Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura e política.

PUBLICIDADE

sexta-feira, 14 de abril de 2017

SEMANA SANTA | População lota pontos de venda do Programa Peixe Popular

Em dois dias do programa, já foram comercializadas em torno de 65 toneladas de peixes.

Mesmo com a chuva fina que abateu parte da capital, a população saiu de casa nesta quinta-feira, 13, - ponto facultativo em repartições públicas - em busca dos melhores pratos com peixe no feriado da Semana Santa. Os locais lotados, foram os pontos de venda do Programa Peixe Popular, ofertado pelo governo do estado. Feiras como a do Buritizal e Pacoval, desde cedo, já estavam cheias de consumidores ávidos pelo melhor produto, fresquinho e barato.
Tudo isso proporcionado pelo preço acessível do pescado, um dos focos do programa. Nesta edição, as vendas começaram na terça-feira, 11, e seguem até sexta-feira, 14. Espécies como pirapitinga, tucunaré, tambaqui, tamuatá e enormes pirarucus, são comercializados em grande quantidade.
Além das feiras do produtor do Buritizal e Pacoval, o Peixe Popular oferta o pescado nos bairros Congós, Zerão, Marabaixo e Infraero II, em Macapá, além dos municípios de Santana e Porto Grande. A divisão dos postos é estratégica para facilitar o acesso da população ao produto, descentralizando das feiras, que são pontos tradicionais e de grande circulação de consumidores. Outro fator determinante para o sucesso das vendas, são os “caminhões-feira”, que já passaram pelo bairro Vale Verde, conjunto Habitacional Macapaba e, nesta sexta, 14, estará no bairro Brasil Novo, zona norte de Macapá.
O diretor-presidente da Agência de Pesca do Amapá (Pescap), Clesio Cardoso, destacou que, só nestes últimos dois dias do programa, já foram comercializadas, aproximadamente, 65 toneladas de peixes e a expectativa para esta quinta-feira, 13, é o dobro. “Temos um total de 45 toneladas de peixes reservadas e as vendas estão a todo vapor”, notou o gestor.
Renda
O comércio do pescado movimenta outros segmentos da economia amapaense. São pequenos empreendedores que incrementam a renda ofertando produtos como, tomate, cebola, cheiro-verde e condimentos, que não podem faltar nas mais diversas receitas do amapaense. Assim, as vendas nesse setor, também ficam aquecidas.
O jovem empreendedor Otacílio Alenque, da feira do Pacoval, afirma ter vendido muitos legumes e verduras nessa semana, desde o início do ano. “Quem compra peixe, compra os temperos também”, comentou.
O vendedor Antenor Torres, atua desde 2009 no comércio de pescado e emprega quatro pessoas. Experiente, ele fala que as vendas aumentam sempre na quinta-feira, chegando a duas toneladas de peixe, este ano.
O aposentado Francisco de Assis, 54 anos, foi um dos consumidores que procuraram o peixe no ponto de venda de Antenor Torres. O desejo dele é que esta programação do governo do Estado, ocorra pelo menos uma vez por mês. “Comer peixe é excelente e o programa Peixe Popular está nos oferecendo saúde”, declarou satisfeito o aposentado.
As vendas de pescado seguem durante todo o dia desta quinta-feira. E na sexta-feira, 14, no período do manhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!