Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura e política.

PUBLICIDADE

domingo, 17 de abril de 2016

TODOS À BRASÍLIA: Impeachment vira atração turística na capital federal

Cleber Barbosa
Da Redação

Brasília costuma ser chamada de “cidade-repartição”, afinal é o centro político e administrativo do país, onde estão instalados os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Mas a capital do Brasil não é só isso, tem um comércio pujante e, acredite, setor industrial em franca ascensão. Mas o fim de semana, que costuma ser sinônimo de esvaziamento da cidade, agora registra aquecimento do setor de turismo, por conta de gente querendo acompanhar o histórico processo de Impeachment da presidente do país.
Segundo técnicos do setor, ouvidos pelo Diário do Amapá em Brasília, a cidade está lotada desde o começo da semana, com picos resultando na falta de acomodação desde sábado. “A gente sabe que o Impeachment é o auge de uma crise política, o que é lamentável, pois significa a possibilidade de um fim de governo prematuramente, mas não se pode negar que virou um espetáculo midiático e ninguém quer perder os eventos, pois é a história do país sendo escrita”, comenta a turismóloga Allessandra Giarolla, 34.
Muitos amapaenses também viajaram para a capital do Brasil seja para protestar a favor ou contra o Impeachment, como também apenas querendo fazer parte da história, como uma testemunha. A seguir mais curiosidades sobre as atrações do lugar.
O projeto de Brasília
Foram desenhados diversos “planos-pilotos” antes da aprovação do projeto do urbanista Lúcio Costa. No formato de avião, o Plano Piloto de Costa levava em conta o relevo da região e o contorno do Lago Paranoá.

Por que Candangos
Em 1956, o governo de Juscelino Kubistchek criou uma empresa chamada Novacap com o objetivo de construir a nova capital do Brasil. Brasileiros de todas as partes do país viajaram para o Planalto Central para trabalhar na obra e passaram a ser chamados de candangos.

Cercada por água
O lago Paranoá nasceu do represamento de um rio da região, chamado rio Paranoá. Brasília está localizada a 1.000 metros acima do nível do mar, numa região plana conhecida como Planalto Central.

A Catedral de Brasília
A Catedral, principal templo católico da capital chama-se, na verdade, Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida.

Arquitetura premiada
Devido ao seu conjunto urbanístico e arquitetônico, Brasília foi reconhecida como Patrimônio Mundial pela Unesco. Ela possui a maior área tombada do mundo: 112,5 quilômetros quadrados.




A cidade futurista que vira patrimônio da humanidade

Brasília é uma cidade que nasceu à frente do seu tempo. A capital brasileira é um monumento a céu aberto e, com apenas 50 anos de existência, já é considerada Patrimônio Cultural da Humanidade. Sua infra-estrutura proporciona opções variadas para o visitante, com mais de 7 mil bares e 3,5 mil restaurantes. Possui intensa vida noturna e cultural, além de riquezas naturais em abundância, como cachoeiras, grutas e lagoas, cenários perfeitos para passeios e a prática de esportes na natureza. A sede administrativa do país também é conhecida pela sua diversidade mística.
Devido ao seu conjunto urbanístico e arquitetônico, Brasília foi reconhecida como Patrimônio Mundial pela Unesco. Ela possui a maior área tombada do mundo: 112,5 quilômetros quadrados.
Entre as cidades-irmãs de Brasília estão Washington (Estados Unidos), Buenos Aires (Argentina), Lisboa (Portugal), Doha (Qatar), Roma (Itália), Lima (Peru), Santiago (Chile), Sidney (Austrália) e Berlim (Alemanha).
Ela possui também o quinto maior PIB per capita entre as principais cidades da América Latina. A Esplanada dos Ministérios é formada por 17 edifícios.

Chamada de “Muro do Impeachment” cerca vira atração turística em Brasília

Com o Congresso fechado para visitações neste fim de semana para a votação da aceitação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), a maior atração para quem visita a Esplanada dos Ministérios é a divisão feita para separar manifestantes pró e contra a saída de Dilma. No sábado (16) pela manhã, foi possível ver diversos turistas e moradores da capital tirando foto no “muro do impeachment”, numa alusão que chega a lembrar o “muro de Berlin”, que foi um símbolo do período da Guerra Fria.
A favor do impeachment de Dilma por acreditar que ela não tem mais condições de governar o país, o casal de servidores públicos Clélia e Casto Costa afirmam que até o muro está sendo politizado. "Brasília é totalmente acolhedora. Este muro que divide a cidade em duas não representa a capital. Representa este momento do país, infelizmente", diz Castro. "É feio, mas é necessário", disse Clélia.
O engenheiro Max Martinhão, que mora na capital federal há 18 anos, aproveitou para gravar um vídeo com críticas à divisão. "Estava mandando (o vídeo) para os meus contatos do WhatsApp falando que nunca vi uma divisão assim aqui. Para mim, este é o símbolo da divisão". Quanto ao impeachment, ele se disse contra: "É um processo apressado. É só comparar com o processo contra Cunha. Está demorando bem mais".
Até o meio da manhã deste sábado, a polícia estava permitindo que os turistas andassem de um lado para o outro do muro. De acordo com um PM que faz a segurança da Esplanada, o trânsito de pedestre entre os lados do muro deve ser suspenso quando manifestantes pró e contra Dilma começarem a chegar na Esplanada dos Ministérios.

Fontes: Portal UOL e Blog Conexão Brasília

Curiosidades
- Os projetos arquitetônicos de Oscar Niemeyer atraem milhares de turistas para a capital do Brasil todos os anos.
- Brasília é a terceira cidade mais rica do Brasil. A renda do brasiliense é três vezes maior do que a renda média do brasileiro.
- A capital  está localizada a 1.000 metros acima do nível do mar, numa região plana conhecida como Planalto Central.
-  Brasília também tem um lado místico. Como a lenda de que em 1883, um sonho de Dom Bosco previu o surgimento de uma civilização muito próspera.

1961
Ano de inauguração de Brasília.

Lago Sul


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!