Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura e política.

PUBLICIDADE

terça-feira, 7 de junho de 2016

Artigo: Definindo o futuro da viagem com inteligência

Novo artigo da Amadeus analisa como o aproveitamento do poder dos dados e análises pode criar novas oportunidades para desenvolver produtos, serviços e processos inovadores.

A tecnologia e o Big Data estão rapidamente mudando as experiências de viagem. Viajar já não é mais apenas ir de um lugar a outro ou organizar roteiros. Agora viajar é ter uma visão 360 graus dos viajantes e usá-la para criar experiências únicas e inesquecíveis adaptadas às preferências e necessidades deles.

Cada passo na jornada de um viajante – desde a busca por disponibilidade até o check-in no hotel – dados são gerados. Esses dados, se coletados de centenas de pontos em toda a rede de viagens, são uma oportunidade valiosa para as empresas de viagens, pois é possível transformá-los em informações importantes que facilitam decisões estratégicas, táticas e operacionais, e também que beneficiam o viajante.

Hoje em dia, além de os profissionais de viagens terem um volume de dados sem precedentes para trabalhar, a capacidade computacional está aumentando exponencialmente, dando-lhes acesso aos benefícios de análises e automações.

Definindo o futuro da viagem com inteligência, o novo artigo da Amadeus Travel Intelligence, descreve como a análise de dados pode ser usada para desenvolver produtos, serviços e processos inovadores que melhor atendam às necessidades dos clientes. Também explica que as empresas de viagens devem estar abertas a experimentação, novas ideias e novas abordagens.

O documento inclui estudos de como a Qantas e a Avianca Brasil estão usando análise de dados providos pela Amadeus Travel Intelligence para otimizar operações e para tornarem-se mais centradas no cliente: a Qantas reduziu o número de voos atrasados em 60% usando o Amadeus Schedule Recovery, enquanto a Avianca Brasil conseguiu centralizar informações e tomar decisões de negócios mais embasadas.

"As empresas mais propensas ao sucesso na futura indústria de viagens serão aquelas que compreendem o Big Data e a experimentação. Elas deverão experimentar novas ideias e abordagens para aumentar a eficiência operacional e melhorar a experiência do cliente - e também se beneficiar de novas receitas e do aumento da fidelidade. Este estudo explora tanto o que pode ser feito hoje, como o que as empresas de viagens podem fazer para estarem melhor preparadas para o futuro", diz Pascal Clement, Chefe de Travel Intelligence do Grupo Amadeus IT.

Você pode baixar o artigo aqui.

Paulo Henrique Romariz
Senior Consultant, Brazil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!