Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura e política.

PUBLICIDADE

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Notas da coluna ARGUMENTOS de quinta-feira, dia 21 de julho de 2016.

Imbróglio

A notícia envolvendo dois coronéis da PM tucuju precisa colocar à parte as querelas políticas. Medeiros é ligado a Waldez Góes; Barbosa, a Camilo Capiberibe. O atual chefe do GSI [Gabinete de Segurança Institucional] é subordinado ao ex comandante da PM, claro, então a briga arranha o regulamento disciplinar. Mas tem a política no meio.

Cerne

Na única manifestação pública de Medeiros, através de sua advogada deu a pista de como será a linha da defesa. Provar que ele entregou a pistola que estava sob sua cautela em um quartel da PM. Então sumiu de lá, supõe-se.

Sucesso

A Embraer foi eleita a empresa mais inovadora de 2016, de acordo com um levantamento feito pelo jornal Valor Econômico em parceria com empresas de consultoria do setor. Nome é Prêmio Valor Inovação Brasil.

Ranking

Ainda sobre essa premiação, em segundo lugar ficou a 3M Brasil. A Natura, Whirlpool e o Itaú Unibanco fecham os cinco primeiros. Veja a lista completa em nossa página na internet, visitando o Blog do Cleber Barbosa.

Roubos

A picape Hilux é o utilitário esportivo mais visado por ladrões de carro no país. Um levantamento oficial forma o ranking dos veículos mais visados. A lista completa está no Blog Sou Jipeiro. Passe lá!

No rádio
O novo comandante da Capitania dos Portos, é o capitão de Fragata Aderson de Oliveira Caldas, bacharel em Ciências do Mar pela Escola Naval da Marinha,  especialista em Máquinas, Hidrografia e também em Relações Internacional, pela UnB. Sábado estará em nosso Conexão Brasília.

De olho

Três grupos políticos se organizam para conquistar o cargo de prefeito de Autazes (AM). O município poderá arrecadar R$ 15 milhões por ano em royalties de mineração, a Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), caso o projeto da Potássio se concretize na região.

Impasse

Por aqui, no Amapá, a confusão é das empresas que tentam embarcar o manganês que sobrou da produção da Icomi. Cinco milhões de toneladas, estima-se. E especialistas dizem que além disso, ainda há debaixo do solo muito minério com valor comercial no mercado atual de mineração. Até lá, serranos à míngua.

No fundo

Sobre mineração, ainda tem o problema das propriedades que foram alagadas para a criação do reservatório das usinas hidrelétricas do Araguari. Pelos menos duas indústrias de brita e seixo estão no fundo e seus proprietários dizem ainda não terem sido devidamente indenizados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!