Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura e política.

PUBLICIDADE

domingo, 17 de abril de 2016

Notas da Coluna Argumentos, domingo e segunda-feira, 17 e 18 de abril de 2016

Senadores

No Senado – que não vota agora – a bancada amapaense está dividida. O único a poiar o Impeachment é Davi Alcolumbre (DEM). Randolfe (REDE) e João Capiberibe (PDB) tomerão posicionamento contrário ao impedimento de Dilma. Mas o foco neste domingo está na Câmara dos Deputados.

Internet

Já o deputado Marcos Reátegui, do PSD, organizou uma consulta aos eleitores do estado pela internet. Isso iria nortear como o parlamentar – que é delegado da PF – irá votar neste domingo. O resultado da enquete foi pelo apoio ao impeachment, mas ele decidiu não anunciar seu posicionamento. Só na urna.

Povão

Haverá manifestações contra e a favor da saída de Dilma Rousseff em Macapá. Qualquer que seja o resultado o temor é que possa acontecer atos de vandalismo ou até ataques de lado a lado. Que os organismos de segurança pública estejam ligados para evitar o pior, é claro.

Talento
A cantora amapaense Aline Silva passa a assinar Aline Miéle. A mudança não é só no nome, mas uma guinada profissional. A jovem de apenas 19 anos, na foto na Diário FM, falou ao programa Conexão Brasília sobre engatar projeto nacional, tendo a Bahia como laboratório. Descoberta por produtores musicais de lá, vai gravar um cd com músicas autorais. Boa sorte!

No sim

O deputado Cabuçu Borges anunciou seu voto no processo de Impeachment da presidente Dilma Roussef. Vai pela abertura do processo que poderá resultar na cassação do mandato dela. “Vou seguir a orientação partidária”, disse o parlamentar amapaense.

Idem

Quem também pôs fim ao mistério sobre como será seu voto neste domingo foi o deputado federal André Abdon (PP). Já estava liberado pela legenda a exercer o voto livre mas não dava pista. Ontem disse ser a favor.

Rádio

Roberto Góes faz jus à indicação para ser o vice líder do governo federal na Câmara e declara voto contrário ao Impeachment. Ontem explicou seus motivos em entrevista ao nosso programa Conexão Brasília.

Demandas

O pedetista confirmou que o apoio à Dilma estava condicionado ao apoio institucional ao estado e descartou vantagens pessoais. “O Amapá precisa de mais antenção por parte do governo federal”, disse.

Caminho

Janete Capiberibe (PSB) vai pelo apoio à presidente. O seu partido havia deliberado pela abertura do processo na Câmara dos Deputados, mas também não vai punir quem não seguir essa orientação.

Um comentário:

  1. Eu não ligo muitos aos conceitos 'Direita' e 'Esquerda'.
    .
    Se defender mais poder negocial para o contribuinte/consumidor é ser de 'Esquerda', então eu sou de 'Esquerda'.
    .
    Mais:
    A DEMOCRACIA É UMA FORMA de dotar o contribuinte/consumidor de algum poder negocial...mas, todavia, no entanto... esse poder negocial deverá ser aprofundado (ver Exemplo 1, e Exemplo 2).
    .
    .
    EXEMPLO 1:
    O CONTRIBUINTE TEM QUE SE DAR AO TRABALHO!!!
    -» Leia-se: o contribuinte tem de ajudar no combate aos lobbys que se consideram os donos da democracia!
    ---»»» Democracia Semi-Directa «««---
    -» Isto é, votar em políticos não é (não pode ser) passar um cheque em branco... isto é, ou seja, os políticos e os lobbys pró-despesa/endividamento poderão discutir à vontade a utilização de dinheiros públicos... só que depois... a ‘coisa’ terá que passar pelo crivo de quem paga (vulgo contribuinte).
    -» Explicando melhor, em vez de ficar à espera que apareça um político/governo 'resolve tudo e mais alguma coisa'... o contribuinte deve, isso sim, é reivindicar que os políticos apresentem as suas mais variadas ideias de governação caso a caso, situação a situação, (e respectivas consequências)... de forma a que... possa existir o DIREITO AO VETO de quem paga!
    [ver blog « http://fimcidadaniainfantil.blogspot.pt/ »]
    .
    .
    EXEMPLO 2:
    CONCORRÊNCIA A SÉRIO!!!
    Não há necessidade do Estado possuir negócios do tipo cafés (etc), porque é fácil a um privado quebrar uma cartelização... agora, em produtos de primeira necessidade (sectores estratégicos) - que implicam um investimento inicial de muitos milhões - só a concorrência de empresas públicas é que permitirá COMBATER EFICAZMENTE A CARTELIZAÇÃO privada.
    [ver blog « http://concorrenciaaserio.blogspot.pt/ »]
    .
    .
    .
    P.S.
    -» A ocasião faz o ladrão!
    -» O contribuinte PAROLO_ista faz o golpista!
    -» Ao passar um cheque em branco aos políticos... o contribuinte PAROLO_ista está a incentivar o golpista... a aplicar um 'chega-para-lá' no adversário político... porque o golpista sabe que ao fazê-lo fica com a faca e queijo na mão!
    -» O contribuinte não pode passar um cheque em branco a nenhum político!!!

    ResponderExcluir

Contribua conosco!