aquela freqüência toda de políticos do tipo “gente boa”, “descolados” ou “humildes” que costumam aparecer usando jeans e tênis em anos eleitorais. Na edição do próximo ano eles certamente aparecerão, pode escrever.

Capa do Jornal do Dia, deste domingo


Capa da Gazeta deste domingo


Capa do Diário do Amapá deste domingo


"Em 2008 apoiamos o PDT, agora é a vez do DEM"

DAVI - Antes uma jovem revelação da política local, agora deputado maduro e aspirante a prefeito


Quando foi eleito o mais votado candidato a vereador de Macapá no ano 2000, Davi Alcolumbre passou a ser considerado uma das maiores revelações jovens da política amapaense. Mas agora que já cumpre seu terceiro mandato como deputado federal, militando nas trincheiras da oposição no Congresso Nacional, ele já é tido como uma grande liderança da política tucuju, onde buscou seu lugar com muita simpatia e simplicidade, mas com uma forte articulação nos bastidores, galgando posições e postos de destaque, como o de titular da Secretaria Municipal de Obras de Macapá, no início avassalador da gestão do maior aliado, o prefeito Roberto Góes (PDT). A forma com que sempre tratou e defendeu a gestão de Góes, o credencia agora a reivindicar o direito de encabeçar uma chapa para sucedê--lo no ano que vem. Falando abertamente, Davi diz nesta entrevista que já recuou uma vez para apoiar o amigo e agora espera receber o mesmo tratamento.




CLEBER BARBOSA
DA REDAÇÃO


Diário do Amapá - Deputado, o senhor participou da última reunião com o ministro da Aviação Civil em que o pro-blema do bairro Alvorada foi discutido. Qual a avaliação desse encontro?
Davi Alcolumbre -
Minha visão após ter participado dessa reunião, pelo que disseram a própria Infraero, o secretário nacional da Aviação Civil, Wagner Bittencourt, os técnicos da AGU [Advocacia Geral da União], além da efetiva participação da Bancada [Federal do Amapá] e a presença do prefeito Roberto [Góes] que veio prestar solidariedade, sem contar a presença do procurador-geral do Estado, representando o Governo do Amapá nessa audiência fortalece e deixou claro para o Governo Federal que tanto a Prefeitura de Macapá quanto o Governo do Estado estão unidos com as bancadas do Estado na Câmara e no Senado em torno de se resolver o problema desses moradores que estão ali a mais de trinta, quarenta anos.

Diário - O que mais incomoda nesse impasse todo entre a Infraero e os moradores, deputado?
Davi -
A forma arbitrária com que a União os trata, ela não pode chegar agora e dizer que é dona das terras, pois a Prefeitura de Macapá tem um documento no Cartório dizendo ser possuidora da gleba. Além disso, os moradores vivem a muitos anos ali, como falei anteriormente, fizeram os benefícios, pagam água, pagam energia, pagam o IPTU, já têm o registro do título e alguns moradores já tem o título definitivo do seu terreno.

Diário - Mas em termos de encaminhamentos para uma solução o senhor acredita que possam ser realmente tirados?
Davi -
Eu não tenho nenhuma dúvida que aquela reunião foi uma preparatória, pois a Câmara de Conciliação que foi determinada pelo ministro Adamis, da AGU vai ser criada, e dentro dessa Câmara haverá a participação de uma pessoa que conhece o Amapá, que é o doutor Orlando Muniz, sabe da questão fundiária do Estado, conhece o problema do Alvorada e com certeza nós deixamos claro que não iremos aceitar a imposição da União para retomar essa área que é do povo do Amapá, que é da Prefeitura de Macapá.

Diário - Deputado, agora falando de política partidária, para um parlamentar de oposição como o senhor como está vendo essas sucessivas exonerações de ministros acusados de improbidade e as estratégias do Governo, ora blindando os envolvidos e impedindo as CPI's, ora demitindo sumariamente?
Davi -
Não foi pedido de demissão, mas sim um argumento que o Governo está usando para tentar de certa forma interromper o processo de investigação que o Congresso tem feito em cima desse governo. Um governo que com oito meses de gestão, que é o governo da Presidente Dilma, com todas as denúncias de corrupção, com quatro ministros da República substituídos, sendo que três sob acusações de desvios de recursos nos seus ministérios e apenas o ministro Jobim que também saiu, mas por um problema pessoal dele com a Pre-sidente Dilma.

Diário - A oposição então não desiste apenas com a troca dos ministros?
Davi -
Nós estamos tentando fazer o nosso papel no Congresso, que é de fiscalizar. Lançamos na semana passada, os partidos de oposição, um site onde a gente vai mostrar para a opinião pública, para a sociedade brasileira quem são os deputados federais e senadores que apóiam as investigações no Brasil. A notícia boa que a gente pode passar para a população é que já em menos de 48 horas do lançamento dessa Frente buscando a constituição de uma CPI Mista da Corrupção, pela Câmara e pelo Senado, a gente juntou mais de 100 assinaturas entre os deputados e mais 20 entre os senadores. A gente precisa de 171 assinaturas na Câmara e de 29 no Senado e com certeza a pressão da sociedade sobre os seus parlamentares vai fazer com que certamente a gente vá ter esse instrumento eficaz, que é a CPI [Comissão Parlamentar de Inquérito], que pode quebrar sigilo bancário de ministro, de assessor de ministro, de secretário, enfim, é um instrumento que vai poder quebrar sigilo telefônico, um poder de investigação que o povo nos deu para representá-lo aqui na Câmara dos Deputados, de fiscalizar e de fazer as leis. É isso o que nós temos feito, infelizmente com o governo barrando a fiscalização, pois quando ele manda um de-putado seu não assinar a CPI alguma coisa está escondendo e não quer que seja descoberto, mas a gente vai fazer o esforço necessário para a gente poder viabilizar a instalação dessa CPI e passar esse governo a limpo.

Diário - Pelo calendário das eleições de 2012 tem uma série de providência que precisam ser tomadas um ano antes do pleito então como o partido que o senhor dirige no Estado está se organizando para as eleições municipais?
Davi -
Olha, a gente está conseguindo organizar o partido de maneira a constituir o partido em todos os municípios, viabilizando a construção dos diretórios municipais. Já fizemos as convenções visando as eleições municipais do ano que vem em todo o Estado e está sendo construído em todos os municípios do Amapá a viabilidade para que o partido possa colocar nomes à disposição do pleito municipal, tanto candidatos a vereador como candidatos a prefeito, vice-prefeito, enfim, não tenho dúvidas de que assim que encerrar o prazo de filiações partidárias que é o primeiro passo que a le-gislação dá para quem pretende disputar uma eleição, um ano antes do pleito, a gente vai conseguir fechar todos os dezesseis municípios a partir daí fazer um diagnóstico de onde nós teremos candidatura própria, onde nós vamos fa-zer composição e onde vamos ter alianças proporcionais para vereador.

Diário - E como isso é feito, digamos em termos de critérios?
Davi -
Identificando as lideranças em todos os municípios, lideranças que estão de filiando hoje para disputarem o pleito como pré-candidatos a vereador, pois ainda não houve a convenção, mas com a perspectiva de participar efetivamente da eleição, colocando seu nome à disposição, como candidatos a prefeito consolidados, podendo compor e indicar o vice em alianças com outros partidos e o desejo de fazer o maior número de vereadores possível, com uma meta estipulada de pelo menos o dobro da quantidade de municípios, pois hoje nós temos quatorze vereadores e queremos chagar ao dobro disso.

Diário - Então para o Democratas a ordem é crescer também nas Câmaras Municipais?
Davi -
Exatamente, queremos avançar na questão proporcional, mas também na questão majoritária, portanto onde tiver condições, for viável para nosso candidato do Demo-cratas, nós teremos candidatura própria, pode ter certeza.

Diário - O senhor é pré-candidato a prefeito de Macapá?
Davi -
Nós estamos trabalhando, como disse anteriormente, em todos os municípios e Macapá, além de ser a Ca-pital, é onde estão 55% dos leitores do Estado do Amapá, então é natural que almejemos também fazer o prefeito da principal cidade. Hoje temos uma aliança com o prefeito da Capital, Roberto Góes, onde nós temos a vice-prefeita Helena Guerra, que é do Democratas. Mas agora é uma nova eleição, a direção nacional do Democratas orientou que tenhamos candidaturas próprias em todas as Capitais, então diante dessa situação e do fato de nós já termos retirado uma candidatura a prefeito de Macapá em 2008 para apoiar a candidatura do PDT agora esperamos que o PDT tenha a mesma deferência.

Diário - Obrigado pela entrevista deputado.
Davi -
Eu é que agradeço a oportunidade de estar falando à população sobre o que se passa em Brasília, do que acontece por aqui, afinal o reflexo das decisões de Brasília, com certeza impactam na qualidade de vida da população do nosso Estado e para mim é uma honra mais uma vez estar aqui em Brasília representando o povo do Amapá com o voto legítimo do cidadão e é isso o que tenho buscado fa-zer durante esses três mandatos como deputado federal, melhorar a vida do povo amapaense e dizer que nós estamos trabalhando firme para buscar recursos necessários para melhorar ainda mais a qualidade de vida da nossa gente.
Perfil
O amapaense David Samuel Alcolumbre Tobelem, filho de Samuel Jose Tobelem e Julia Peres Alcolumbre, é empresário, membro da Associação Comercial e Industrial do Amapá (ACIA), foi vereador por Macapá no período de 2001 a 2003, quando elegeu-se De-putado Federal (2003-2007), pelo PDT. Foi reeleito para o segundo mandato (2007-2011), e no ano passado conquistou o terceitro mandado para a Câmara dos Deputados (2011-2015). Também atuou como Secretário Municipal de Obras de Macapá, entre 2009 e 2010. Presidente do Diretório Regional dos Democratas no Amapá; Membro da Comissão Executiva Nacional dos Democratas; Membro do Conselho Político de Comissão Executiva Nacional da Juventude Democratas. É membro titular da Comissão de Minas e Energia e membro suplente da Comissão Financeira e de Controle da Câmara dos Deputados.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Leia a Coluna desta quinta-feira








De novo

O governador Camilo Capiberibe (PSB) fez festa ontem no encerramento do ciclo de debates para o Plano Plurianual, o PPA Participativo. Prometeu para o ano que vem voltar aos municípios para implantar o Orçamento Participativo e para isso quer contar com o apoio dos prefeitos e, claro, voltou a reclamar do desafeto, Roberto Góes (PDT).

Raio-x

A deputada Roseli Matos (DEM) teve audiência com o promotor de Justiça da Cidadania, Pedro Leite, e fez a entrega de um relatório que descreve fatos observados durante sua visita ao Hospital de Emergência no dia 17 de agosto. O relatório com fotos e declarações de pacientes, definidas como situação desumana, segundo a parlamentar.

Toma lá...

Ganha força a proposta do deputado federal Bala Rocha (PDT/AP) para a construção da Linha de Transmissão de 230 kva, entre Ferreira Gomes e Oiapoque, que atenderia a Guiana Francesa, que devolveria banda larga. Em visita oficial à Guiana, Bala disse que os consideram a proposta “interessante e viável”.

Pô peixe!
O “Baixinho”, que agora é deputado Federal, falou sério ontem durante apresentação da Frente Parlamentar Mista em Defesa das Vítimas de Violência, ao presidente do Congresso Nacional, o senador José Sarney (PMDB-AP). O parlamentar Romário (PSB) e representantes de várias entidades da sociedade civil pediram apoio especialmente para as famílias vítimas da violência.

Homenagens

“Um ponto imortal na história da inteligência brasileira”, definiu o presidente José Sarney (PMDB-AP) em discurso na sessão solene de homenagem aos 30 anos de morte do cineasta Glauber Rocha. Integra a celebração neste mês de agosto, a exibição de vários de seus filmes pela TV Senado. “O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro (1969)”. Ele merece.

Deu medo

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, defende o fim dos subsídios tributários concedidos por alguns estados - como o Amapá - a produtos importados, à revelia do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). Mantega disse que, no caso de importados, esses estados concedem créditos do ICMS, equivalentes a cerca de 10%, mas pagamento efetivo de apenas 2%.

Romaima

A tese de Mantega diz que os fabricantes nacionais pagam alíquotas de 12% e não se beneficiam desses créditos, seus produtos ficariam em desvantagem no preço final ao consumidor, na avaliação do ministro. O senador Romero Jucá (PMDB-RR) tem projeto para uniformizar o tal ICMS para importações. Claro, Roraima não tem Área de Livre Comércio. Mantega apóia.

Útil e agradável

No próximo domingo, o bairro Cidade Nova I, em Macapá, recebe ação social de beleza. A atividade é iniciativa do Sebrae, por meio do Projeto Beleza Empreendedora em Macapá e Santana, em parceria com o Instituto Embelleze. A ação acontece na Escola Maria Ivone Menezes, localizada na avenida Antônio Pelaes Trajano, s/n, das 9h às 13h. Uma bela iniciativa essa.